domingo, 30 de dezembro de 2007

Governo esclarece acidente na fábrica de preservativos de Xapuri

Técnicos ambientais da Divisão de Indústria, Resíduos e Serviços do Imac levantam informações sobre o acidente e devem apresentar relatório nos próximos dias.

O Governo do Estado divulga nota na qual esclarece à população sobre o acidente ocorrido na madrugada do dia 22 de dezembro na Fábrica de Preservativos Masculinos de Xapuri – NATEX, empreendimento cujo objetivo é fomentar a economia e a sustentabilidade dos produtores e moradores da região. A NATEX possui características diferenciadas das indústrias de preservativos masculinos. É a única que utiliza matéria prima, o látex, originária de seringais nativos. Outro diferencial é que a empresa centrifuga e armazena seu próprio látex. Técnicos ambientais da Divisão de Indústria, Resíduos e Serviços do Imac inspecionaram o local e nos próximos dias devem apresentar um relatório sobre o acidente. A empresa NATEX foi notificada e a fábrica deverá voltar a funcionar após esclarecimentos e adequações do sistema de drenagem.

Leia abaixo a nota emitida pelo Governo do Estado sobre o acidente na Fábrica de Preservativos Masculinos de Xapuri:

NOTA DE ESCLARECIMENTO

No último dia 22 de dezembro, a base metálica de um dos tanques de armazenamento de látex da Fábrica de Preservativos Masculinos de Xapuri – NATEX - cedeu, por volta das 3 horas da manhã, deixando vazar 12 mil litros de látex com amônia para evitar coagulação em uma proporção de 1,5%.

Segundo apuração do Instituto do Meio Ambiente do Acre (Imac), o sistema de drenagem que tem a função de direcionar efluentes para estação de tratamento da indústria não funcionou adequadamente, o que será motivo de apuração. Uma parte do látex (3,5 toneladas) coagulou rapidamente em função da evaporação da amônia (que possui alta volatilidade). Outra parte do látex (estimada em 1 tonelada) ficou retida na tubulação e nas medidas de contenção momentos após o acidente. Estima-se que aproximadamente 7,5 mil litros de látex (sete caixas d’água doméstica) tenham atingido um açude nas proximidades da fábrica. O açude em questão possui cerca de 5 mil m3 de água. O que resultou em uma concentração de látex inicial na água de 0,2%. As fortes chuvas, nos dias 24 e 25, aumentaram a diluição, deixando quase imperceptível o impacto, o que é visível pela coloração da água e do pH (medida de acidez) monitorado.

A indústria está licenciada para operar. Durante a vistoria, foi lavrada uma notificação e a as atividades serão retomadas somente após esclarecimentos e demonstração do funcionamento do sistema de drenagem e integração com o Plano Nacional de Prevenção, Preparação e Resposta Rápida em Emergências Ambientais.

Agência de Notícias do Acre

sexta-feira, 28 de dezembro de 2007

Esquadrão, nunca mais!

O deputado estadual Edvaldo Magalhães publica no seu blog imagens de um Acre não muito distante, onde imperava o medo e a violência impostos por um esquadrão de extermínio liderado pelo ex-deputado federal Hildebrando Pascoal.

"As imagens a seguir são fortes. São registros de um tempo não muito distante. Há dez anos o Acre tinha medo, muito medo.
Mas há coisas que nem o Acre, nem o Brasil, podem esquecer", diz ele.

Para ler acesse o blog do deputado Edvaldo Magalhães.

quarta-feira, 26 de dezembro de 2007

Acidente ecológico em Xapuri

Altino Machado

Amônia e látex vazam da fábrica de preservativos

Mais de 18 mil litros de amônia e látex vazaram para o ambiente na semana passada após o desabamento de um tanque da fábrica de preservativos masculinos de Xapuri. O acidente aconteceu no sábado, 22, quando completava 19 anos do assassinato do líder sindical e ecologista Chico Mendes.

O vazamento desagradou tanto ao governador Binho Marques (PT) que o mesmo visitou a fábrica, mas preferiu não comparecer a um evento sobre manejo e desenvolvimento sustentável no salão paroquial, em Xapuri, como parte da programação da Semana Chico Mendes.

- O evento foi muito prestigiado por secretários e assessores, mas somente agora entendemos o que motivou a inexplicável ausência do governador naquele dia - disse uma fonte do blog em Xapuri.

O jornalista Itaan Arruda, assessor de imprensa do governo do Acre, confirmou o vazamento. Ele disse que a chefe da Divisão de Indústria, Resíduos e Serviços do Instituto de Meio Ambiente, Maura Ribeiro, visitará a fábrica para produzir um laudo.

Embora ainda não tenha sido inaugurada por falta de oportunidade na agenda do presidente Lula, a fábrica de preservativos de Xapuri fez a proeza de ter sido classificada num prêmio da Caixa Econômica Federal entre os vinte melhores projetos no Brasil que teriam resultado em melhorias na qualidade de vida da população.

Para o governo, a fábrica "é o único empreendimento no mundo com capacidade de produzir preservativos com látex de seringal nativo".

terça-feira, 25 de dezembro de 2007

Menores são vítimas de atentado ao pudor dentro da catedral de Rio Branco

O acusado, Marcelo Amaral, atraiu duas meninas até o banheiro e as obrigou a vestir biquíni vermelho

Dulcinéia Azevedo , de O Estado de S.Paulo

ACRE - As menores B.N.R., 7., e T.O.G., 9, foram vítimas de atentado violento ao pudor dentro do banheiro da Catedral Nossa Senhora de Nazaré, no centro da cidade, quando ocorria a celebração da missa deste domingo, 23. O acusado é Marcelo Sampaio de Amaral, 27, liderança jovem bastante conhecida pela comunidade católica. Na tentativa de abafar o caso, o padre Asfury Figueiredo, encerrou a missa às pressas e bloqueou por mais de duas horas a entrada da polícia.

Os policiais só conseguiram entrar em decorrência da revolta dos familiares e de membros da própria igreja que fizeram pressão até o padre ceder. '' Nunca esperei isso do padre Asfury. Ele tinha a obrigação de entregar o acusado à polícia, até porque não é a igreja católica que brada para todos os cantos que defende os direitos humanos, que cuida das criancinhas através da pastoral da criança'', disse em tom de indignação Maria José de Oliveira, mãe da menina de 9 anos.

Segundo ela, as meninas estavam na sala de ensino infantil, para onde as crianças são levadas no momento da pregação. Foi lá que encontraram Marcelo. Se dizendo professor da noite, ele atraiu as duas até o banheiro e fez com que vestissem um biquíni de cor vermelha, sob o pretexto de que seriam premiadas caso fizessem tudo direitinho.

''Ele disse que eu iria ganhar um presente, ai em vestir. Só que ele começou a me tocar, ai eu sangrei'', declarou a menor de 7 anos aos pais, durante o registro da ocorrência na Delegacia Especializada de Proteção à Mulher, onde está sendo apurado o caso.

A denúncia chegou à Central de Informações da Polícia Militar do Acre de forma anônima, por volta de oito e meia da noite. No mesmo momento, o atendente passou a ocorrência via rádio para os policiais plantonistas que estivessem mais próximo do local. Um PM que estava à paisana dentro da igreja iniciou a averiguação e localizou o acusado ainda com as crianças, chamando reforço em seguida. O pai de uma das crianças trabalha como vigia da igreja onde a filha foi molestada.

Na delegacia, um tio do acusado, disse em conversa informal que ele sofre de perturbação mental, mas que os familiares nunca imaginaram que fosse capaz de algo desse tipo. Até a manhã desta segunda-feira, 24, o bispo da Diocese de Rio Branco, Dom Joaquim Pertinez, não havia se pronunciado oficialmente sobre o caso. O expediente no palácio do Bispo está suspenso até a próxima quarta-feira.

Texto original no Estadão.

Eleições 2008 vão custar R$ 600 milhões

O valor supera em 36,4% os R$ 440 mi gastos em 2006

Passadas as festas de final de ano, os técnicos do ministério do Planejamento vão se debruçar sobre o Orçamento da União. Sairão à cata de rubricas que possam ser cortadas, para compensar a perda da arrecadação de R$ 40 bilhões que virou pó com a extinção da CPMF. Numa das rubricas os técnicos não poderão tocar: a que prevê os gastos do Tesouro com a eleição municipal de outubro de 2008.

R$ 600 milhões, eis a quantia que o Tribunal Superior Eleitoral estima gastar nas eleições para prefeitos, vice-prefeitos e vereadores dos 5.560 municípios brasileiros. O valor foi confirmado ao blog pelo presidente do TSE, ministro Marco Arélio Mello.

“Essa verba não tem como cortar”, disse Marco Aurélio. “A não quer se não se deseje realizar as eleições. Para a máquina funcionar, é preciso que haja recursos.”

Os R$ 600 milhões correspondem a um custo de R$ 4,78 por eleitor. Há no Brasil exatos 125.529.689 milhões de eleitores em condições de votar. O número era maior, mas o TSE cancelou neste ano 1.896.813 títulos eleitorais de pessoas que não votaram nem justificaram a ausências nas últimas três eleições.

Em setembro de 2006, dias antes de o eleitor comparecer às urnas para escolher o futuro inquilino do Palácio do Planalto, o diretor-geral do TSE, Athayde Fontoura Filho estimara também em R$ 600 milhões o custo operacional da eleição presidencial do ano passado.

Depois da eleição, verificou-se que o valor efetivamente gasto ficou bem abaixo da previsão: R$ 440 milhões. Menos do que fora gasto na eleição presidencial de 2002 (R$ 480 milhões). Abaixo também do que se gastara na eleição municipal de 2004 (R$ 534 milhões).

No último mês de maio, o diretor-geral Athayde reuniu em Brasília representantes dos tribunais regionais eleitorais, braços do TSE nos Estados. O objetivo do encontro era deflagrar o planejamento do pleito municipal de 2008. Athayde lançou um desafio: disse que a meta para o próximo ano era reduzir em 30% os R$ 440 milhões que haviam sido gastos na eleição de 2006.

Se levado ao pé da letra, o projeto de borderô de Athayde rebaixaria o custo do pleito municipal de 2008 para R$ 308 milhões. Curiosamente, porém, o TSE injetou no projeto de Orçamento a estimativa de R$ 600 milhões, praticamente o dobro do valor que seu diretor-geral estimara em maio.

Seja como for, esse naco do orçamento parece estar a salvo da tesoura dos técnicos da pasta do Planejamento. Por mais que necessite cortar gastos –e necessita—, o governo não ousaria tocar na verba destinada ao custeio das eleições.

Do Blog do Josias.

segunda-feira, 24 de dezembro de 2007

Ameaça anônima

Um anônimo deixou um comentário contendo graves ameaças contra mim na postagem do artigo "19 anos depois", de autoria do jornalista Sílvio Martinello, dono do jornal A Gazeta, que havia sido publicado horas antes no blog do jornalista Altino Machado (leia aqui).

O anônimo me recomenda ter cuidado com os comentários que sequer me pertencem e vaticina que "acidentes podem acontecer". Certo de que sua identidade não poderá ser revelada (o que não é verdade), o misterioso internauta deseja ainda mil desgraças a mim e à minha família, a quem deseja que queimem todos no inferno.

Evitei, de início, publicar a ameaça para não provocar uma onda de opiniões precipitadas e evitar que uma possível brincadeira de extremo mau gosto traga consequências ainda maiores para mim mesmo e a meus familiares. Em todo caso, o fato será levado ao conhecimento das autoridades policiais ainda nesta segunda-feira.

Consultado, o jornalista Altino Machado me informou que a identificação do autor de postagens anônimas é possível, mas que implica em altos custos com perito, e me aconselha a prosseguir sem temores a esse tipo de manifestação.

Seguirei o conselho do Altino, mas me cercarei de cuidados e do intuito em desvendar quem está por trás de tais ameaças. E certo é que continuarei da mesma forma, a exercer minha função de radialista e a dar destaque, também neste espaço, a opiniões e informações que sejam de interesse da sociedade.

domingo, 23 de dezembro de 2007

Juíza concede prisão domiciliar a Darly Alves

Por decisão da juíza Maha Kouzi Manasfi e Manasfi, da Comarca de Rio Branco (AC), o fazendeiro Darly Alves da Silva trocou a cela de um presídio na capital do Acre, onde se encontrava havia um ano e quatro meses, pelo conforto da prisão domiciliar. Foi autorizado a permanecer pelos próximos 90 dias na casa que serve de sede da Fazenda Paraná, no município de Xapuri (AC).

Darly fora recolhido ao cárcere em agosto de 2006, depois de ter sido julgado e condenado por um júri popular como mandante da morte do seringalista e líder sindical Chico Mendes (foto), mundialmente conhecido. Por ironia, o benefício a Darly foi concedido na semana em que o assassinato, perpetrado em 22 de dezembro de 1988, completa 19 anos.

Para completar o cenário irônico, Darly permanecerá até março de 2008 na Fazenda Paraná, local onde a morte de Chico Mendes foi tramada. A decisão da juíza foi motivada por um pedido dos advogados do fazendeiro. Eles alegaram que Darly, hoje com 72 anos, padece de gastrite crônica e necessitaria de cuidados médicos especiais.

Em seu despacho, a juíza Maha Kouzi delegou à comarca de Xapuri, município localizado a 180 km de Rio Branco, que zele pelo bom cumprimento de sua decisão. Darly foi autorizado a deslocar-se, sem necessidade de autorização judicial, para a realização de consultas e exames médicos. Basta que seus advogados requeiram. Cabe a pergunta: será que o Estado do Acre não poderia prover a Darly a assistência médica devida?

A gastrite, há de convir o leitor, não é um mal dos mais graves. Não é demasiado recordar o seguinte: Condenado em dezembro de 1990 a 19 anos de cana pela morte de Chico Mendes, Darly fugiu da prisão em fevereiro de 1993. Só foi recapturado em junho de 1996.

Enquanto esteve longe do alcance da lei, entre 93 e 96, o fazendeiro escondeu-se num assentamento do Incra, no interior do Pará. Chegou mesmo a obter um financiamento público do Banco da Amazônia, sob a falsa identidade de Francisco Matias de Araújo. A falsidade ideológica rendeu-lhe uma segunda condenação: mais dois anos e oito meses de prisão.

PS.: Foto via sítio do Senado.

Blog do Josias.

sábado, 22 de dezembro de 2007

19 anos depois

Sílvio Martinelo

Dezenove anos da morte de Chico Mendes.


Na semana passada, fui a Xapuri com Ivete e Tiago, meu filho, estudante de Jornalismo. Ele queria conhecer Xapuri.

Ivete aproveitou para rever seus parentes, os Figueiredo/Maia.

Fomos visitar o túmulo de Chico. Não consegui rezar, como fariam os bons cristãos.

Só ler aquela mensagem que ele deixou aos jovens. Nota-se que fez um esforço para colocar alguma coisa de socialismo.

Chico tivera nos últimos anos de vida uma forte influência da Revolução Sandinista. Daí o nome do filho Sandino.

Ao lado do túmulo de Chico, o de Ivair Higino, também morto numa emboscada, cujos assassinos nunca foram punidos. Mas quem lembra ou se importa?

No cemitério, Ivete conseguiu localizar o túmulo dos seus avós maternos, os Figueiredo. A avó dela era uma índia "amansada" pelos seringalistas, que morreu com 94 anos.

Do cemitério, passamos pela Casa Branca, a Intendência Boliviana, hoje museu. Uma bandinha tocava freneticamente. Ensaiava para as festas de final de ano.

Do barranco do Rio Acre, vi Plácido de Castro esgueirando-se nas sombras da madrugada, para surpreender os bolivianos ainda de ceroulas."Es temprano para la fiesta", reclamaram estremunhados os "patrícios".

Entre as peças do museu, chama a atenção um recorte do jornal Correio do Acre, um dos seis jornais que circularam em Xapuri.Entre outras notícias da edição do dia 15 de janeiro de 1918, lê-se que um certo senhor Stanley estava visitando Xapuri, por aqueles dias.

Pertencia a uma fundação norte-americana e estava percorrendo os países da América do Sul. Naturalmente, de olho na borracha que o Acre ainda produzia. Donde se prova que o Acre sempre foi globalizado.

No museu chama atenção ainda um pedaço de pão de macaxeira petrificado.Foi achado num seringal. Seria dos índios que escondiam o pão e esqueciam ao se mudarem de uma área para outra.

Do museu, passamos pelo comércio até chegarmos à casa de Chico Mendes.A funcionária da Fundação, irmã de Ilzamar, explica tudo sobre como ele foi assassinado, os objetos que ainda permanecem intactos, seus livros.

Não precisava. Até a ajudei a reconstituir a cena do crime.É que no dia seguinte ao assassinato, fui o primeiro jornalista a chegar na casinha, onde encontrei o delegado Nilson Alves de Oliveira, um policial competente, decente.

O sangue ainda estava quente no assoalho, nas marcas das mãos desenhadas nas paredes.

Como naquele 22 de dezembro de 1988, senti outra vez tristeza, revolta, saudade do Chico, que aprendera a admirar e tentara em vão ajudar a livrá-lo da morte certa e anunciada.

No caminho de volta, passamos ao largo da fazenda Paraná. Cabeças de gado pastavam e mugiam (muuuuu!) debaixo dos fios do Luz Para Todos.

Na sede da fazenda, Darli ainda está lá, dezenove anos mais velho, mais cego, mais brocha, apesar das garrafadas...... porém, vivinho Alves da Silva.

◙ O jornalista Sílvio Martinelo é um dos proprietários do jornal A Gazeta, onde escreve a coluna Gazetinhas. Era correspondete do Jornal do Brasil no Acre quando Chico Mendes foi assassinado, no dia 22 de dezembro de 1988.

Texto extraído do blog do Altino.

segunda-feira, 17 de dezembro de 2007

Prêmio José Chalub Leite

A entrega do prêmio realizado pelo Sinjac, revelou os profissionais que se destacaram com reportagens apresentadas ao longo do ano

Uma noite de encontro dos jornalistas sem a correria do dia-a-dia e a pressa em repassar a notícia ao público, apenas descontração e comemoração, principalmente, dos vencedores. Assim foi mais uma edição do prêmio de jornalismo José Chalub Leite, promovido pelo Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Acre (Sinjac), no sábado, 17.

Premiar as reportagens de destaque produzidas ao longo do ano na área de telejornalismo, jornalismo impresso, radiojornalismo, fotografia e charge. Esse é o objetivo do prêmio que acontece há oito anos.

Para quem recebe a estatueta, é uma forma de valorizar o jornalista, que enfrenta várias dificuldades para levar a notícia à população, segundo o presidente do Sinjac, Marcos Vicentti, que em outros anos conquistou algumas delas.

A cerimônia aconteceu no salão de festas do hotel Imperador Galvez, além da premiação, homenagens foram feitas a quem também contribui com o jornalismo no Estado, entre eles, o presidente da Academia Acreana de Letras, Clodomir Monteiro. Além das categorias tradicionais, houve outras duas, de apoio à indústria e ao comércio.

Na categoria Jornal Impresso, o prêmio de vencedor foi para o jornalista Evandro Cordeiro, do jornal O Rio Branco. Em telejornalismo, Senildo Melo, da TV Aldeia conquistou o primeiro lugar.
Senildo viajou durante doze dias pela BR-364, de carro, a pé e em cima de um burro, registrando a vida de acreanos que habitam as margens da estrada e sonham com o fim do isolamento.

"O mais importante desse trabalho foi o contato com as pessoas, presenciar a expectativa delas em ver a integração. A maioria das emissoras repercute o que divulgado na mídia nacional, mas quando temos oportunidade de priorizar o jornalismo regional, mostrado a realidade do nosso estado, isso se torna o diferencial. Foi o que fez essa matéria merecer o prêmio", comenta.

O prêmio de Radiojornalismo foi mais uma vez de Francelina Martins, da Rádio Difusora de Tarauacá. Em fotografia, Regiclay Saady, do jornal Página 20, ganhou a estatueta pela terceira vez. A categoria charge, foi para Enilson Amorim, do jornal A Tribuna.

Regiclay acredita que vale a pena enfrentar dificuldades durante todo o ano e, ao fim dele participar do prêmio, que considera apenas uma forma de reconhecer o esforço do profissional.
Outras categorias - A categoria de apoio ao Comércio, oferecido em parceria com a Federação do Comércio (Fecomércio) premiou em jornalismo impresso, Tatiana Campos e telejornalismo, Sandra Assunção. E apoio à indústria, oferecido pela Federação das Indústrias do Acre (Fieac), na categoria jornalismo impresso, o vencedor foi Edmilson Ferreira pelo jornal Página 20. Telejornalismo foi conquistado por Mariama Morena, da TV Acre.

As estatuetas de menção honrosa foram dadas aos seguintes jornalistas: Adaílson Oliveira (Telejornalismo); Juraci Xangay (Jornalismo Impresso); Aldejane Pinto (Radiojornalismo); Senildo Melo (Telejornalismo - Comércio); Juraci Xangay (Jornalismo impresso - Comércio); Bruno Cássio (Telejornalismo - Indústria); Renata Brasileiro (Jornalismo impresso - Indústria); Francisco Braga (charge).

Andréa Zílio
Agência de Notícias do Acre

O blog continua vivo

Estou há quase uma semana sem atualizar o blog, em virtude de dificuldades de acesso ao domínio blogger.com, de meu computador doméstico, entre outros motivos. Mas para minha surpresa, ao acessá-lo nesta segunda-feira, deparei-me com 49 visitas no decorrer do dia. Fato que demonstra haver um pequeno, mas fiel grupo de leitores que procuram neste espaço informações sobre Xapuri.

Fiquei feliz e garanto que o mesmo permanece vivo apesar de algumas dificuldades, nos últimos meses, para manter postagens diárias com notícias e comentários sérios e responsáveis como tenho feito há quase um ano através da rede mundial. O blog continua firme e contando com as leituras dos que gostam e dos que odeiam.

terça-feira, 11 de dezembro de 2007

Câmara em recesso

Praticamente ninguém compareceu à Câmara de Xapuri, como de costume, para participar da sessão de despedida do ano legislativo de 2007 para os vereadores do município. Igualmente vazia estava a pauta da última reunião dos nobres vereadores. Apenas um Projeto de lei, que modifica a estrutura do Condesma, Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, foi aprovado nesta terça-feira (11).

No mais foi a mesma melopéia vazia e sonolenta de sempre. O presidente Ronaldo Ferraz falou ao repórter Joseni Oliveira, após a sessão, sobre a atuação da Câmara no ano que se finda, que avaliou como muito positiva com a aprovação de tantos projetos importantes que não soube apontar qual deles foi mais fundamental para o invisível progresso que a cidade experimenta.

Fundamental mesmo seria um Legislativo bem mais atuante e menos confuso e problemático do que o foi em 2007. Certamente é o desejo de todos os xapurienses que no ano que se aproxima, não pela proximidade das eleições, novos ventos soprem sobre as cabeçorras dos nossos edis. Um olhar mais atento para suas reais obrigações não seria demasiado nem tardio.

Uma boa parcela da culpa por Xapuri ir de mal a pior é dos senhores vereadores, sem exceções. A hora não é de acusações nem revides, mas um pouco de autocrítica e humildade não fará mal a ninguém em 2008.

Um bom descanso e Feliz Natal a todos os vereadores.

segunda-feira, 10 de dezembro de 2007

Avaliação da administração

Enquete feita pelo blog Xapuri News, da Assessoria da prefeitura de Xapuri, sobre a avaliação que os leitores fazem da administração do prefeito Vanderley Viana.

Como você, xapuriense, definiria a administração do Prefeito Vanderlei Viana?

Excelente: 8 votos (12%)
Boa: 6 votos (9%)
Ruim: 50 votos (78%)

Obs. Situação da consulta às 16 horas desta segunda-feira (10/12/2007), menos de uma hora para o fim do prazo estipulado pelos editores do blog para o fim da votação.

domingo, 9 de dezembro de 2007

Fábrica de Preservativos concorre a prêmio

Fábrica de Preservativos concorre ao Prêmio CAIXA Melhores Práticas em Gestão Local

Projeto foi um dos 20 escolhidos entre 273 práticas inscritas

O projeto da Fábrica de Preservativos Masculinos de Xapuri está entre os 20 finalistas da 5ª Edição do Prêmio CAIXA Melhores Práticas em Gestão Local 2007/2008. A cerimônia de premiação acontece em Brasília, na segunda-feira, 10. Os dez primeiros colocados terão seus projetos divulgados pelo país e participam do Prêmio Internacional de Dubai, promovido pelo “Best Pratices and Local Leadership Programme”, das Nações Unidas.

De acordo com o secretário de Desenvolvimento, Ciência e Tecnologia, César Dotto, que representa o governo do Estado na solenidade, o Projeto da Fábrica de Preservativos de Xapuri, consolida um empreendimento único no mundo com capacidade de produzir preservativos com látex do seringal nativo. Porém seu maior objetivo é envolver mais de 500 famílias de seringueiros. “Além da capacidade tecnológica do projeto, a Fábrica promove a melhoria da qualidade de vida dos que vivem da floresta”, salientou ele.

Dotto salienta ainda que o governo do Estado contou com uma parceria intensa e integrada dos moradores e produtores de Xapuri e da Reserva Extrativista Chico Mendes, Associações, Sindicatos e também do Ministério da Integração, da Fundação Nacional de Saúde e do Ministério de Ciência e Tecnologia.

Criado em 2005, o Prêmio CAIXA Melhores Práticas em Gestão Local tem o objetivo de disseminar os projetos criativos, de qualquer parte do país, que contaram com a participação da CAIXA e resultaram em melhorias concretas da qualidade de vida das pessoas. Funciona como um estímulo à replicação de experiências sustentáveis voltadas à inclusão social, combate à pobreza, geração de renda, habitação, saneamento e desenvolvimento econômico.

O governo do Acre, através da Fábrica de Preservativo, concorre na categoria Desenvolvimento Local e Inclusão Social. Foram inscritas 273 práticas, dessas 20 foram escolhidas para a solenidade de premiação que acontece em Brasília.

Viviane Teixeira
Agência de Notícias do Acre

sexta-feira, 7 de dezembro de 2007

"A cidade melhorou"



Um panfleto espalhado pelas ruas e repartições públicas de Xapuri, em forma de literatura de cordel (tipo de poesia popular, originalmente oral, e depois impressa em folhetos rústicos expostos para venda pendurados em cordas ou cordéis, o que deu origem ao nome), traz o seguinte verso:

"A cidade melhorou
Faz gosto viver aqui
O lixo tem rumo certo
Pra isso existe o gari
Antes eram os urubus
Que cuidavam de Xapuri".

Obs. A fotografia acima foi feita no início da tarde desta sexta-feira, (7/12/2007), na Rua Chico Mendes, onde a prefeitura não recolhe o lixo faz mais de um mês. A cena leva a crer que o brilhante poeta não deve estar se referindo a Xapuri nessa presepada que ele chama de poesia.

Ramal Rodovaldo Nogueira

A foto acima é daquela que em vida se chamou rua Rodovaldo Nogueira, hoje rebaixada à condição de estrada vicinal. Sabemos que não se faz um omelete sem que se quebre os ovos, é claro. Mas se as obras não iam começar imediatamente, porque tiveram tanta pressa em retirar o antigo calçamento que mesmo em péssimas condições permitia que se andasse pelo menos a pé? O atraso no início do calçamento bem que poderia ser explicado à população.

O consolo para os moradores desta região da cidade é que os trabalhos de calçamento da rua Chico Mendes estão em andamento, como mostram as fotos abaixo.





A esperança é de que resolvam começar a trabalhar também na rua do Ginásio Coberto (Rodovaldo Nogueira). Vamos lá, moçada. Ninguém agüenta mais andar nesse verdadeiro lamaçal.

quinta-feira, 6 de dezembro de 2007

Hombridade

Sobre o artigo intitulado "Ossos do ofício", postado neste blog na manhã de hoje, recebi logo nas primeiras horas do dia um telefonema da professora Maria Dorotéia, Secretária Municipal de Educação, se manifestando sobre o teor das linhas escritas, antes que postasse, um pouco mais tarde, o seu direito de resposta neste mesmo espaço.

A secretária explicou que não havia desligado o telefone na cara da repórter Fernanda Gomes, como afirmei, e justificou que em virtude de estar, naquele momento, participando de uma reunião, não tinha como atender melhor à profissional que, segundo ela, insistia em gravar uma entrevista pelo telefone.

Apesar de já haver dado espaço para a resposta da secretária, o que consiste em um direito constitucional ao qual jamais me oporia, faço questão de reconhecer publicamente que me excedi no desabafo, apesar de em nenhum momento me arrepender do que escrevi e muito menos pensar em retificar uma vírgula sequer do texto publicado.

Continuo solidário à repórter Fernanda Gomes pela forma com que foi atendida pela secretária, enquanto buscava cumprir com o seu dever profissional de bem informar sobre assunto de relevante interesse tanto da população quanto da própria administração. Objetivo esse que será mantido, apesar dos pesares.

No entanto, é necessário admitir, após reflexão, que não possuo nenhuma fundamentação para insinuar que a professora seja despreparada para o cargo que ocupa ou que lhe caiba o termo pejorativo de "subordinada". Ao contrário, acredito que a professora Dorotéia é sim, bastante credenciada para a função que ocupa de forma competente, até que se prove o contrário.

E uma das razões que utilizo para fazer a afirmação acima é a forma equilibrada e educada com que a professora me tratou ao telefone para expressar suas considerações sobre o episódio, coisa que, repito, não é comum dentro da equipe desta atual administração. Essa realidade não pode, no entanto, gerar um preconceito contra todos aqueles que participam da equipe de governo.

Lá como cá, existem os bons e os maus, não duvido, mas insisto em afirmar que o comportamento da maioria finda por prejudicar todo o conjunto da administração. É reprovável a quem quer que seja não saber separar o joio do trigo.

Direito de resposta

Resolvi me pronunciar neste meio de comunicação, primeiro por ver meu nome estampado num veículo de comunicação que a meu ver é de grande seriedade, segundo por entender que devo satisfação as pessoas que tem acesso ao mesmo, e esclarecer algumas dúvidas que por ventura tal material tenha criado aos leitores.

Nunca me senti ou divulguei no setor em que trabalho, que sou uma pessoa preparada para o Cargo de Secretária, porque me considero professora e não técnica em educação, depois aceitei o convite por que considero até o presente momento o Sr. Vanderley Viana, uma pessoa honesta e sem intenção de prejudicar ninguém, e isso, hoje na política é raro, por isso, me orgulho de fazer parte dessa Administração.

Tenho consciência das responsabilidades profissionais e sociais, porém admito ter muitas inseguranças, quanto a isso, e não me envergonho, estou aprendendo, buscando contribuir para com a educação, por isso posso dizer que sou um ser humano em desenvolvimento.

Quero dizer que a assessora citada na matéria, não esteve pessoalmente com a minha pessoa, e por isso, não poderia dizer que estava humorada, apenas não estava disponível a atende-la naquele momento, em virtude de estar participando de uma reunião na Secretaria Municipal de Agricultura. E o que me foi perguntado eu respondi a moça, agora, quanto a desligar o telefone na cara dela, acredito eu, que pelo motivo da mesma não me conhecer tirou conclusões precipitadas, fato este que eu lamento profundamente, e ao mesmo tempo me dou o direito de dizer que mal educada e grosseira foi ela, primeiro porque depois de responder ao que me foi perguntado, eu disse a ela que estava em reunião e mesmo assim ela continuou a insistir quando deveria marcar um outro momento para realizar aquela entrevista, já que naquele momento eu realizava outra atividade. Além do que, há 2 meses, a frente da secretaria de educação, nunca deixei as pessoas sem atendimento, ou melhor nunca esnobei ninguém ou faltei com respeito com quem quer que seja.

Quanto ao terceiro parágrafo, da reportagem, quero esclarecer que sou “parceira” de trabalho e com muito orgulho do Sr. Prefeito Vanderley Viana, que me deu essa oportunidade de crescimento profissional, mas quero deixar bem “claro” que sou “parceira” e não subordinada, aliás não sou mulher de me subordinar a nada ou a ninguém.

Agradeço o espaço, peço a compreensão de todos e solicito por direito as pessoas desse meio de comunicação que não mais se referem a minha pessoa de forma tão irresponsável.

Profª. Maria Dorothéia Batista Monteiro.
Secretária Municipal de Educação de Xapuri.

quarta-feira, 5 de dezembro de 2007

Salve o Corinthians

Segundo estudos do centro estatístico da UFRJ, os times São Paulo, Palmeiras, Santos, Botafogo, Fluminense, Vasco, Grêmio, Real Madrid, Barcelona, Flamengo, e muitos outros considerados grandes, levariam juntos cerca de 100 anos para chegar ao número de títulos que tem o Corinthians, conquistados e reconhecidos pelas entidades competentes.

Qualquer dúvida, os dados estão disponíveis na Internet, é só pesquisar. Somados até a última semana, o Corinthians possui:

* Títulos Nacionais: 4
* Títulos Paulistas: 25
* Títulos Internacionais: 1 (Há controvérsias)
* Títulos protestados no Tribunal Regional do Trabalho: 5.244
* Títulos protestados na Justiça Civil: 922
* Títulos protestados na Justiça Federal: 735
* Títulos protestados nos Cartórios de Títulos e Documentos: 14.643

Totalizando, são mais de 21.000 títulos, ou seja, os outros clubes, não passam nem perto.

Parabéns Corinthians!

Agora clique aqui para ver o vídeo com as projeções de futuro para o time da Fiel.

Os Caminhos de Chico Mendes

Dica imperdível para quem mora em Rio Branco: a exposição "Os Caminhos de Chico Mendes", na Biblioteca da Floresta Marina Silva, na qual o artista plástico Wagner San relata em 24 telas e gravuras a floresta, o povo e a trajetória do líder sindical e ecologista de Xapuri.

A exposição foi idealizada pelo Instituto Chico Mendes, presidido por Elenira Mendes, filha do sindicalista, e tem como objetivo atrair a juventude a fazer parte da luta em defesa da floresta.

O artista Wagenr San nasceu em Bodoquena (MS) e começou a desenhar aos nove anos de idade. Ele é comprometido com a educação ambiental e há um ano chegou no Acre para conhecer e retratar o legado de Chico Mendes e da luta de quem vive na floresta.- As imagens que se soltam de sua percepção conferem ainda uma beleza inacabada. como se um sopro pudesse devolver a luta de Chico Mendes na aliança com a educação ambiental - escreveu a cientista social Michèle Sato.

Leia o artigo completo no blog do Altino e assista ainda uma entrevista em vídeo com o artista.
  • O artista Wágner San é o responsável pelos dois espetáculos apresentados em Xapuri intitulados Arte na Ruína, neste ano de 2007. Na última apresentação, realizada no final de semana passado, a cientista Michèlle Sato também esteve presente.

Ossos do ofício

Difícil entender a gente que trabalha à frente dos órgãos e secretarias municipais de Xapuri. São, com raras exceções, avessos a prestar informações, bem como, na maioria dos casos, despreparados para as funções que desempenham ou inseguros quanto às suas responsabilidades. Foi o que deixou claro a forma com que a secretária municipal de educação, Maria Dorotéia Monteiro, atendeu, na tarde desta quarta-feira, à repórter da Agência de Notícias do Acre, Fernanda Gomes.

Com um evidente mau humor e pouquíssima vontade de atender à repórter, a secretária resumiu-se a dar respostas evasivas aos questionamentos acerca do desempenho da educação municipal no decorrer do ano de 2007. Para completar, desligou o telefone na cara da repórter, de forma grosseira e mal-educada, numa atitude totalmente contrária ao comportamento de uma professora, detentora de cargo público, e que tem a obrigação de fornecer informações de interesse público à população.

Não é nada de pessoal contra a professora Maria Dorotéia, de quem jamais tive qualquer queixa, mas sim contra a forma inadequada, que não somente ela, mas outros subordinados do prefeito Vanderley Viana atendem a quem trabalha para o governo do Estado na área de comunicação. Na busca de levar a boa informação ao público somos costumeiramente boicoteados, quando não impedidos de adentrar prédios públicos chefiados por pessoas que se submetem a apenas cumprir ordens que vêm de cima.

À cara repórter Fernanda Gomes, minha solidariedade. O ofício de transmitir a notícia nem sempre é agradável, principalmente quando as fontes não têm o interesse de divulgar suas ações, o que se pode explicar por não terem o que dizer ou pelo fato de aquilo que possuem para mostrar não ser agradável de ser visto. Bola pra frente que atrás vem gente.

terça-feira, 4 de dezembro de 2007

Portal Católico

Ao colocar duas imagens católicas (São Sebastião e São Cristovão) sobre o Portal Augusto Castelo Branco de Figueiredo, a prefeitura de Xapuri, no meu modo de ver, favorece uma determinada religião, com a exposição de seus símbolos em um bem público, em detrimento dos demais e não menos importantes cultos religiosos da cidade.

A Constituição Brasileira diz (artigos 5º, Inciso VI, e 19º, inciso I) que os poderes Executivo, Legislativo ou Judiciário, em todos os seus níveis, estão proibidos de professar, influenciar, ser influenciados, favorecer, prejudicar, financiar qualquer vertente religiosa, pois não existe religião oficial em nosso país.

O fundamento republicano do Estado laico deveria ser observado nesse caso? A questão está aberta para opiniões.

segunda-feira, 3 de dezembro de 2007

Rua Rodovaldo Nogueira

A turma capacha da prefeitura costuma dizer que gosto de espinafrar o querido prefeito deles e que adoro colocar defeito em tudo o que o genioso (não genial) alcaide realiza. Pois bem, já se vão quase duas semanas que anunciaram um pacote de recuperação de ruas, estádios e etc.

E logo começaram, em plena época chuvosa, a arrancar o calçamento de tijolos da Rua Rodovaldo Nogueira, com a promessa do início das obras do novo pavimento, previstas para serem concluídas, segundo as empresas vencedoras das licitações, em um prazo de 35 dias.

Destruíram encanação de água e redes elétricas no subsolo, tamanha a falta de organização e planejamento. Mas como o objetivo final é nobre, ninguém "esquentou" com isso, pois o que o povo quer mesmo é a rua calçada, ora pois.

É bem verdade que a bendita rua, que passa em frente ao Ginásio Coberto, estava péssima, mas servia pelos menos para se andar a pé. Agora está um lamaçal tão desgraçado que até jumento turbinado atola. Que coisa. Tanto "verão" que tiveram. Só falta agora colocar a culpa na chuva.

Otimista que sou, acredito que amanhã meia centena de homens bem dispostos estarão trabalhando para que eu não chegue, mais uma vez, ao trabalho todo sujo de lama. Mas, uma vez enlameado, melhor que seja desta lama que de outra pior.

sábado, 1 de dezembro de 2007

Chávez "eterno".

Jorge Silva/Reuters

Cerca de 16 milhões de venezuelanos irão às urnas neste domingo para dizer, em referendo, “sim” ou “não” à reforma constitucional que concede superpoderes a Hugo Chávez e abre uma janela para que o compañero se perpetue no poder. A julgar pelo resultado das pesquisas, o país está dividido ao meio.

A última sondagem, realizada pelo instituto Hinterlaces, atribui ao “não” (46%) uma ligeira e inexpressiva vantagem sobre o “sim” (45%). Nessas horas que antecedem a manifestação do eleitor, opositores e apoiadores de Chávez medem forças nas ruas.

A avenida Bolívar, antes reduto exclusivo do chavizmo, foi tomada na noite passada por milhares de adeptos do “não”. Antes divididos, os adversários de Chávez agora estão estrategicamente unidos.

Em resposta, os partidários do “sim” encheram a mesma avenida Bolívar nesta sexta-feira (30), na última grande manifestação antes do referendo. Chávez, como sói, canta vitória. A oposição empenha-se para convencer os eleitores a comparecer às urnas. A ausência e a abstenção jogam água no moinho do presidente.

A refrega venezuelana ocorre no instante em que se discute no Congresso brasileiro se a Venezuela deve ou não ser admitida no Mercosul. A proposta tramita na Câmara. Já passou por duas comissões: a de Relações Exteriores e a de Constituição e Justiça. Está pronta para ser votada no plenário. Deve ser aprovada.

É no Senado que as pretensões de Chávez devem encontrar maior resistência. A oposição prepara-se para erguer barricadas contra a proposta. Mesmo senadores governistas torcem o nariz para a admissão da Venezuela no bloco econômico liderado pelo Brasil. A mais notória voz governista a se contrapor às intenções de Chávez é a de José Sarney (PMDB-AP).

Precursor do Mercosul, o ex-presidente diz que o resultado do referendo deste domingo terá forte influência sobre a decisão do Senado. "O ingresso vai depender do plebiscito, porque se o plebiscito aprovar essas cláusulas constitucionais, abrirá uma discussão e dificilmente a Venezuela atingirá a cláusula democrática para ser aprovada pelo Congresso brasileiro", diz Sarney, contrapondo-se inclusive ao pensamento de seu neo-guru Lula, para quem há excesso de democracia na Venezuela de Chávez.

quinta-feira, 29 de novembro de 2007

FHC despeitado

O Sr FHC está querendo aparecer. Quando ele era Presidente eleito e ainda não empossado, foi visitar seu amigo Havel (Presidente da República Checa), e sendo-lhe dada a palavra no evento disse estar feliz por estar na Capital da Checoslováquia. Um auxiliar seu, o informou que ali era a República Checa. A Eslováquia era do outro lado do rio. Tremenda gafe.

Agora diz por palavras enviezadas que o Presidente Lula não sabe falar corretamente. O Senador Cristovan Buarque, político de alta cultura, contestou o "farol de Alexandria". Afirmou com todas as letras que o Presidente Lula fala corretamente. Existe um despeito de FHC, pois está vendo o Brasil crescer e se projetar mundo afora, sob a direção de um homem com um nível de escolaridade semelhante ao da maioria de nosso povo.

A diferença é que Lula estudou na Universidade da Vida, conheceu a fome, o sofrimento moral, quando criança vendeu laranjas no cáis do Porto de Santos aos operários do Porto, cresceu na luta sindical e quando esperavam que ele fosse um radical, mostrou sabedoria e hoje é reconhecido em todo o mundo por sua coerência na luta para erradicar a fome no mundo. Dirige o País e o representa muito bem no Exterior.

O Sr. FHC é na verdade um grande despeitado.

Comentário de um leitor da Folha Online sobre o bate-boca entre o ex-presidente FHC e Lula, no início desta semana.

Coerência

"Viver em paz com os outros deve ser até muito bom, e eu aconselho. Ruim é não viver em paz consigo próprio por causas tão esdrúxulas quanto um preconceito ridículo ou um lamber de botas sujas quaisquer".

José Cláudio Mota Porfírio em Crônica, no jornal Página 20.

Idosa recebe ameaças por telefone

O presidente da Associação Comercial de Xapuri, João Honorato Cardoso, denunciou hoje, em rede estadual de rádio, através do programa Gente em Debate, da Rádio Difusora Acreana, as ameaças de morte que sua mãe, Maria Honorato Cardoso, de 69 anos de idade, passou a receber por meios de telefonemas, desde outubro passado.

João Cardoso afirma desconhecer os motivos que levariam alguém a ameaçar uma senhora evangélica que muito pouco sai de casa. "Deve ser uma brincadeira de mau gosto ou ato de uma pessoa muito má", diz ele. Cardoso prometeu procurar o Ministério Público nesta sexta-feira para exigir providências da parte do promotor de justiça.

O empresário reclamou da pouca atenção que a Polícia Civil de Xapuri estaria dando ao caso. Segundo ele, foi à unidade de segurança pública por duas vezes, mas não conseguiu encontrar o delegado Mardílson Vitorino, que também responde pela comarca do município de Epitaciolândia.

Mardílson Vitorino respondeu, nesta quinta-feira, que todas as providências cabíveis estão sendo tomadas, ressaltando as dificuldades que possui para desenvolver o seu trabalho. "Temos policiais que sabem mal assinar o nome, quanto mais registrar uma ocorrência em um computador", disse ele.

Quanto às reclamações de João Cardoso, o delegado foi curto e grosso: "Não temos bola de cristal nem trabalhamos com macumba para saber na hora quem é o autor das ameaças, mas estamos fazendo o necessário para chegar aos responsáveis". O agente Eurico já identificou, segundo o delegado, um dos telefones que estariam originando as chamadas.

O delegado Mardílson Vitorino informou que a partir do dia 1º de dezembro, além das delegacias de Xapuri e Epitaciolândia, as de Assis Brasil e Brasiléia também estarão sob sua responsabilidade.

Sustentável e social. É do "vera"?

A assessoria do Prefeito Vanderley Viana divulga que o município de Xapuri será agraciado no dia 7 de dezembro próximo, em Belém do Pará, pelo Instituto Biosfera e Instituto Brasileiro de Estudos Especializados – IBRAE, com o Prêmio de Destaque Nacional em Desenvolvimento Sustentável e Responsabilidade Social, por três trabalhos inscritos.

Os projetos são: Aluno Nota Dez, da Secretaria Municipal de Educação, e Ação Rural, da Secretaria Municipal de Agricultura. O município será laureado ainda por ter sido o primeiro da Região Norte e do Acre a se habilitar em Gestão Básica do Sistema Único de Assistência Social no ano de 2007.

Nunca ouvi falar dos projetos, nem sei onde ou como são desenvolvidos, mas para não falarem que só "espinafro", no dizer de alguns lambaios, está feito o registro.

Orgulho xapuriense

Diz o colunista Léo Rosa em sua coluna Poronga:

"Se os xapurienses tivessem visto, iriam ficar “orgulhosos” do prefeito que têm. O chefe do Executivo municipal resolveu levar seu estilo pouco temperado para outro Estado. Aprontou poucas e boas em Manaus (AM), na famosa praia da Ponta Negra. O moço tomou todas e, sem crédito no cartão, telefonou ao município para depositarem dinheiro na sua conta. Tudo sob os olhares recriminadores de outros prefeitos" (clique aqui).

Frase

“Obviamente que, se comparar a educação, a formação intelectual do Fernando Henrique Cardoso, ele é muito mais estudado do que eu. Agora, é verdade que ele teve mais anos de escolaridade, mas é verdade que eu sei governar melhor do que ele.”

Presidente Lula, em entrevista ao jornal da Record, da TV Record, na última terça-feira.

terça-feira, 27 de novembro de 2007

A culpa é da vítima

Sabe-se, desde a semana passada, que as autoridades de segurança do Pará não têm nada a ver com o martírio da adolescente que conviveu com mais de 20 homens numa cela de delegacia paraense. O país cobra, porém, um culpado – ou culpados.

Busca-se freneticamente um demônio, qualquer demônio, para lhe devolver a guarda de todas as culpas. Alguém que possa eximir uma delegada, uma juíza, uma secretária de segurança, uma governadora, um governo inteiro do exame de todo o mal. A começar pelo mais difícil dos exames: o auto-exame.

Deve-se ao delegado geral da Polícia Civil do Pará, Raimundo Benalussy, a descoberta do demônio, esta deidade de mil e uma utilidades. Atende pelas iniciais L.A.B.. Veste saias. Tem 15 anos. Sim, ela mesma. A culpada de o Brasil ter escalado o noticiário internacional como uma nação de selvagens é justamente a vítima da selvageria.

Em audiência pública realizada no Senado, o delegado Benalussy declarou que a menina L.A.B. “tem certamente alguma debilidade mental". Por que? Ora, porque "em nenhum momento ela manifestou sua menoridade penal" às autoridades que a trancafiaram na cela com mais de 20 marmanjos.

Cezar Britto, presidente nacional de OAB, estranhou: "Mata-se [o índio] Galdino e dizem 'desculpa, pensei que era um mendigo'. Ataca-se uma empregada doméstica, 'desculpe, pensei que era uma prostituta'. Agora se diz a mesma coisa, 'não sabia que era uma adolescente', como se fosse menor o crime de ter uma mulher sendo estuprada sob os olhos coniventes do aparelho estatal."

A governadora Ana Júlio Carepa desautorizou o subordinado Benalussy. Mas esquivou-se de dizer se vai afastá-lo de suas funções. Quanto a L.A.B., a grande culpada, aguarda pelo resultado dos exames que irão informar se contraiu Aids ou se saiu grávida do cárcere paraense de Abaetetuba. De concreto, por ora, tem-se apenas que as autoridades do Pará não têm nada a ver com nada.

Do blog do Josias de Souza.

Apoio ao esporte

Que Xapuri é uma força esportiva no estado ninguém duvida. Uma prova cabal disso foi a conquista do campeonato estadual de futsal pelo Atlético Xapuriense no último final de semana. A equipe xapuriense já havia conquistado um título importante no ano: a Copa Intermunicipal de Sena Madureira.

O que surpreende é que o município consiga resultados mesmo sem que haja apoio formal às iniciativas em prol do esporte. O Atlético disputou a competição aos trancos e barrancos, do ponto de vista da estrutura para as viagens e jogos, contando com o apoio informal de um ou de outro entusiasta, como o professor Julinho Figueiredo e o empresário Celso Paraná e outros.

O técnico e jogador da equipe, Mauro Lopes, já avisou que desta forma o time não terá condições de disputar as competições para as quais se qualificou com a brilhante campanha de 2007. Segundo ele, uma comissão será formada para discutir o planejamento e correr atrás de apoio. É hora de se cobrar uma atenção maior do parte dos empresários da cidade. Apoio ao esporte tem retorno garantido.

Quanto à prefeitura, não atrapalhando já ajudará bastante.

Concurso da Saúde é adiado

A Secretaria de Saúde do Acre emitiu nota oficial anunciando o adiamento da data para participação no concurso simplificado que estará contratando 160 profissionais em várias áreas da saúde. As inscrições poderão ser feitas entre 17 e 21 de dezembro deste ano.

De acordo com o secretário-adjunto de Saúde, Sergio Roberto, a medida é administrativa e visa dar condições para a Secretaria melhor organizar o certame.

domingo, 25 de novembro de 2007

Árvore desconhecida




















Visitando o seringal Cachoeira, durante o final de semana, descobri esta estranha árvore ainda não catalogada pelos cientistas. Que espécie será?

Na postagem abaixo, informações sobre o início do funcionamento da Pousada Ecológica.

Turismo Ecológico

Uma semana após ser inaugurada pelo governo do Estado, a Pousada Ecológica do seringal Cachoeira, em Xapuri, já atrai turistas de vários pontos do país. Empreendimento gera emprego e renda, oferecendo benefícios diretos à comunidade local.

Neste último final de semana a pousada recebeu um grupo de 40 turistas que vieram dos estados do Amazonas, Pará e Roraima. As principais atrações oferecidas pela pousada são as trilhas pela floresta, onde o turista tem contato com a exuberância das matas da região e vivencia o modo de vida e de trabalho do seringueiro.
De acordo com o agente de turismo Regileno Costa, atual gerente da pousada, novos atrativos devem ser introduzidos em breve. O turista, por exemplo, vai poder pescar no açude que fica ao lado dos chalés, no sistema "Pesque e Pague", além de fazer passeios de cavalo e charrete.
Outra atração será o arborismo, atividade que consiste em passar de uma árvore para outra através de pontes suspensas, integradas ao ambiente, não comprometendo o desenvolvimento da vegetação e o visual da mata, tornando assim possível a observação de pássaros e outros animais.
O empreendimento, que custou cerca de 200 mil reais aos cofres do estado, está gerando benefícios diretos aos moradores do seringal cachoeira. Além de empregos, a pousada está gerando renda através da compra de produtos regionais oriundos do próprio seringal e regiões vizinhas.
Na cozinha da pousada pode-se encontrar uma grande variedade de frutas da região, como abacaxi, banana, castanha, mamão, além de outros produtos como doces e biscoitos, tudo feito por gente da comunidade.
No momento, 11 pessoas da comunidade estão trabalhando na pousada, mas esse número deve subir para 15 com o aumento da demanda de serviços. Cerca de 30 pessoas foram capacitadas pela Secretaria de Turismo, através do Instituto Dom Moacir, e estão aptas a serem contratadas.
Para a moradora da comunidade do seringal Cachoeira, Íris Arruda de Oliveira, que foi contratrada como cozinheira, a pousada é um sonho realizado por todos que viram nascer ali uma luta por melhores condições de vida para os seringueiros. "Pena que o Chico (Mendes) não está aqui entre nós, mas a realização deste sonho significa que sua luta não foi em vão".
Para obter informações sobre como agendar estadia na pousada ecológica do cachoeira as pessoas devem entrar em contato com a central de atendimento ao turista, em Rio Branco, através do telefone (3222 7661).
Em Xapuri os telefones para contato são: (3542 2227 e 9979 3551).
As diárias variam entre 50 e 180 reais.

Xapuri é campeão estadual de futsal

O Atlético Xapuriense confirmou a superioridade que manteve durante toda a competição e se sagrou campeão estadual de futsal pela primeira vez na história. A equipe de Xapuri não tomou conhecimento do adversário na decisão, o Bentevi da capital, e venceu fácil pelo placar de 5 a 3, mesmo sem fazer uma de suas melhores atuações.

A noite foi de festa para a equipe que dominou todo o campeonato e venceu os dois turnos da competição de forma absoluta e incontestável. Os gols do Atlético foram marcados por Rafael (2), Gérbson (Gereca), Neto e Mauro. A equipe tem agora um novo e importante dasafio pela frente: a disputa da Taça Brasil no próximo ano.

Parabéns a toda equipe e comissão técnica pelo título e pela maneira séria com que se dedicaram à conquista da competição que ratifica a condição de Xapuri como uma das principais forças do esporte no Acre.

sexta-feira, 23 de novembro de 2007

Rua Rodovaldo Nogueira

A prefeitura de Xapuri deu, enfim, início às obras de pavimentação das ruas cujos recursos oriundos de convênios federais já estão disponíveis há algum tempo. Não há nada de espetacular no fato, aliás era isso que a população queria ver acontecer desde o início deste traumático e obscuro mandato.

Aplicar com responsabilidade e transparência os recursos públicos é sim uma atitude digna de mérito para qualquer administrador. Não passa, no entanto, de mera obrigação com àqueles que são os legítimos donos dos recursos e dos benefícios que eles podem trazer.

O que a atual administração não pode, através da propaganda feita pela sua assessoria, é fazer crer que os xapurienses têm o nariz furado de banda para acreditar que basta colocar algumas máquinas para trabalhar, depois de três anos de ociosidade e bagunça generelizada, para poder posar de destaques da administração e vítimas daqueles que torcem contra Xapuri.

Lendo as postagens assinadas pelo professor Joscires Ângelo, pessoa por quem tenho imenso respeito e reconhecimento pela competência que possui, apesar de atuarmos em campos opostos, percebo claramente a intenção de vitimizar o dirigente maior da municipalidade diante daqueles que são "amantes das más notícias".

O professor Joscires Ângelo representa um dos poucos registros de vida inteligente nesta administração. Sabe, por isso, que não torço contra Xapuri, e sim o contrário. Meu desejo é que o último ano da atual gestão seja o melhor da história, em termos de realizações de alcance social coletivo, apesar de ser muito sincero para dizer que duvido que isso aconteça.

Não trabalho para grupos ou partido, por isso tenho a liberdade de dizer que labuto pela comunidade e em prol desta me manifesto e coloco-me, como sempre fiz, à sua disposição para debater e reivindicar o que é da conta do povo. Em virtude desse objetivo sempre fiz questionamentos à falta de informações quanto aplicação desses recursos. Se estavam disponíveis, sobre os processos de licitação. Jamais fiz acusações levianas contra a administração.

Confesso que já fiz insinuações e levantei dúvidas quanto ao comportamento de se negar a informação que é de interesse público. Pode não haver quem prove, até o momento, a existência concreta de falcatruas na prefeitura, mas também não há um nesta cidade que confie na plena lisura da administração. Desconfiar não é crime e perguntar não ofende. Quer dizer... a alguns ofende, sim.

Termino dizendo que estou ansioso pela conclusão da pavimentação da Rua Rodovaldo Nogueira. Praticamente vivo ali e não quero que fique inconclusa como outras tantas. Espero que a ânsia pelo voto da reeleição desperte o interesse pela cidade e que as obras venham. Só espero que a população não se deixe levar por essa tática manjada. Os maus-tratos por que passa a cidade não podem e não devem ficar impunes.

Em tempo: pesquei a foto sem pedir no blog da Assessoria da Prefeitura, assinado pelo professor Joscires, a quem quero parabenizar pela iniciativa. Esse espaço é realmente importante para levar ao público informações que muitas vezes, pelas divergências políticas, deixam de chegar aos veículos de comunicação oficiais. Sou visitante diário.

Espaço democrático

Caro amigo Raimari,

Quero agradecer-lhe o espaço deste Blog onde pude de forma democrática expor os fatos acontecidos. Aproveito o momento para registrar que recebi dezenas de telefonemas de pessoas amigas de Xapuri que concordam com o meu ponto de vista e que gostariam de expressar tudo o que por mim foi colocado. Infelizmente, por medo de perseguição e represália ficam no anonimato, mais que torcem para que todo esse pesadelo tenha fim. Deixo registrado que sou diferente de “alguns” e não estou aqui para caluniar as pessoas, mas sim para propor discussões mais amplas a respeito de uma Xapuri verdadeiramente RENASCIDA.

Obrigada!

Tenha certeza que lutaremos juntos por uma Nova Xapuri! E desta vez do lado certo.

Márcia Pereira

  • É sempre uma enorme satisfação receber opiniões a respeito da nossa cidade. Abrir espaço para propostas e sugestões para a reconstrução de Xapuri é o grande objetivo deste blog. Não podemos calar diante dos absurdos que somos obrigados a suportar por anos a fio. O espaço é de todos. Fiquem à vontade para postar. ( O editor do blog).

quarta-feira, 21 de novembro de 2007

Assessoria da prefeitura responde

Um Direito de Resposta para uma Resposta de Direito "Explicações ao Meu Povo".

Lendo a Postagem da Senhora Márcia Pereira no Blog do Sr. Raimari Cardoso intitulado "Explicações ao Meu Povo", esta Administração não pode ser omissa em deixar de dar as devidas explicações ao fato de que algumas inverdades foram proferidas por esta Senhora e publicadas na Rede Mundial de Computadores.

Primeiramente analisando todo o conteúdo, podemos caracterizá-lo de uma hipocrisia monstruosa, hipocrisia sim visto que tal expressão se caracteriza pelo ato de fingir ter crenças, virtudes e sentimentos que a pessoa na verdade não possui. A palavra deriva do latim hypocrisis e do grego hupokrisis ambos significando representar ou fingir. Já comtempla o titulo do texto onde friso MEU POVO, que povo, o mesmo que nao lhe achou capaz de representa-lo na Camara de Veradores, já que nao lhe elegeram, povo este esquecido até a presente data.

Interessante que em muitos trechos a Senhora Marcia se coloca como a Salvadora da Patria, de que tenha feito isso ou aquilo por esta cidade, peca na modéstia, novamente recorro a inteligencia de todos para conceituar e relembrar que qualquer bom Profissional que se preze é repleto da virtude da modestia que abrange um jogo de cultura ou valores religiosos determinados que relacionam-se uns aos outros, incluindo a moderação em uma ação ou aparência, não desejando atrair atenção imprópria para si, sendo humilde nao subestimando uma realização, que nao externa uma falsa modéstia, uma forma de vangloriar-se auto-humilhando-se falsamente.

A apedeuta Márcia usa de uma ironia incontestável usando de uma leviandade incompreensível, para falar sobre a atual Administração, esquece de que não foi ela quem solicitou exoneração, mas sim de que foi destituída duas vezes do cargo que ocupava, equivoca-se em sobrepujar as ações do Prefeito Vanderley, se os acontecimentos que levaram a exoneração de seu marido desta Administração e consequentemente a própria, foram simplesmente os desmandos desta Senhora, os acordos noturnos celebrados com intuito de prejudicar a Administração, da insatisfação dos funcionários no convívio diário, enfim da falta de humanidade externada pela mesma.

Interessante que a apedeuta Márcia lista uma serie de autoridades que supostamente reconhecem o fictício trabalho realizado por ela nesta Administração em sua breve permanecia por dois distintos períodos, mas ironicamente os citados são todos inimigos políticos do Prefeito Vanderlei. Coincidência não.......Quanto a que a Sra. Márcia refere-se a não poder se calar, verdade.. concordamos plenamente, porém tem que iniciar falando dos planos confeccionados por ela e o respectivo esposo em papel rascunho dessa administração e agora devidamente sob posse desses Administradores, que trata de valores e dividendos financeiros acerca de das beneficies de lucro em permanecer em Xapuri ou ir para Capixaba, incluindo inclusive nessas anotações de como seria realizado tal ação.

Esquece a Sra. Márcia de falar que pelas duas vezes que saíra dessa Administração obteve o mesmo comportamento em sorrateiramente denegrir a imagem dos integrantes que permanecem, quizera ter a compreensão de que cargo público não é propriedade ou gancho de beneficio financeiros.

Por fim como a "Intelectual Márcia " cita muito bem Eric Hobsbawn, permito-me citar para reflexão quatro grandes celebres Pensadores, Primeiramente Lao Tse "Reaja com inteligência, mesmo que o ataque não seja inteligente" acerca do contexto do ataque da Postagem, depois sobre a avaliação da Administração cito James Branch Cabell"O otimista proclama que vivemos no melhor dos mundos. O pessimista teme que seja verdade. ", quanto ao relacionamento e aos supostos ataques proferidos pelo Prefeito Vanderley Viana a reclamante, tomo a liberdade de usar as citações do Padre Mustafá "Algumas pessoas dão e perdoam, Outras recebem e esquecem." e quando a toda a capacidade externada pela mesma sugiro a ser mais fraterna ao próximo e faço minhas a citação de Sófocles "A coisa mais bela consiste em ser útil ao próximo. "

Que todos possam na luz da Verdade avaliar as circunstancias ora externadas.

Assessoria Prefeitura

  • A resposta foi postada neste blog assinada por "Assessoria da Prefeitura", mas está publicada também no recém-lançado blog Xapuri News, subscrito pelo assessor do prefeito Vanderley Viana, Joscires de Oliveira Ângelo, que responde pelos cargos de Chefe de Gabinete e Secretário de Planejamento do município de Xapuri.

terça-feira, 20 de novembro de 2007

Explicações ao Meu Povo

Márcia Pereira

Depois de tanto tempo no anonimato, resolvi escrever para externar minha imensa satisfação por saber que se organiza um movimento apartidário intitulado Reaja Xapuri, criado com o objetivo de discutir e reverter o quadro caótico que o município se encontra atualmente.

Confesso que sou uma eterna apaixonada pela vontade de contribuir para ver o povo de minha terra mais feliz. Por este motivo, sinto-me hoje bem à vontade para criticar ou até mesmo elogiar (se merecesse) a atual administração, digo isto porque suei a camisa e fui peça decisiva no Projeto “Pra Ver Xapuri Renascer” e mesmo assim não recebi o merecido respeito.

Confesso que sou boa discípula do grande historiador Eric Hobsbawm e “minha tarefa é lembrar aquilo que as pessoas esquecem”. Portanto, proponho que façamos uma pequena viagem ao túnel do tempo.

Em junho deste ano, recebi um segundo convite do atual administrador de assumir o cargo da chefia de gabinete da Prefeitura de Xapuri. Confesso que fiquei surpreendida e comovida com supostas palavras de arrependimento e falsas promessas de mudança, aliás, o que lhe é bem peculiar próximo ao período eleitoreiro. Pensei bastante e aceitei, motivada por um objetivo simples e claro: Voltar à minha cidade e fazer valer o Slogan conquistado na última campanha para eleições municipais por pessoas que tinham como objetivo resgatar a Princesinha. Cito com carinho nomes tradicionais do PMDB de Xapuri como o das professoras Miriam e Sônia Pereira, Marilza do Socorro, Deputado Chagas Romão, Damião Bispo e outros mais que seria até difícil enumerar.

Durante minha permanência na cidade me empenhei, concentrando todos os esforços no trabalho para que houvesse a mudança tão esperada. Buscava parcerias com o Governo do Estado e não media esforços para que tal fato viesse a acontecer e conseqüentemente beneficiar a população. O trabalho por mim prestado ganhava o reconhecimento de pessoas ilustres como os Prefeitos Celso Ribeiro (Senador Guiomard), Raimundo Angelim (Rio Branco), Zila Bezerra (Cruzeiro do Sul), Leila Galvão (Brasiléia), José Ronaldo (Epitaciolândia), Nilson Areal (Sena Madureira) Carlos Alberto (Assessor Especial do Governo do Estado), Gilberto Siqueira (Secretário de Estado de Planejamento) e outros mais.

O grande problema não estava no trabalho que vinha sendo desenvolvido, mas sim na forma pequena do Prefeito de Xapuri entender que a palavra mudança com responsabilidade e compromisso são passos fundamentais para que o povo viva com mais dignidade, justiça e humanidade. Façam uma pequena reflexão e tirem suas conclusões se o mesmo entende o que é mudança e melhoria de vida. Os meses passavam e tornava-se insuportável remar contra a maré. Viam-se diariamente idéias mesquinhas sendo colocadas em prática, tudo isso misturado a tantos desmandos, falta de diálogo, incompetência, arrogância e prepotências reunidas. Tudo bem diferente do que havia sido prometido. Não bastasse ainda um verdadeiro complô contra meu esposo Wermerson Fittipaldy. Decidimos voltar, solicitamos exoneração dos cargos, bem diferente do que o Prefeito costuma divulgar pela TV local e pelos quatro cantos da cidade numa frustrada tentativa de se fazer de vítima.

Mas, voltemos agora à realidade, pois a eleição está bem próxima e jamais vou me calar diante de tantos desmandos.

Clamo ao povo de minha terra que reflitam sobre os destinos de Xapuri, e ainda aconselho diante de tudo que vejo.

É HORA DE MUDANÇA, DE CRESCIMENTO E PROGRESSO. XAPURI PRECISA SAIR DO CAOS ADMINISTRATIVO QUE SE ENCONTRA. SERÁ NECESSÁRIO ELEGER UM ADMINISTRADOR QUE TENHA VISÃO DE FUTURO, E ACIMA DE TUDO EQUILÍBRIO PSICOLÓGICO, EMOCIONAL E SOCIAL.

Façam suas análises e tirem suas conclusões da atual situação!

E finalizando, para ser justa, agradeço em público ao Prefeito de Senador Guiomard Exmo. Sr. Celso Ribeiro o convite que me foi feito para trabalhar numa gestão tão dinâmica e empreendedora como a sua.

Obrigada e boa sorte povo que amo!

  • A professora Márcia Pereira é xapuriense e prima do prefeito Vanderley Viana. Junto com o marido, o também professor Wemerson Fittipaldy, esteve por duas vezes fazendo parte da equipe do atual governo municipal, que ajudaram a eleger. Até postar esse texto sob forma de comentário neste blog, a ex-secretária de educação e ex-chefe de gabinete não havia se pronunciado oficialmente sobre os motivos da última saída repentina da administração de Xapuri. Vítima de ataques constantes por parte do prefeito, Wemerson já havia escrito ao blog denunciando a existência de "um grupo de interesses dentro da prefeitura", o que seria um dos motivos de seu pedido de exoneração.

sexta-feira, 16 de novembro de 2007

Pousada Ecológica é inaugurada

Seringal Cachoeira, emblema da luta de Chico Mendes, ganha pousada ecológica

Visitantes terão acesso às tradições da floresta e ao turismo vivencial no palco dos grandes empates pelo desenvolvimento sustentável

Em março de 1988, três jovens seringueiros ouviam consentidos as idéias do fazendeiro Darli Alves em relação à exploração pecuária de 6.000 hectares de floresta encravados na fundiária do Seringal Equador, na região de Epitaciolândia.

A tudo quanto o fazendeiro propunha, os três confirmavam estar de pleno acordo e apenas ouviam, balançando a cabeça em sinal positivo, o projeto que na prática não apenas visava a substituição da floresta por pasto como eliminar de uma vez por todas e peremptoriamente a figura do extrativista. O seringueiro era o único obstáculo para o processo de devastação maquiado de desenvolvimento.

-Não vou fazer nada com vocês. Vou indenizar a todos quanto estiverem de acordo comigo -dizia Alves, segundo testemunho de Duda Mendes, um dos três rapazes que, movimentando a pá de farinha, ouviam o fazendeiro na casa do forno. O tom da voz, óbvio, era ameaçador.

A idéia de Darli, conforme o advogado Gumercindo Rodrigues, amigo e assessor de Chico Mendes, era iniciar a devastação pelos fundos do seringal, na região do Chipamano. Conquistando a fundiária, seu plano seria facilmente levado a cabo.

Darli virou as costas e os jovens primeiro procuraram o sindicato de Brasiléia, dirigido por Chico Mendes. Depois, partiram cada um a uma direção para avisar os moradores acerca daquele intento. "Saímos a cavalo, de burro, a pé para avisar o pessoal", lembra Duda Mendes, primo de Chico.

A partir desse comunicado, o Cachoeira viveu cerca de trinta longos dias de empates. O primeiro, nas Quatro Bocas, juntou pelo menos 60 pessoas e impediu a passagem da bagagem de dois pistoleiros que estariam tramando matar os seringueiros na colocação Brasil, marco inicial do nefasto plano de Darli Alves. O empate, pela sua própria natureza, era pacífico mas os seringueiros, criados na dura lida da floresta, estavam prontos para tudo.

O segundo, na Colocação Recanto, confrontou um grupamento de 45 policiais poderosamente armados, enviados para proteger os operadores de motosserra que iniciavam um grande desmate na região. "Na fila da frente estavam as crianças, depois vinham as mulheres, e os homens por último. Todos cantando o Hino Nacional", relata Duda. O pacifismo imposto pelo cântico levou os soldados a baixar as armas.

Emblema - Esse período é tido como emblemático na história recente do Cachoeira. Foi o que deu mais tutano à luta dos trabalhadores. "O queríamos era o direito de continuar sendo seringueiros", diz Rodrigues. Aqueles difíceis dias de empates, que em seu auge reuniu cerca de 300 homens, mulheres e crianças de vários seringais acreanos e bolivianos, acabou definindo a trajetória do Cachoeira. Todas as conquistas seguintes, como a transformação em projeto de assentamento extrativista, seriam conseqüência essencial daquele momento, não obstante a luta que vinha sendo construída décadas antes.

"Agora temos um conhecimento acumulado que não podemos abrir mão", disse nesta sexta-feira o governador Binho Marques após a assinatura do termo de cooperação de utilização da Pousada Ecológica Seringal Cachoeira e seus atrativos turísticos. O ato inaugurou o empreendimento que por si só resgata o legado de Chico Mendes e sintetiza uma importante experiência de sustentabilidade. "Temos aqui exemplo de capital social mas temos principalmente capital humano", completou o governador.

Equipamento da rota turística Caminhos de Chico Mendes, a pousada custou cerca R$200 mil e tem capacidade para abrigar 31 visitantes. Suas instalações contam com recepção, restaurante, cozinha, 1 chalé, 2 quartos com sala, 2 belichários (masculino e feminino) e dois apartamentos.

A proposta de administração é através de uma parceria público privada e comunitária (PPC).
Entre os que irão dar boas vindas aos turistas, vários familiares do líder Chico Mendes.

A expectativa é que a pousada tenha 70% de taxa média de ocupação. Vários outros equipamentos e serviços serão agregados ao longo dos próximos meses, como a prática do arborismo e o pesque-pague.

"Agora vejo que nossa luta compensou", diz Raimundo Monteiro, presidente da Associação dos Produtores e Moradores do Cachoeira. Monteiro ajudou Chico Mendes a fundar o Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Brasiléia e de Xapuri nos idos de 1975.

"Não apenas um negócio de turismo mas empoderamento comunitário", diz Cassiano Marques
O Instituto Dom Moacyr treinou nove moradores do Cachoeira para atuar na pousada. A meta é elevar para quinze o número de funcionários locais numa próxima etapa do projeto. A Secretaria de Turismo, Esporte e Lazer (Setul) manterá apoio permanente até que o negócio ganhe poder de gestão.

Os moradores são fornecedores preferenciais dos produtos consumidos na pousada, como frutas, doces, carne de aves domésticas e muito mais. Parte da receita financeira será destinada à associação de moradores.

Os visitantes irão conhecer como se procede a extração de látex e a coleta de castanha, por exemplo. Terão acesso a plantas de poder medicinal, as mesmas usadas pelos povos da floresta. Na mata completamente intocada, facilmente serão observados animais e aves em seu habitat.

"O que o Governo do Acre está trazendo não é apenas um empreendimento de turismo mas o empoderamento da comunidade", disse Cassiano Marques, secretário de Turismo, Esporte e Lazer. Binho e Marques firmam protocolo de intenções para apoiar a Fundação Elias Mansour no desenvolvimento de atividades culturais e de lazer no Cachoeira.

SERVIÇO

Pousada Ecológica Seringal Cachoeira Acre

Hospedagem

Promoção de inauguração para hospedagem de segunda a quarta-feira desconto de 30%. Inclui café da manhã.

Belichário: R$50
Apartamento: R$120
Chalé: R$180

Caminhadas

Trilha do Balde: R$3 por pessoa (duração: 30 minutos) pagamento mínimo de R$12
Trilha do Centro: R$5 por pessoa, duração de 1 hora, mínimo de R$20
Trilha da Coroa: R$7 por pessoa, duração de 2 horas, mínimo de R$30
Caminho do Seringueiro: R$10 por pessoa, duração de 4 a 6 horas, mínimo de R$40
Informações e reservas:

Central de Atendimento ao Turista (CAT): Avenida Getúlio Vargas, 91, Praça Povos da Floresta, Rio Branco (AC)Fones: 08006473998 e 32227661 (horário comercial).

Edmilson Ferreira
Agência de Notícias do Acre

quinta-feira, 15 de novembro de 2007

Xapuri sem reação

O movimento apartidário intitulado Reaja Xapuri, criado para discutir soluções para o futuro do município, se reuniu mais uma vez nesta quinta-feira. Desta vez com a presença de um técnico da Assembléia Legislativa que veio coordenar a elaboração de propostas que pretende-se levar ao governo do estado. No entanto, apesar do esforço de algumas lideranças, só meia dúzia de gatos pingados compareceram ao importante encontro.

Um fato que chamou atenção foi a ausência da grande maioria dos vereadores e de vários representantes de importantes organizações do município. Dificilmente se conseguirá qualquer reação contra a situação lamentavelmente vergonhosa em que Xapuri se encontra se não houver mobilização dos que se dizem representantes da comunidade. É hora de se deixar de lado as tolas vaidades e interesses pessoais em prol do resgate da dignidade desta terra.

A acomodação e o desdém dispensados por alguns aos problemas que estão sendo apontados podem resultar em uma situação bem pior que a atual após as próximas eleições.

Referências

A prefeitura de Xapuri inaugurou nesta quinta-feira três obras com direito a programação especial no Dia da República. Um "Centro de Referências Sócio-Educativas", uma pista de skate e o polêmico portal de entrada da cidade.

Pela manhã, durante o primeiro corte de fita, o prefeito Vanderley Viana afirmou que o "Pórtico" será, a partir de agora, a grande referência da cidade. Isso mesmo. O prefeito afirmou em alto e bom tom que a mal situada e pessimamente planejada obra será uma referência de Xapuri.

Nada contra o direito do prefeito em valorizar suas invencionices, mas valho-me do mesmo direito para dizer que na atualidade a grande referência da nossa cidade, para quem aqui chega, é o caos a que Xapuri está entregue.

Há algum esforço sim, do prefeito, em forçar a concretização de algumas parcas e desorganizadas obras, mas nada que traga efetivamente resultados para a melhoria de vida da população. Parece que falta conexão com esse objetivo.

Há investimentos do governo estadual na sua alçada. As fábricas, seus benefícios e etc. Mas a cidade está feia, esburacada e abandonada. A população de Xapuri está com a alto-estima baixa. O povo quer ter uma casa mais bonita, mais digna. Está, porém, acomodado, junto com seus representantes, e não reaje à situação.

Natex

Camisinha de látex nativo é 7% mais resistente e contém menos minerais, indicam testes preliminares. Os testes revelaram que no látex nativo a presença de minerais é 50% menor que no látex de cultivo.

A Natex, fábrica de preservativos masculinos de Xapuri, está em fase final de consolidação industrial e em dois meses, quando a certificação estiver concluída, inicia a produção em escala para suprir os programas do Ministério da Saúde com 100 milhões de unidades ao ano. A fábrica é a primeira do mundo a usar látex de seringal nativo e a única a manter em sua planta a usina de centrifugação. Esse agregado deverá a primeira a obter certificação de Boas Práticas e do ISSO 9000, selos que asseguram variantes de qualidade da mercadoria, sua cadeia produtiva e linha de produção.

As características comerciais da camisinha da Natex são similares às marcas tradicionais: tamanho stander (cerca de 180 milímetros) liso, opaco e com reservatório. Os valores somente serão confirmados a partir da intensificação dos testes.

Químico e administrador de empresas, Hamilton Bonveti aposentou-se após trinta anos trabalhando exclusivamente com fabricação de camisinha mas em seguida foi contratado como consultor da Natex. Segundo ele, há 14 meses no Acre, o preservativo acreano alcança o mercado com cerca de 10% a menos de custo de produção. Hamilton trabalhou nas três indústrias existentes no Brasil -Jonhson & Jonhson, Inal e Blowtex -e vê no projeto "algo diferente, um desafio interessante".

A Natex tem fornecedores em 700 colocações georeferenciadas e com banco de dados socioeconômicos. Em 2000, quando o projeto começou, o próprio processo tratou de criar a figura do "pára-florestal", pessoas que conheciam a realidade das comunidades extrativistas que serviam de assistentes para os técnicos. Um dos remanescentes dessa geração trabalha atualmente na usina de centrifugação da Natex.

Ricardo Ferreira da Silva, 25, conhece com detalhe cada etapa do projeto e sabe que não se trata de apenas mais um empreendimento comercial. "Muita gente está sendo beneficiada", diz. De fato, a cadeia de produção envolve centenas de famílias que tiveram suas colocações georeferenciadas para se saber exatamente quem são, onde estão e como vivem os extrativistas que fornecem látex para a fábrica. A área de abrangência da fábrica chega a um milhão de hectares. Os seringueiros estão treinados e aptos à participarem do projeto mas novos trabalhadores se juntaram ao processo porque a área construída da fábrica prevê ampliação de maquinários para produção de mais 180 milhões de preservativos. No total, deverá produzir 280 milhões de unidades/ano.

A Natex paga R$4,10 pelo quilo de látex já computado o subsídio estadual. O programa que a mantém envolve 24 seringais da Reserva Extrativista Chico Mendes e adjacências. Em sua plenitude, pelo menos 700 famílias estarão fornecendo o látex. De acordo com a Fundação de Tecnologia do Acre (Funtac) a infra-estrutura logística envolve diretamente 1.000 famílias que residem na área e indiretamente toda a população de Xapuri.

"Estamos em fase treinamento de pessoal e de conclusão da certificação para iniciar a produção em escala", explicou Dirlei Bersch, gerente geral da fábrica.

Experimentos mostram superioridade nativa

Foram investidos R$34 milhões na unidade que se assemelha a uma estação de experiências. Ali, por exemplo, descobriu-se que a rentabilidade do látex nativo é 7% ou 8% superior a do látex extraído em seringal de cultivo. Lotes da camisinha da Natex chegaram a suportar 50 litros de ar no teste de capacidade volumétrica enquanto a o similar fabricado no sistema tradicional agüentou máximo de 36 litros de ar antes de estourar. Isso não quer dizer que seja de má qualidade mas mostra que o material de látex nativo tem realmente mais resistência.

Os testes revelaram que no látex nativo a presença de minerais é 50% menor que no látex de cultivo. "No seringal nativo não há uso de produtos como ferro ou zinco para manter a produção", diz o gerente industrial da fábrica, David Melo, buscando explicar esse teor. Menos minerais significa mais resistência.

Quanto à pressão, realizada no mesmo teste, a camisinha convencional marca 1,80 Kpa e a nativa, até 2,1 Kpa, uma das medidas para definir a qualidade do produto. Pela regulamentação internacional do protocolo RCA, a marca mínima é 1.

Parte do projeto do látex, Fogão Geraluz completa um mês.

Como benefício social o projeto está implantando melhorias que englobam a implantação de módulos sanitários e de captação de água, além de placas solares e fogões que cozinham e produzem eletricidade ao mesmo tempo.

O fogão foi entregue experimentalmente há um mês na reserva Chico Mendes para famílias que moram distante da rede convencional. De acordo com Antonio Maia, trabalhador da Natex e cuja casa está sendo iluminada com o Geraluz, sua família já não consegue mais ficar sem a mini-usina cedida pelo Governo do Acre. "É muito bom. A luz é boa, a gente liga o rádio e pode cozinhar", diz ele, que mora na Colocação Rio Branco, no Seringal Floresta.
A Fundação de Tecnologia do Acre (Funtac) entregou 25 unidades da usina.

DADOS GERAIS DA FÁBRICA DE CAMISINHAS MASCULINAS DE XAPURI

*Produção anual: 100 milhões de unidades ao ano
*Empregos diretos: 150
*Seringueiros envolvidos na coleta do látex: 400 famílias (1º ano)
*Consumo anual de látex: 500 mil quilos (in natura)
*Investimentos: R$34 milhões

Impacto é redução do desmate e inclusão social

Mesmo sem operar comercialmente, a Natex já produz impactos sociais, econômicos e ambientais. "O seringueiro não quer mais derrubar porque sabe que pode ganhar dinheiro com a mata", diz Julielmo de Aguiar Corrêa, gerente da usina de centrifugação de látex da Natex, baseado na experiência de vários anos convivendo com as comunidades. Segundo ele, há seringueiros que chegam a ganhar R$1,4 mil por mês durante o trimestre da extração. A notícia tem levado ao repovoamento de muitas colocações que estavam abandonadas.

Nesta fase, a fábrica emprega 70 pessoas, todas moradores da região.

Edmilson Ferreira
Agência de Notícias do Acre

quarta-feira, 14 de novembro de 2007

Eleição para diretores escolares

A Secretaria Estadual de Educação divulgou hoje a relação dos candidatos habilitados a participar do processo eletivo para diretores escolares.


Em Xapuri os candidatos são os seguintes:


Divina Providência:

Elsivânio Franco da Silva


Anthero Soares Bezerra:

Eliana Pereira de Oliveira


Latife Zaine Kalume:

Maria Moncada da Silva

Márcia de Souza Maciel

Eucilene dos Santos Alves


Madre Gabriela Nardi:

Célio Barroso do Nascimento

Maria das Neves Santos Amorim

Suélia Socorro Martins de Souza


Plácido de Castro:

Maria de Fátima Costa Araújo

Maria Vieira de Morais

Terezinha de Jesus Gomes Zaine

A Secretária Estadual de Educação, Maria Corrêia, publicou mensagem aos candidatos:

Caro professor,

A SEE inicia mais um processo de escolha pela comunidade escolar dos novos gestores das escolas da rede estadual de educação.


O processo, que a cada eleição se aperfeiçoa, consolida a gestão democrática das nossas escolas, enquanto conquista de todos: dos professores e funcionários administrativos, através dos sindicatos da educação, dos pais e alunos, por meio de suas representações nos conselhos escolares e da SEE, enquanto instituição que define políticas públicas de educação para o Estado.


Diante das conquistas alcançadas pela educação no Acre, ao longo desses quase 9(nove) anos, o principal desafio que hoje se coloca para a escola é o de formar um ambiente desafiador, mas ao mesmo tempo prazeroso para os alunos dos diversos níveis e modalidades de ensino, fazendo com que todos sem exceção, aprendam no tempo em que ficam na escola.


Não se trata simplesmente da escolha de quem vai dirigir por 4(quatro) anos nossas escolas, mas do responsável pela melhoria e qualidade de ensino que será oferecido.


Para que isto ocorra, é preciso que haja compromissos e metas por parte de quem dirige uma instituição de ensino. Portanto, é muito importante o envolvimento de todos neste processo democrático, tendo consciência de que o que está em jogo é o futuro da educação acreana.

MARIA CORRÊA DA SILVA
Secretária de Estado de Educação

segunda-feira, 12 de novembro de 2007

Xapuri é campeão estadual de Jiu-jitsu

Xapuri foi o grande vencedor por equipe do XI Campeonato Estadual de Jiu-jitsu realizado neste final de semana no próprio município. A equipe xapuriense conquistou 11 medalhas de ouro, 6 de prata e 4 bronze. Somou 124 pontos contra 62 da equipe vice-campeã, a Academia Rei Peres de Rio Branco. Todos os 21 atletas da equipe de Xapuri conquistaram medalhas. Essa foi a primeira vez que a competição estadual foi realizada no interior.

domingo, 11 de novembro de 2007

Saúde e Segurança do Trabalhador da Floresta

Foi realizado neste final de semana o I Seminário de Saúde e Segurança do Trabalhador da Floresta, no auditório do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Xapuri. O evento foi organizado pelo Centro de Referência do Trabalhador - CEREST - e pelo próprio Sindicato.

Durante o seminário os trabalhadores expuseram aos participantes como é a sua rotina de trabalho na zona rural. Uma das preocupações levantadas foi quanto ao uso da amônia na conservação do látex destinado à fabrica de preservativos. O produto é adicionado ao leite de seringa para que ele não coagule e assim possa chegar à fábrica.

Há a preocupação com o contato que os seringueiros mantêm com a substância. A amônia seria mesmo necessária na produção dos preservativos? Existem dúvidas com relação ao risco para a saúde dos seringueiros que manipulam o produto químico em condições rudimentares.

Moradores do lado esquerdo do Rio Acre, que compreende o Bairro Sibéria, Gleba Sagarana, Assentamento Tupá e Reserva Extrativista Chico Mendes reivindicaram das autoridades da saúde a disponibilidade de um veículo traçado para fazer o transporte dos doentes dessa região e um barco tipo voadeira para transportar ribeirinhos em casos de emergência.

Com informações do blog Xapuri Rural.

Banco Mundial anuncia investimentos no Acre

Andréa Zílio

A vice-presidente do Banco Mundial, Pamela Cox, afirmou que a experiência acreana de desenvolvimento sustentável só foi possível por causa da existência de “um governo forte”. Ela encerrou visita ao Estado neste domingo, 11, conhecendo espaços culturais de Rio Branco

A vice-presidente do Banco Mundial para a América Latina e o Caribe Pamela Cox, anunciou investimento de US$ 120 milhões de dólares que serão aplicados nas áreas de educação, saúde e desenvolvimento comunitário. O Governo dá a contrapartida no valor de US$ 30 milhões de dólares. O prazo de execução do projeto é de 5 anos a partir de 2008.

A política de Florestania foi o que mais chamou a atenção da visitante, que afirmou ser este, um modelo aliado para que o Acre conquiste parceiros como o Banco Mundial. “Dizem que o Acre é o fim do mundo, mas não é verdade, pois ele é o coração. O seu modelo de desenvolvimento é exemplo para o futuro melhor da Amazônia e do Brasil”, comenta.

Pamela Cox afirma ainda que é essencial ter um governo forte, e acredita que o Acre se encaixa nesse perfil ao apresentar uma outra forma de desenvolvimento. Por isso, o Banco Mundial se propõe a apoiar algumas iniciativas como os novos programas.

Depois do encontro com o governador Binho Marques realizado na quarta-feira, Cox cumpriu extensa agenda que incluiu visitas à fábrica de preservativos em Xapuri, à usina Álcool Verde e ao Seringal Cachoeira. Aproveitou para conversar com seringueiros e pessoas de outras comunidades.

Acompanhada de sua equipe e dos secretários do Governo do Acre, ela comentou em coletiva a imprensa, as impressões sobre o Acre. “Tive oportunidade de aprender sobre os desafios do Estado e o modelo de seu desenvolvimento, a Florestania, que une o uso o correto da floresta e a cidadania, e isso é importante para o mundo”, ressalta.

Pamela diz que escolheu o Acre para realizar a visita de cortesia porque “o Acre é único”, reforçando ainda mais sua admiração pelo modelo de desenvolvimento implantado nos últimos 9 anos. Aproveitando cada hora de sua estada, a vice-presidente do Banco Mundial continua sua agenda neste domingo em um passeio turístico pela cidade. Para ver um pouco da cultura acreana, visita a Usina de Arte João Donato antes de partir.

Ela e o Banco Mundial – A americana Pamela assumiu o cargo de vice-presidente do Banco Mundial para a América Latina e o Caribe, em janeiro de 2005. Economista especializada em desenvolvimento, atuou em postos de gerência em diversos países e regiões desde seu ingresso no Banco.

O Banco Mundial que trabalha com o Brasil desde 1949, atualmente tem projetos em curso ou planejados no Amapá, Amazonas, Pará e Acre. Ele também é ativo dos nove estados do Norte no Programa Piloto para a Proteção das Florestas Tropicais Brasileiras, no Programa Nacional do Meio Ambiente e no Programa Áreas Protegidas da Amazônia.

Agência de Notícias do Acre