terça-feira, 7 de agosto de 2012

Uma aula de jornalismo

Jânio de Freitas no Roda Viva

Via Blog do Altino

“Quando um sujeito decide se candidatar a alguma coisa ele já está acreditando ser merecedor de reconhecimento pelas qualidades que em geral não tem, mas que supõe ter”.

“Os políticos são, em geral, informantes muito ruins. A informação de político costuma ser viciada pelo interesse dele próprio”.

2 comentários:

PAOLO ALMEIDA disse...

Raimari em relação as palavras ditas pelo Sr. Jânio de Freitas a respeito dos candidatos, sempre fiquei me perguntando qual seria o real pretexto de uma pessoa a concorrer um cargo político. Na verdade na maioria dos casos já sabemos de cara qual é a inteção e motivação dos mesmos. É impressionante como tem "gente" corajosa, pois nunca foi um líder nem na sua própria casa, nunca foi presidente de bairro, líder de sala e outras coisas, e tem corojosamente a disposição para concorrer um mandato seja ele em qual esfera. Me pergunto: Porque que a sociedade não sujege uma lista com nomes de pessoas íntegras, idôneas, com perfil de liderança para serem seus representantes? Não seria mais fácil e melhor para todos nós e para a democracia. A afirmação do Sr. Janio é muito atual e verdadeira.

Clenes Guerreiro disse...

Olá, Raimari,

O mais interessante disso tudo é que as pessoas que tem uma quantidade razoável de fibra (ética, moral e tantas outras que, teoricamente, são necessárias a tais cargos) não querem ter uma candidatura - nem nessa e em nenhuma outra eleição.
Creio que é aí que mora o perigo. A política sempre foi uma arma que bem podia, é fato, servir de mudança para todo um coletivo.
Mas concordo com as palavras do amigo Paolo, faz-se necessário ter coragem. Coragem essa que eu, pelo menos nesse momento, não tenho... e não sei se teria.
E, finalmente, se pensarmos em nomes que tenham representatividade para "fazer algum medo" nas eleições percebemos que não há.
Torço que as coisas mudem.

Um abraço.