quinta-feira, 31 de maio de 2012

Conexão Fest

P5260517

O evento musical realizado no último final de semana pelo grupo Flash Back foi um sucesso. A 1ª Conexão Fest Xapuri apresentou o que há de melhor no Acre em termos de música, som e iluminação. Além do grupo Flash Back, o show do último sábado (26) teve a presença das bandas Agytus, de Xapuri, e Sandra Melo e Banda, da capital acreana.

50

Acima, os músicos da banda Flash Back e convidados. Da esquerda para a direita: Antônio Magão, Almir Santana, Josinei, Luís Beleza e Zequinha Amorim, o quinteto responsável pela abertura do espetáculo. E a coisa não deve ficar nisso. Magão e Beleza pretendem reeditar o evento nos próximos anos.

Em tempo: o músico Antônio Magão completa mais um ano de vida neste 1º de junho. Parabéns para ele, tanto pelo sucesso da 1ª Conexão Fest Xapuri quanto pela passagem do aniversário.

quarta-feira, 30 de maio de 2012

Despedida

Vascaínos homenageiam o ex-vereador, dirigente e comentarista esportivo Chico Evangelista, o homem que dedicou sua vida a Xapuri ao time da Cruz de Malta.

P5290822

Foi sepultado na manhã desta quarta-feira (30), no cemitério São José, em Xapuri, o corpo do ex-vereador Francisco Evangelista de Abreu, o Chico Evangelista, cuja vida foi dedicada em grande parte ao Vasco da Gama, uma das equipes mais tradicionais do futebol xapuriense, nascida da paixão pelo clube homônimo de São Januário, do Rio de Janeiro.

Dezenas de amigos e conhecidos prestaram a última homenagem comparecendo ao velório, ocorrido na Câmara Municipal de Xapuri, vestindo a camisa do Vasco da Gama. No percurso até o cemitério, a bandeira do time carioca foi carregada logo atrás do caixão, em justa e merecida deferência a um dos maiores baluartes do esporte xapuriense.

O Vasco da Gama xapuriense foi de um tempo em que o campo do velho estádio Góes e Castro, posteriormente transformado em Álvaro Felício Abraão, era cercado apenas por cordas e por uma pequena arquibancada onde uma enorme multidão se espremia para ver jogar craques do porte do lendário zagueiro Curica, cuja fama atravessa os tempos.

Os jogos eram transmitidos pela Rádio Educadora 6 de Agosto, que tinha locutores esportivos de qualidade, como Andrias Sarkis e Aílton Farias, entre outros. Os campeonatos da 1ª e 2ª divisões eram disputadíssimos e a seleção de Xapuri, que disputava competições intermunicipais era fortíssima. Equipes de outros municípios do Acre e até da capital sofriam ao encarar o “selecionado xapuriense” tanto dentro quanto fora dos seus domínios.

Foi neste bom e romântico tempo do futebol xapuriense que Chico Evangelista, além de dirigente esportivo, se destacou também como comentarista esportivo nas transmissões da Rádio Educadora 6 de Agosto. Seus comentários, que começavam sempre com o bordão “Por sinal…”, entraram para o folclore do futebol local pelo estilo próprio numa época em que era moda imitar as estrelas das rádios Globo e Nacional, do Rio de Janeiro.

Nos dois últimos anos, já debilitado pela doença, Evangelista voltou a organizar o Vasco da Gama de Xapuri depois de muitos anos de ausência do clube nas competições municipais lançando dois times para a disputa da primeira e da segunda divisão. Foi o seu reencontro e a sua despedida daquilo que certamente foi a coisa que ele mais gostou de fazer em sua vida.  

P5290837

Na imagem acima, da esquerda para a direita, aparecem Zé Duda, Antônio Magão, Eriberto Mota, Jair Nogueira e José Maria Miranda. Mais atrás, José Elias Fadúl, Ormindo Salim e Maricélio Lima, alguns dos velhos amigos e conhecedores da história de mais uma figura importante da sociedade xapuriense que parte para o plano divino.

“Papai Evangelista”

[1012090851413.jpg]

Rosinha Evangelista

Boas lembranças de um cidadão apaixonado pelo esporte e pelo seu time, o Vasco da Gama. Lembro muito do meu velho pai dirigindo o seu time de coração.

Tenho muitas lembranças dessa época, quando meu pai tentava levar para a sua equipe os melhores jogadores. Ainda pequena, acompanhava papai escalando a sua equipe para disputar campeonatos xapurienses em que tinha como adversários o time do Santos, América e etc.

Lembro muito do Mirim, de uma geração anterior a essa, que citarei nomes, como de Julinho Figueiredo, Mário Jorge , Sarrafinha, Jânio Maciel, dentre outros que não recordo o nome nesse momento.

Todas fizeram história nessa equipe em que meu pai muitas vezes tirava recursos do próprio bolso para custear as despesas de material para o seu time. O jogador não recebia nenhum recurso financeiro, jogava pela raça e amor pelo seu time. Foram vários campeonatos em que muitas vezes o Vasco foi campeão com disputas fortíssimas entre os rivais América e Santos.

Todos os sábados os xapurienses contava com esse lazer. Também contava com um público fiel que se formava em torcidas pelos seus times preferidos. A família Mota, fiel a seu time de coração, o América, a torcida do Santos e, é claro, do Vasco da Gama, se entregavam e participavam euforicamente daquelas partidas de futebol.

E Quando meu pai não estava dirigindo o seu time, estava participando dos comentários dos jogos que eram transmitidos pela Rádio 6 de agosto.

Parabéns, papai EVANGELISTA, por fazer história no futebol, na política, na Polícia Civil e como bom cidadão xapuriense. Tenho muito orgulho de tê-lo como pai.

A todos xapurienses, e os que, junto com meu pai, fizeram do futebol de Xapuri grandes eventos esportivos, tenham certeza, vivemos momentos que nos deixaram boas lembranças e que deverá servir de exemplo para essa nova geração de jovens esportistas e para todos que gostam de esporte.

Rosinha Evangelista é produtora da Radiobrás há 23 anos, 11 dos quais no programa mais antigo do rádio brasileiro: A Voz do Brasil. Ela enviou esse texto ao blog em 2010, quando noticiei aqui que o eterno dirigente do Vasco da Gama de Xapuri enfrentava problemas com a Receita Federal por conta de problemas relacionados a informações não prestadas sobre o seu time de coração. Francisco Evangelista de Abreu faleceu nesta quarta-feira, aos 74 anos, deixando uma extensa folha corrida de serviços prestados a Xapuri. Além de dirigente e fomentador do esporte, ele foi vereador e funcionário da Polícia Civil do Acre.

terça-feira, 29 de maio de 2012

Água Brasil

Banco do Brasil, ANA, WWF-Brasil, prefeitura de Xapuri e governo do Acre assinarão protocolo de intenções para ações conjuntas na microbacia do igarapé Santa Rosa.

SAM_1638

O programa Água Brasil, concebido pelo Banco do Brasil e desenvolvido em parceria com Fundação Banco do Brasil, Agência Nacional de Águas e a organização ambientalista WWF-Brasil, realiza na próxima quarta-feira (30), juntamente com o governo do Estado e a prefeitura de Xapuri, o evento de assinatura do Acordo para Ações Conjuntas na microbacia do Igarapé Santa Rosa.

O evento será realizado no Centro de Educação Permanente de Xapuri (CEDUP), a partir das 8h30 da manhã. Nesta terça-feira (29), porém, as instituições envolvidas realizam uma visita de campo ao igarapé Santa Rosa, com saída de frente do gabinete do prefeito Ubiracy Vasconcelos, também às 8h30 da manhã, conforme programação divulgada pela WWF-Brasil.

O programa Água Brasil selecionou 14 bacias e microbacias para implementar projetos socioambientais de conservação de águas. As bacias selecionadas fazem parte de nove grandes unidades hidrográficas, entre as quais está a unidade do Alto Purus, no Acre. O projeto piloto busca incentivar as populações a cuidar de rios e mananciais, desenvolver projetos de agricultura sustentável e monitorar as áreas de conservação por um período de cinco anos.

Na prática, a equipe reúne os produtores das regiões das bacias para explicar sobre a importância da preservação e os remunera, caso eles aceitem fazer melhorias que ajudem a manter a qualidade da água local. Outra ação é financiar agricultores que queiram implantar negócios mais limpos ambientalmente, como a agricultura que não faz uso de agrotóxicos. O grupo ainda monitora as ações com visitas periódicas dos organizadores envolvidos no programa.

No meio urbano, a iniciativa visa disseminar e melhorar a coleta seletiva e a reciclagem de resíduos sólidos, diminuindo os impactos sobre a natureza e gerando trabalho e renda para catadores de materiais e pequenos e médios empreendedores. Além disso, a iniciativa também estimula a mudança de valores e comportamentos, incentivando o consumo consciente.

No meio rural, os parceiros desenvolvem ações em 14 microbacias hidrográficas, disseminando o uso de boas práticas agrícolas e de proteção das nascentes de água, visando a produção rural mais saudável para agricultores e consumidores. A iniciativa desenvolve, ainda, ações visando aprofundar critérios ambientais nas operações bancárias. São desenvolvidos estudos para mitigação de riscos e incentivo ao financiamento de negócios sustentáveis.

Ainda nesta terça-feira, a partir das 16h, o grupo envolvido com o evento desenvolverá uma oficina com proprietários, parceiros e Conselho Gestor da Microbacia do Igarapé Santa Rosa, no Polo Moveleiro de Xapuri, momento no qual ocorrerá a apresentação do Plano de Ação e formação do Grupo de Trabalho.

Na quarta-feira, além da assinatura do Protocolo de Intenções pelo WWF Brasil, Prefeitura de Xapuri, Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Banco do Brasil, será apresentado o relatório das ações conjuntas realizadas no igarapé Santa Rosa e os próximos passos a serem tomados. Na oportunidade, será feita a leitura da Monção em Defesa do Rio Acre e apresentado o vídeo-documentário sobre o Igarapé Santa Rosa produzido pelos alunos de Gestão Ambiental do IFAC campus Xapuri.

O igarapé Santa Rosa corta parte da cidade de Xapuri desaguando no rio Acre bem ao lado do histórico prédio da Casa Branca, tida como a antiga Intendência Boliviana dos tempos da Revolução Acreana. O curso d’água tem sido duramente afetado nas últimas décadas pela pecuária praticada nas redondezas da cidade. Sua revitalização tem sido tema de várias manifestações populares no município, assim como de muitos trabalhos acadêmicos desenvolvidos nos últimos anos.

segunda-feira, 28 de maio de 2012

domingo, 27 de maio de 2012

Domingo

Maria Alice Estrella

Domingo é dia de abrir a janela, sacudir a poeira da alma e deixá-la exposta ao sol ou à chuva, ao vento ou à calmaria, conforme o clima e o tempo. Após alguns momentos, aconselho recolher a alma restaurada para vesti-la como quem se prepara para uma grande festa.

Domingo é dia para comemorar. Celebrar a reposição de energias porque domingo não é o dia do descanso. É dia de movimento, de muito movimento interno.

Domingo é dia de responder cartas através do correio eletrônico, de mandar notícias, de dar recados nas redes sociais da internet.

Domingo é dia de almoço com a família. É burburinho de vozes entrelaçadas de adultos e crianças que se encontram para usufruir do simples prazer de estarem juntos.

Domingo é o dia do abraço. Daquele abraço gostoso que se consegue dar a si mesmo e que se estende em longos desdobramentos de ternura acumulada.

Domingo é dia de repensar, revisitar, redescobrir. Ah! Quantas sensações fantásticas nos invadem quando reavemos pedaços esquecidos, deixados para um depois que raramente acontece.

Domingo é dia de reler o livro que nunca saiu da mesa de cabeceira, de rever o filme que marcou presença, de ouvir de novo aquela mesma canção preferida.

Domingo é o dia de caminhar, “sem lenço e sem documento, nada no bolso ou nas mãos”. Caminhar bastante. O suficiente de que o corpo necessita para harmonizar os contratempos de uma semana cansativa com a esperança de uma semana seguinte mais tranquila.

Domingo é dia de dar tempo ao tempo porque “não há mal que sempre dure ou bem que nunca se acabe” e “nem de tanto madrugar tão cedo se levanta”. Tudo chega na hora certa, no instante exato, do jeito que não se espera.

Aliás, domingo é o dia de surpreender a vida com alegrias tiradas lá do fundo do baú, é dia de dar risadas em boa companhia. Principalmente, em nossa própria companhia solitária. Quem consegue fazer companhia a si mesmo é capaz de ser companhia para outros.

Domingo é dia de escrever a crônica de um cotidiano pleno de cores, luzes e sombras, construções e desmoronamentos. É dia de levantar o astral da tropa, de animar, de colocar a alma na vitrine transparente sem máscaras ou disfarces numa coragem despretensiosa.

Domingo é o dia do encontro contigo que, fielmente, me segue nessas linhas. E que, por incrível que pareça, desconheço quem sejas. Só sei que me acompanhas silenciosamente, buscando em cada palavra o eco do que sentes, do que pensas.

Por essas e por outras, o domingo é dia de dar as mãos, de esticar os braços e tocar na alma, de sussurrar consigo mesmo segredos e confissões.

Domingo é o dia de principiar, é o dia repleto de perspectivas que se refletem e se concretizam no correr dos outros dias da semana.

Que o teu domingo se esparja pela a tua semana com muita luz!

No próximo domingo nos reencontraremos aqui como estrelas de uma idêntica constelação.

Até lá!

Maria Alice de Carvalho Estrella é natural de Porto Alegre – RS Poeta premiada com primeiros lugares em concursos nacionais. Patrona da Feira Municipal do Livro de São Lourenço do Sul em 1992. Membro da Academia Sul-Brasileira de Letras, ocupando a cadeira nº 32 Sócia correspondente da Academia Literária Feminina do Rio Grande do Sul.

sábado, 26 de maio de 2012

“Globofail”

Globo troca Cigano por Coelhinhas, passa VT por ao vivo e irrita fãs.

Junior Cigano manteve seu título dos pesados. Foto: Getty Images

A Rede Globo anunciou com pompa a transmissão para este sábado da luta principal do UFC 146, a primeira defesa de cinturão de Junior "Cigano" dos Santos na categoria peso pesado. Porém, quando o brasileiro já estava comemorando sua vitória por nocaute sobre o americano Frank Mir em Las Vegas, a emissora ainda transmitia o filme A Casa das Coelhinhas.

Leia.

sexta-feira, 25 de maio de 2012

Veto

A campanha pedindo o veto ao Código Florestal ganhou grande repercussão no último mês

Após intensa pressão social, a presidente Dilma Rousseff vetou 12 artigos e fez 32 alterações em trechos do novo Código Florestal que promoviam o desmatamento. O projeto de lei, aprovado no Congresso no final de abril com 84 artigos, representou uma derrota do Governo ao perdoar desmatadores ilegais e permitir uso de área de vegetação nativa. As alterações serão feitas por medida provisória a ser enviada ao Congresso na segunda-feira (28), junto com o veto e sanção.

Leia mais.

quinta-feira, 24 de maio de 2012

Ifac/Xapuri forma primeiros técnicos

Reitor-e-formando-xapuri

 

 

 

 

 

 

 

Da Assessoria

O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Acre – IFAC forma sua primeira turma de Técnicos em Meio Ambiente no próximo dia 25 de maio, às 19 horas, no IFAC/Campus Xapuri.

“Estes serão nossos primeiros egressos”, comentou o reitor Prof. Marcelo Minghelli após receber o convite de uma comitiva de alunos acompanhada pelo Diretor Geral do Campus, Prof. Sérgio Flórido.

Para o Diretor, além de toda expectativa da primeira formatura, há questões especiais sobre o grupo. “Como primeiros, eles enfrentaram todos os desafios de um início, porém a união deles e de toda equipe fez a diferença”, relatou Prof. Sérgio. Estão se formando 28 técnicos. Eles ingressaram em 2010. O grupo perdeu apenas dois colegas, sendo um por transferência.

Andréia dos Santos Carvalho, Francisca Gadelha de Oliveira, Antônia Patrícia Demétrio Martins, formandas que vieram dia 16 à Rio Branco para visita ao reitor e as autoridades do Estado também falaram sobre esse grande momento. “Já distribuímos nossos currículos e estamos na expectativa em podermos trabalhar futuramente em projetos como o da recuperação do rio Acre”, comentou uma delas. Todas também afirmaram estar se preparando para o Exame Nacional do Ensino Médio – Enem visando a formação superior no próprio IFAC, nos cursos de Tecnologia em Gestão Ambiental e Licenciatura em Ciências Naturais com habilitação em Química.

Homenagens

A primeira turma de formandos do IFAC escolheu o nome de Sara Milani, em homenagem a uma menina que hoje tem três anos. Filha da professora de Psicologia, Vanessa Milani, uma das maiores incentivadoras do grupo. “No início, nos momentos mais difíceis, quando ainda não tínhamos um espaço próprio, quando enfrentávamos os desafios do ensino, ela sempre nos motivou, sua filha sempre nos acompanhava”, contou Antônia Patrícia. A menina teve um grave problema de saúde e hoje está em outro Estado, com sua mãe, fazendo tratamento.  “Nossa homenagem representa nosso respeito, gratidão e saudades. Esperamos revê-las em Xapuri em breve”, narrou sua ex-aluna Francisca.

Também recebe homenagem na primeira formatura do IFAC, o médico, professor e hoje governador Tião Viana. “Por tudo que tem feito ao nosso Estado”, argumentaram.

São patronos os Professores Marcelo Minghelli, Binho Marques e Ubiracy Vasconcelos, reitor, ex-governador e prefeito que estiveram diretamente envolvidos no trâmite de doação do espaço da Escola Rita Maia para o IFAC/Campus Xapuri, possibilitando a consolidação da Instituição na região do Alto Acre. O Campus Xapuri possui hoje 521 alunos em oito cursos técnicos  e superiores.

quarta-feira, 23 de maio de 2012

Vida que segue

BRASILEIR√O/FLUMINENSE X GUARANI

Jatene sofre infarto

O cardiologista e ex-ministro Adib Jatene,

O médico e ex-ministro da Saúde Adib Jatene, 82, o mais prestigiado cardiologista brasileiro, sofreu um infarto nesta quarta-feira (23) e está internado na UTI (Unidade de Terapia Intensiva)do HCor, o Hospital do Coração de São Paulo.

Filho ilustre de Xapuri, Jatene passou mal e foi submetido a um cateterismo na manhã dessa quarta-feira (23), que constatou a obstrução de artérias. Em seguida, recebeu um stent, aparelho que ajuda na desobstrução.

A propósito, foi no HCor que meu amigo Nader Sarkis se submeteu a uma angioplastia, há cerca de quatro anos, depois de sofrer um infarto em Xapuri. O hospital é um dos maiores centros de tratamento de doenças cardiovasculares da América Latina.

Como no caso do nosso professor e radialista, o desejo do blog de que o médico xapuriense tenha excelente recuperação. Jatene foi ministro da Saúde nos governos de Fernando Collor de Mello (PTB) e de Fernando Henrique Cardoso (PSDB).

1ª Conexão Fest Xapuri

DSC00906

O grupo Flash Back, criado no ano passado pelos músicos xapurienses Antônio Magão e Luiz Beleza, realizará no próximo sábado (26), a partir das 23 horas, na praça São Gabriel, um megaevento musical intitulado 1ª Conexão Fest Xapuri.

Além do grupo Flash Back, se apresentarão no evento as bandas Agytus, de Xapuri, e Sandra Melo e banda, de Rio Branco. Os organizadores do 1ª Conexão Fest Xapuri prometem uma estrutura de som e iluminação jamais vistos na cidade.

Magão explica que o evento deste final de semana é mais ou menos parecido com o Resgate Cultural de Siderais a H-Uelem, que foi realizado no dia 1º de março de 2008, na mesma praça, contando a história dos conjuntos musicais da cidade.

“A ideia é parecida com aquele projeto que foi realizado com muito sucesso, mas desta vez o repertório vai viajar dos bons tempos da época da Jovem Guarda até os dias atuais, valorizando o que nós temos de melhor na música brasileira”, afirma.

Antônio Magão justifica a realização de eventos como esse na carência cultural que a cidade vive na atualidade, segundo sua opinião. Ele faz questão de enfatizar que a realização não possui fim lucrativo, sendo possível através de várias parcerias que apostaram no sucesso do evento.

“É muito talento sem ter espaço para poder mostrar o que tem de bom. Necessitamos de iniciativas que valorizem a enorme vocação musical que Xapuri possui”, desabafa o músico cuja trajetória se confunde com a história recente da música no município.

cartaz flash OK

A programação da 1ª Conexão Fest Xapuri se inicia com o show com o grupo Flash Back e convidados, tendo na sequencia a apresentação da banda local Agytus. O show de Sandra Melo e banda fecha a noite que promete ser quente.

A organização do evento fez convite às pessoas que vendem comidas típicas e produtos artesanais nos eventos culturais de Xapuri para se façam presentes. Outro detalhe importante é que a estrutura do Mirantes Bar também vai estar funcionando no local.

A 1ª Conexão Fest Xapuri é uma realização do grupo Flash Back e da loja Xapuri Cosméticos, com apoio da prefeitura de Xapuri e diversos patrocinadores que podem ser melhor visualizados clicando-se no folder promocional do evento publicado logo acima.

terça-feira, 22 de maio de 2012

Crédito emergencial

O Banco da Amazônia em Xapuri apresentou ontem as linhas de crédito que estarão disponíveis para pessoas físicas e jurídicas afetadas pela alagação em Xapuri. Os financiamentos emergenciais para vítimas da enchente variam de doze mil a cem mil reais.

Leia aqui e aqui também.

segunda-feira, 21 de maio de 2012

Invasão boliviana

18052012141

A imagem acima mostra a parte externa do Mercado dos Colonos de Xapuri tomada por vendedores ambulantes bolivianos. A situação tem gerado a insatisfação dos produtores brasileiros que têm o local como único ponto de venda de seus produtos. 

A presença dos vendedores bolivianos incomoda os agricultores brasileiros porque eles atrapalham o desembarque dos produtos e a circulação dos fregueses, além de transformar o espaço público numa verdadeira bagunça.

Com suas quinquilharias espalhadas pelo chão, eles congestionam a entrada do mercado e disputam com os pequenos produtores brasileiros o espaço destinado à venda de produtos agrícolas e hortifrutigranjeiros.

Surpreende a falta de atitude das autoridades brasileiras com relação ao assunto. A fiscalização da prefeitura de Xapuri já retirou os ambulantes da área do mercado diversas vezes, mas eles retornam horas depois.

Ronnivon da Silva, fiscal da prefeitura, afirma que manteve contato com a Receita Federal em Epitaciolândia, que teria alegado não possuir condições de se dirigir a Xapuri para apreender as mercadorias ilegais.

A última alternativa para que os bolivianos desocupem o mercado é o uso da força policial, medida que o prefeito Bira Vasconcelos sabiamente evitará. Trata-se de uma situação que necessita ser resolvida, mas com base no tratamento humano e digno que toda pessoa merece.

Há quem defenda a expulsão dos bolivianos nos mesmos moldes utilizados pelo governo do país vizinho contra os brasileiros que lá estão. Seria nos rebaixarmos ao nível de uma republiqueta cujos padrões éticos e morais estão bem abaixo dos nossos, que – é bom que se diga - já não são lá grande coisa.

domingo, 20 de maio de 2012

Concurso do Ifac

Instituto federal abre concurso público com 157 vagas para docentes e técnicos

DSC04211

Assessoria Ifac

O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Acre – IFAC iniciou, nesta sexta-feira, 18, as inscrições para o concurso público para provimento de 157 vagas, sendo 113 para docentes e 44 para técnicos. O anúncio da abertura do edital foi realizado pelo Reitor Pro Tempore da instituição, Prof. Marcelo Minghelli, em entrevista coletiva.

O concurso público visa atender uma demanda por técnicos e professores para o Campus Avançado da Baixada do Sol, que será inaugurado no segundo semestre de 2012, com cursos nas áreas de Aquicultura e Edificações, além de vagas para os campi de Rio Branco, Sena Madureira, Cruzeiro do Sul e Xapuri.

Durante a entrevista, o Reitor Marcelo Minghelli, que esteve acompanhado do Procurador Federal junto ao IFAC, Ronnie Leal Campos, e da Chefe da Auditoria Interna, Elisângela Terres, destacou a transparência na realização do concurso público, já que todo o processo será realizado pelo Instituto Saber, empresa especializada na organização e aplicação de concursos públicos.

O Pró-Reitor de Ensino e presidente da Comissão de Concurso Público do IFAC, Prof. Ricardo Bezerra Hoffmann, disse que o Instituto Saber - Instituto Superior de Educação, Tecnologia e Pesquisas é uma Instituição de Ensino Superior de Graduação e Pós-Graduação, especializada também em Recursos Humanos com objetivos de organizar e executar Concursos Públicos, testes seletivos, palestras, treinamentos, congressos e eventos congêneres.

As inscrições serão realizadas somente pela Internet, nos endereços eletrônicos www.saber.srv.br e www.ifac.edu.br, a partir das 8 horas de 18 de maio de 2012 até às 23 horas e 59 minutos do dia 04 de junho de 2012 (horário do Acre). As provas objetivas para docentes e técnicos estão previstas para o dia 22 de julho de 2012.

A remuneração salarial mais auxílio alimentação para os docentes vai de R$ 1.688,46 a R$ 6.410,51, conforme a disponibilidade de carga horária e titulação. Já o salário básico dos técnicos está entre R$ 1.473,58 e R$ 2.989,33.

Acesse os editais:

EDITAL 01/2012 - DOCENTES

EDITAL 02/2012 - TÉCNICOS

FAÇA SUA INSCRIÇÃO AQUI

sábado, 19 de maio de 2012

Família

Primogênito, o caçula, o do meio, e suas surpreendentes diferenças

Vance Packard

Caçula, vivi intrigado - e talvez um pouco irritado - com a aparente proeminência do primogênito em nosso mundo. Pensando no papel que essa posição representa em nossa vida, estou interessado em saber em que a ordem do nascimento influencia a maneira como somos tratados.

Nos últimos anos, centenas de behavioristas têm estudando, analisado e medido pessoas em busca de sinais do possível impacto de ser o filho mais velho, o do meio, o mais moço ou único. Examinei cerca de 60 desses estudos e fiz pessoalmente alguma modesta coleta de material. Não se pode tirar nenhuma conclusão exata sobre qualquer filho em particular, e há pontos sobre os quais os pesquisadores discordam entre si. Mas algumas diferenças flagrantes se destacam quando grupos consideráveis de pessoas são comparados em função da ordem do nascimento.

Tomemos, por exemplo, a questão das realizações. Uma grande variedade de estudos feitos por pesquisadores americanos tem procurado uma relação entre a ordem do nascimento e a fama e o gênio. Stanley Schachter, behaviorista da Universidade de Colúmbia, resume esses estudos dizendo que os primogênitos predominam "com espantosa freqüência". Estão super-representados no Quem é Quem.

Dos 23 primeiros astronautas que participaram de missões espaciais norte-americanas, 21 eram ou filhos mais velhos ou filhos únicos (o que é notável quando se leva em conta que filhos nascidos posteriormente superam primogênitos na proporção de dois para uma na população americana). Em uma recente análise de 1.618 finalistas das Bolsas Nacionais do Mérito mostrou que quase 60% deles eram primogênitos.

Não conheço qualquer prova convincente de que os primogênitos tenham maior poder intelectual. O que acontece é que a maneira como são criados os torna mais estudiosos e mais orientados para o sucesso. E ainda - por motivos econômicos - vão em maior número para a universidade.

Uma das análises mais impressionantes foi feita no quadro do Estudo do Desenvolvimento Adulto na Universidade de Harvard. Durante mais de 10 anos, o psicólogo Charles McArthur e a antropologista Margaret Lantis estudaram cerca de 200 diplomados de Harvard quando constituíram família. Esses jovens pais apresentaram relatórios sobre si mesmos e seus filhos. Analisando essas comunicações e observando sistematicamente os filhos, pesquisadores concluíram que os primogênitos tinham padrões de personalidade diferentes dos outros filhos - e chegou-se a conclusões definidas sobre essas diferenças. "A constelação familiar", diz McArthur, "é um importante fator determinante da personalidade".

Eis as minhas impressões dos motivos e das maneiras pelas quais temos tendências para criar nossos filhos diferentes de acordo com sua ordem de nascimento.

O primogênito é provavelmente o filho mais desejado do casal. Com ele os pais provam a sua capacidade de ter prole e, de certo modo, asseguram a própria imortalidade. Esperam em geral mais desse primogênito do que dos outros filhos. É provável que tirem fotografias dele com mais freqüência, conversem e brinquem mais com ele e também que se preocupem e se inquietem mais por ele. Calouros na arte da paternidade, eles tendem a viver sob tensão.

Um ambiente mais calmo em geral prevalece quando nasce o segundo filho, se houve um intervalo de dois anos ou mais. No estudo de Harvard os pais disseram que com o segundo filho eram mais displicentes, menos rigorosos e só ministravam castigos corporais à metade das vezes. À medida que chegam os outros filhos, os pais tendem não só a dispersar a sua atenção por todos eles, mas também a preocupar-se menos com o papel de educadores. Os últimos filhos podem sentir que estão mais entregues a si mesmos.

O filho mais velho recebe estreita atenção dos pais e desenvolve uma intensa orientação para eles. Mas depois ele ou ela é destronado pelo segundo filho. Esse destronamento, dizem muitos psiquiatras, pode representar uma grave ameaça para uma criança se for tratada inabilmente pelos pais. De qualquer maneira, o primeiro filho perde a posição de "único" e tende a assumir pouco a pouco a responsabilidade de ser o irmão mais velho ou a irmã mais velha que lhe é imposta, principalmente nas famílias maiores.

Os filhos intermediários não têm a autoridade dos mais velhos nem a liberdade de pressões dos mais moços. A Dr.ª Louise Bates Ames, do instituto Gesell de Desenvolvimento da Criança, é de opinião que muitas dessas crianças se sentem "espremidas no meio". Em compensação têm menos a sensação de ser destronadas quando surgem outros filhos. Além disso, mais orientadas para os irmãos, costumam preocupar-se menos em conseguir a nossa aprovação. Uma autoridade em higiene mental afirma que o filho intermediário tem a posição mais cômoda na ordem de nascimento.

O mais moço, sendo o último, recebe quase tanta atenção da mãe quanto um filho único. Mas não sente em geral muita pressão dos pais para as realizações. Alguns filhos caçulas sentem-se perseguidos pelos irmãos mais velhos, mas na realidade costumam ser os mais protegidos, os mais mimados da família.

Esses tratamentos diferentes comumente dados às crianças têm um impacto sobre o que chamamos "personalidade". a Dr.ª Frances Ilg, do Instituto Gesell, muitas vezes assombra os pais que levam os filhos à clínica adivinhando a ordem de nascimento após uma sessão de uma hora. (Ela se refere aos terceiros filhos como "esses magníficos terceiros").

Eis alguns exemplos de padrões distintos de personalidade. (Lembre-se que há muitas exceções).

Seriedade. O filho mais velho de uma família aparece em várias pesquisas como o mais responsável e o mais sério. Comparando os estilos pessoais dos indivíduos, Margaret Lantis disse: "O segundo filho pode ser considerado capaz e vivo, mas não se esforça por ser sério". Comparando os estilos pessoais dos indivíduos, Margaret Lantis disse: "O segundo filho pode ser considerado capaz e vivo, mas não se esforça por ser sério". Seu colega McArthur notou que a seriedade e a suscetibilidade às ofensas figuram entre os mais bem documentados traços dos primeiros filhos que, - como vários pesquisadores têm mostrado - têm maiores probabilidades de serem perfeccionistas.

Sociabilidade. McArthur comentou que outro dos traços mais bem documentados que distinguem o primeiro do segundo filho é a "cordialidade fácil" do último em contraste com o primeiro filho "reservado" e "tímido". O Professor Schachter, num fascinante estudo entre os membros de fraternidades de estudantes da Universidade de Minesota, apurou que os primogênitos eram "consideravelmente menos populares" do que os filhos mais moços em 13 dos 15 grupos de estudantes examinados. Cinco estudos pelo menos apontam também o filho mais velho como mais suscetível a preocupações, sensibilidade e tensões. Outro pesquisador chegou à conclusão de que nossos filhos caçulas têm os mais altos índices de sociabilidade.

Consciência. Os primogênitos - sejam filhos únicos ou os mais velhos - desde cedo na vida se tornam extremamente sensíveis às regras e expectativas dos pais e costumam assim medir-se por padrões adultos. Cerca de 1.200 estudantes de curso secundário e universitário na região de Chicago foram ouvidos pelo Instituto de Pesquisa Juvenil. Em resposta às perguntas feitas, os mais velhos do seu sexo mostraram uma tendência clara para opinar que os jovens deviam assumir a responsabilidade de seu comportamento mais cedo do que mais moços julgavam - ao passo que estes, em média, defenderam a oportunidade de afirmação sua independência mais cedo.
A preponderância de provas indica que os primogênitos tendem em geral aceitar os padrões dos pais, a seguir a orientação tradicional, a considerarem-se religiosos. Se há rebeldes numa família, é mais provável que sejam os filhos mais moços.

Liderança. Vários observadores psiquiatricamente orientados têm notado que, no curso da sua vida, o filho mais velho costuma assumir posições de chefia. Sugerem que talvez isso ocorra em virtude de sua prática de assumir responsabilidade na família ou por causa de uma necessidade de estar no alto da pirâmide - anseio que desenvolveu no princípio da vida quando procurava recuperar a proeminência depois de seu destronamento como filho único. Um psiquiatra que fez investigações sobre a ordem de nascimento afirma que os mais moços têm pouca inclinação para a chefia. Quando a assumem, os seus subordinados costumam mais "gostar" deles do que apoiar-se neles.

Todas estas observações são simplesmente tendências comuns, não fatos inevitáveis. O que acontece em qualquer caso individual depende ainda em grande extensão da habilidade dos pais. Por exemplo:

Os pais observadores estão atentos para a maneira pela qual cada filho percebe a sua situação dentro da família. Se um filho mais velho se sente destronado ou se um filho intermediário se julga desprezado, esses sentimentos - ainda que justificados - devem ser levados em conta. Os pais bem-avisados abstêm-se de erros comuns como o de mostrar favoritismo pelo filho mais velho, de esquecer-se de elogiar os filhos intermediários por seus esforços ou de protegerem abertamente um filho menor. Adotam um critério de castigos e aplicam-no com razoável coerência a todos os filhos.

Além disso, os pais compreensivos procuram estimular a flexibilidade e o espírito esportivo nos filhos mais velhos. Têm o cuidado de conversar muito com os filhos intermediários. E, mais do que os outros filhos, procuram não esperar que um caçula mostre desde cedo confiança em si mesmo.

Mais importante ainda, dão a cada filho a convicção de que - seja qual for a sua ordem de nascimento - ele é importante e amado, sendo aceito, carinhosamente, pelo que é.

Fonte: Revista Seleções do Reader's Digest - Abril/1970 - www.selecoes.com.br.

Alguns artigos são sempre atuais e valem a pena serem relembrados. Este é um deles.

sexta-feira, 18 de maio de 2012

Mr. Bean do apito

jose-h-buitrago-8247

O árbitro colombiano José Buitrago foi o grande nome da partida de ida entre Boca Juniors e Fluminense pelas quartas de final da Copa Libertadores da América, nesta quinta-feira em Buenos Aires, que terminou com a vitória por 1x0 do time argentino. Leia aqui alguns comentários da imprensa sul-americana sobre as lambanças do palhaço do apito. 

quinta-feira, 17 de maio de 2012

Dengue

Acre reduz em 93% o número de casos graves de dengue. Este ano não foi registrado nenhum caso de óbito causado pela doença no estado.

O número de casos graves de dengue no Estado do Acre caiu 93% nos quatro primeiros meses de 2012, em comparação com o mesmo período do ano passado. Foram registrados até o momento, dois casos contra 29, em 2011. Entre janeiro e abril de 2011, foram registrados dois óbitos.

Em 2012, no mesmo período, não houve mortes por dengue no Estado. Em 2012, no mesmo período, ocorreram 17 mortes no Estado. De acordo com o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, a redução é reflexo da importante parceria com os municípios.

O número de óbitos por dengue no Brasil caiu 84% nos quatro primeiros meses de 2012 em comparação ao mesmo período de 2010. Enquanto naquele ano foram registradas 467 mortes pela doença entre janeiro e abril, o primeiro quadrimestre deste ano teve 74 óbitos. Os dados são de balanço feito pelo ministro da Saúde, Alexandre Padilha, nesta quinta-feira (17) em Brasília.

“Esses resultados expressivos só reforçam o trabalho do ministério em parceria com os municípios e as secretarias estaduais nas ações no período fora da epidemia, que foram pactuados no ano passado. Os planos por incentivo de desempenho, a checagem pelo LIRAa, o acompanhamento do plano de contingência e as visitas aos estados contribuíram efetivamente para a organização mais eficiente da rede de assistência do SUS”, analisou Padilha.

Ele disse ainda que “o ministério considera um crime contra a saúde pública qualquer paralisação das atividades de combate à dengue por causa das atividades eleitorais. O segundo semestre é fundamental para a mobilização no combate à doença. É o momento de estruturar os serviços de saúde, capacitar profissionais e organizar as ações de vigilância”, reforçou.

Leia mais na Agência Saúde.

terça-feira, 15 de maio de 2012

Confiança na polícia

Rui Santos

Dados do ICJBrasil (Índice de Confiança na Justiça), elaborados pela Escola de Direito de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas (DIREITO GV), indicam que 77% da população com renda inferior a 2 salários mínimos não confia na atuação da população. Essa descrença atinge 59% da população com renda acima de 10 salários mínimos. Já entre a população com nível de renda entre 2 e 10 salários mínimos, o grau de desconfiança varia entre 65%e 63%.

Em termos gerais, o grau de satisfação da polícia é muito baixo. Segundo o levantamento, apenas 36% da população declarou estar satisfeito ou muito satisfeito, contra 63% que declararam insatisfeitos ou muito insatisfeitos.

A pesquisa ouviu 1.550 pessoas de 6 estados do pais (Rio Grande do Sul, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Bahia, Pernambuco) e Distrito Federal, entre capital e interior no primeiro trimestre de 2012. No interior, a confiança na polícia é um pouco maior: 40% da população afirma confiar na polícia, contra 35% dos que residem na capital.

Assim como acontece no Judiciário, o grau de insatisfação com a polícia e consequente desconfiança na instituição, afetam a sua legitimidade e o seu funcionamento.

O ICJBrasil também procurou saber quais são os motivos que levam a população a acionar a polícia. A principal motivação envolve os casos de perturbação ou barulho (24% das respostas), seguido de perto por roubos e furtos (23%), denúncias de briga e agressão (19%), acidentes de trânsito e danos materiais (empatados, com 7% cada). Os casos envolvendo violência doméstica, pessoas com atitudes suspeitas, tráfico de drogas e socorro a pessoas com problemas de saúde (3% cada), aparecem em seguida.

Instituições

O ICJBrasil também avaliou a confiança da população nas demais instituições do Estado. As Forças Armadas lideram, disparado, o ranking das instituições que a população mais confia, com 73% das respostas, seguida pela igreja católica (56%), Ministério Público (55%), grandes empresas (45%) e imprensa escrita (44%). Depois da imprensa escrita aparecem o Judiciário, com 42% e o Governo Nacional, com 40%. Completam o quadro emissoras de TV, com 33% de confiança, vizinhos, 30%, Congresso Nacional (22%) e Partidos Políticos (5%).

Confiança na Justiça

O ICJBrasil do primeiro trimestre de 2012 marcou 5,2 pontos, uma queda em relação ao ICJBrasil registrado no trimestre anterior, que foi 5,3 pontos. Isso significa que, em uma escala de 0 a 10, a população dá nota 5,2 para o Judiciário. Esse índice é calculado a partir de outros dois subíndices, o de percepção e de comportamento. O subíndice de percepção foi de 3,8 pontos, mantendo-se inalterado em relação ao quarto trimestre de 2011. O de comportamento teve uma leve queda, de 8,7 para 8,6.

Em relação aos Estados, a população do Distrito Federal foi a que declarou mais confiar no Judiciário, com 5,5 pontos no ICJ, seguida por Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul, com 5,4. São Paulo, Bahia, Pernambuco e Minas Gerais tiveram um ICJ de 5,2 pontos.

Em relação à percepção, o Rio Grande do Sul apresentou o maios subíndice, com 4 pontos, enquanto o menor foi registrado em São Paulo (3,7). O maior subíndice de comportamento foi aferido no Distrito Federal (9,1 pontos) e o menor em Pernambuco e Minas Gerais (8,4).

Rui Santos é Assessor de Imprensa Escola de Direito de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas.

segunda-feira, 14 de maio de 2012

Convite

Cartaz 10 semana de museus

O Museu do Xapury tem a honra de convidar a comunidade em geral para participar da 10ª Semana Nacional de Museus, a realizar-se, em Xapuri, de 15 a 18 de maio de 2012, com o tema “Museus em um mundo em transformação: novos desafios, novas transformações”. Essa programação nacional dá aos museus brasileiros mais oportunidades de tornarem reconhecido seu potencial, sua atratividade, pluralidade cultural e diversidade.

A Semana Nacional de Museus acontece anualmente para comemorar o Dia Internacional de Museus (18 de maio). Nesse ano, a sua 10ª edição contará com uma programação envolvendo 1.140 instituições museológicas em 513 municípios brasileiros, que promoverão eventos culturais para públicos diferenciados, atraindo novos visitantes e transformando o cenário dos espaços de memória.

Programação:

MUSEU DO XAPURY

De 01 a 31/05

Exposição “Contatos Transvisuais'

Telas de artistas regionais

Horário: de segunda-feira a sábado, das 08h às 18h

Visita Guiada

Com as guias: Marianne Buriti, Taiane Cristina e Cleilson Alves

Horário: de segunda-feira a sábado, das 08h às 18h

Dia 15/05 – Terça-feira

Exibição de filmes – Mostra Juvenil (Manhã)

A princesa e o violinista – de Guto Bozzetti

Queda Livre – de Marcelo Vidal e Renan de Moraes

Horário: 09:30h

Exibição de Filmes – Mostra Juvenil (Tarde)

O jumento santo e a cidade que se acabou antes de começar – de Andrés Lieban

A improvável todavia autêntica história do anão que virou gigante – de Marão

Horário: 15:30h

Dia 16/05 – Quarta-feira

Exibição de filmes – Mostra Infantil (Manhã)

Casinha de cupim – de Horácio Baynes Young Jr

A Bruxinha Lili – de Leonardo Copello

Sapo Xulé – Bem-me-quer – de José Paulo

Horário: 09:30h

Exibição de Filmes – Mostra Infantil (Tarde)

Para chegar até a lua – de José Guillermo Landi Hiertz

Como pode viver o peixe – de Frata Soares

O quarto de Jobi – O quarto escuro – de Andrés Lieban

Horário: 15:30h

Dia 17/05 – Quinta-feira

Contação de Histórias: 'Coisas do seringal'

Grupo Fuxico de Contadores de Histórias de Xapuri

Direção de Clenes Guerreiro

Horário: 09:30h e 15:30

Dia 18/05 – Sexta-feira

Espetáculo Teatral – 'E quem mandou se chamar Maria Bonita?'

Cia Arte na Ruína e Grupo Teatral Floresta

Direção de Cleilson Alves e Rodrigo Garcia

Horário: 09:30h e 15:30h

ESPAÇOS DE MEMÓRIA CHICO MENDES

De 01 a 31/05

Visita Guiada

Com os Guias: Paula Janine, Jorge Júnior, Géssica Albuquerque e Joicinara Ferreira

Local: Casa de Chico Mendes, Memorial do Seringueiro e Centro de Memória Chico Mendes

Horário: de segunda-feira a sábado, das 08h às 18h.

Regularização Fundiária Urbana

O Instituto de Terras do Acre (Iteracre) se prepara para realizar a regularização fundiária urbana dos municípios do Vale do Acre. Nesta quinta-feira, 10, o diretor-presidente do Glenilson Araújo Figueiredo se reuniu com as prefeitas Leila Galvão (Brasileia) e Eliane Gadelha (Assis Brasil) e com representantes da cidade de Xapuri.

A reunião tratou da assinatura de termo de cooperação técnica que deve ser assinado com as prefeituras para dar início ao trabalho naquelas cidades.

A previsão é de que o primeiro termo seja assinado com a prefeitura de Assis Brasil. O evento acontece no dia 18 próximo, durante as comemorações de 36 anos de fundação da cidade. Na semana seguinte, no dia 25, será a vez das prefeituras de Brasileia e Xapuri.

Leia mais na Agência de Notícias do Acre.

Despedida e recomeço

O garotinho José Carlos Araújo se despede da Rádio Globo e passa a bola para Luís Penido, o Garotão da Galera.

domingo, 13 de maio de 2012

31 vezes campeão

Rafael Moura, Botafogo x Fluminense (Foto: André Durão / Globoesporte.com) 

Às mães

Às mães que apesar das canseiras, dores e trabalhos, sorriem e riem, felizes, com os filhos amados ao peito, ao colo ou em seu redor; e às que choram, doridas e inconsoláveis, a sua perda física, ou os veem “perder-se” nos perigos inúmeros da sociedade violenta e desumana em que vivemos.

Às mães ainda meninas, e às menos jovens, que contra ventos e marés, ultrapassando dificuldades de toda a ordem, têm a valentia de assumir uma gravidez - talvez inoportuna e indesejada – por saberem que a Vida é sempre um Bem Maior e um Dom que não se discute e, muito menos, quando se trata de um filho seu, pequeno ser frágil e indefeso que lhe foi confiado.

Às mães que souberam sacrificar uma talvez brilhante carreira profissional, para darem prioridade à maternidade e à educação dos seus filhos e às que, quantas vezes precisamente por amor aos filhos, souberam ser firmes e educadoras, dizendo um “não” oportuno e salvador a muitos dos caprichos dos seus filhos adolescentes.

Às mães precocemente envelhecidas, gastas e doentes, tantas vezes esquecidas de si mesmas e que hoje se sentem mais tristes e magoadas, talvez por não terem um filho que se lembre delas, de as abraçar e beijar.

Às mães solitárias, paradas no tempo, não visitadas, não desejadas, e hoje abandonadas num qualquer quarto, num qualquer lar, na cidade ou no campo, e que talvez não tenham hoje, nem uma pessoa amiga que lhes leia ao menos uma carta dum filho.

Também às mães que não tendo dado à luz fisicamente, são mães pelo coração e pelo espírito, pela generosidade e abnegação, para tantos que por mil razões não tiveram outra Mãe...e finalmente, também às Mães queridíssimas que já partiram deste mundo e que por certo repousam já num céu merecido e conquistado a pulso e sacrifício.

A todas as mães, a todas sem exceção, um abraço e um beijo cheios de simpatia e de ternura. E parabéns, mesmo que ninguém mais vos felicite. E obrigado, mesmo que ninguém mais vos agradeça.

Fonte: APFN - Associação Portuguesa de Famílias Numerosas.

sábado, 12 de maio de 2012

Imaginação carrapeta

José Cláudio Mota Porfiro

De Xapuri, o Padre Felipe e o ajudante de ordens, Miguel Praxedes, desceram o rio a bordo de uma lancha denominada Lontra, à disposição do religioso que, de porto em porto, deverá seguir viagem até o Seringal Remanso. Com o início do verão e as primeiras friagens, é tempo das desobrigas, quando a palavra de Deus é levada aos mais remotos rincões.

Desembarcou junto com o vigário um homem chamado Chaga, mais conhecido pelo apelido de Lascanheta, devido à fertilidade de uma imaginação que não busca nenhum vínculo com o real. Ele conta histórias que balançam entre a fantasia e a realidade, não dando importância ao que pensam os seus ouvintes que, agora mesmo, já são muitos.

É sábado. Muita gente está aqui para casar no católico ou batizar a criançada, principalmente, das famílias que não conseguiram ir tomar a bênção ao Santo, no último vinte de janeiro.

Logo um grupo se forma ao redor do contador de causos. O homem é gaiato. Faz sucesso, sim, e fica rejubilado ao ver que muitos ouvem as suas lorotas, que são contadas uma atrás da outra. Há gente que já o ouviu em outras ocasiões e, por isso, alguns o fazem lembrar causos pitorescos da lavra do contador de histórias. Ô cabra mentiroso!

Na subida do barranco, o cabra olha para o rumo de cima e já cumprimenta o compadre Estácio, falando de um tio deste que havia esticado a canela lá no Seringal São Pedro, no Rio Xapuri. Muitos riram quando ele enfatizou que o homem batera as botas. E gargalharam mais ainda quando ele disse que o véi Zé Jaqueira dera com os costados nas labaredas do inferno.

- Arre égua! – Foi o que ele disse, num sopro cansado, já em cima do barranco, ao que percebi, pelo sotaque mais pesado, que se tratava de mais um sertanejo lá das bandas da Serra da Meruóca, no Ceará.

Na realidade, ele viera para, junto comigo, fazer uma revisão nas contas do Seringal Triunfo, Rio Xapuri, de propriedade de Júlio Oliveira. Mas isso seria feito lá pra segunda-feira. Agorinha mesmo, o homem só se ocuparia da sua pabulagem mais enrolada do que cabelo pixaim.
Com as calças arregaçadas até o meio da canela, pediu um trago de conhaque. Acendeu um porronca e se dirigiu para a escada onde sentou no degrau de riba já arrodeado de seringueiros que lhe cumprimentavam efusivamente. (Cá de minha parte, o Lascanheta é um mentiroso dotado de um estilo bem aos moldes dos tantos que conheci em Fortaleza.)

- Mas homem! Seu menino! Você não sabe o que aconteceu lá no Seringal São José. – Disse olhando logo para mim.

- Rapaz, o Gregório Calixto, o proprietário, passou uns oito meses se batendo com um problema muito sério. A cada quinze dias, sumia uma rês da criação dele e ninguém dava notícia alguma. O prejuízo era maior ainda porque as que desapareciam eram sempre vacas ou bois já em ponto de abate ou de venda. Até cavalo e burro estavam sumindo.

- E foi aí que ele, num domingo de madrugadinha, já quase na amanhecença do dia, quando chegava de uma festa na casa de um vizinho, o Pergentino Alves, olhou para o rio e focou a lanterna. Lá ele viu um par de cornos compridos que afundava em meio a um grande rebojo. Pela ponta furada dos chifres, ele reconheceu tratar-se do Folgado, um boi de arrasto muito útil em tempos de moagem. Uma grande perda.

- Ainda no mesmo domingo, ele espetou um galo velho num anzol de três polegadas. Num piscar de olhos, o bicho sumiu. À noitinha, ele espetou um carneiro num anzol maior ainda e o deixou a uns três metros da beira da água. Lá pelas dez, ele viu uma cobra muito grande que arrastou o bicho para o rio. A cabeça e o pescoço da serpente muito pareciam com o tronco de uma seringueira das maiores, a spruceana.

- Já de manhãzinha, ele mandou o Nêgo Aristide ir, durante a semana, ao maior número de colocações, chamar a seringueirada para um adjunto no domingo que viria.

Com as próprias mãos, confeccionou um anzol a partir de um pedaço de ferro de uma lancha que havia afundado por ali há muito tempo. E haja lima e haja suor. Certo é que no sábado o artefato pesqueiro já estava pronto e encastoado a uma corrente grossa daquelas que os bolivianos usaram no tempo da revolução.

- No domingo, então, já com uns quarenta seringueiros na beira do rio agarrados à corrente, ele matou com um tiro de rifle e lançou o boi Mascote que já andava adoentado há algum tempo. O bicho era grande e ficou mais ou menos na beira d’água.

- Foi aí que a cobra apareceu e quis se engasgar com o boi, mas o levou para dentro do rio. Enquanto isso, em terra, a força dos homens era enorme. Deu nove e deu dez e deu onze e deu doze e a peleja continuava. Nem um lado nem o outro cediam um passo.

- Certo é que, antes desse cabo de guerra, lá em frente do barracão do seringal do Gregório, o rio Xapuri era um estirão de mil metros. Hoje, se você for lá, vai ver é uma curva bem grande. A força dos seringueiros e da cobra, de um lado e do outro, foi tão grande que o rio entortou.

Um pigarro, uma cusparada marrom com os restos do tabaco que mascava e uma xícara de café.

- Vocês já ouviram falar do seu Santana, lá do Seringal Equador? Dessa história eu fiz parte. Eu fui lá, vi o que estava acontecendo e, juntos, findamos dando um jeito na situação.

- Em 1932, apesar do armazém novo e grande que o homem mandara construir, a castanha estava escassa como nunca, mesmo tendo sido o ano anterior de muita manga. Nunca se tinha visto algo parecido pela região. Aonde era para ter uma tonelada de castanha, tinha apenas cem quilos. Pior é que ninguém sabia a causa de tamanho prejuízo. Por mais que rezasse, as coisas pareciam ficar ainda mais difíceis. O Seringal Malheiro, no outro lado do rio, estava com a safra lá em cima e não havia mais aonde armazenar castanha. O Seringal Araquém, um pouco mais acima, também estava com a máxima produção. Só não o Equador.

- E foi aí que, numa quarta-feira, empreendi uma caçada nas terras do Seu Santana. De chegada, fui logo tomando ciência da situação. Almocei. Esgravatei os dentes.

Proseei bastante e, lá pelas quatro e meia, saí para armar uma espera no pé de uma imbiriba que estava caindo de madura. Segui pelo aceiro do campo e, já na entrada da mata, depois de passar por debaixo de uma cerca de arame farpado, fui ouvindo e seguindo um toc- toc compassado que, à medida que se distanciava, eu ia me aproximando, porque passara a andar apressadamente. E cada vez eu ficava mais perto do barulhinho.

Até que fiquei bastante próximo e me detive por trás de uma paxiúba. Tive aí então a visão mais impressionante da minha vida. Uma cotia daquelas de uns dez quilos ia à minha frente, sem me notar, andando e carregando dois ouriços debaixo dos braços, um equilibrado à cabeça e chutando outros dois: toc-toc-toc-toc... Lá na frente, avistei um monte de castanha que media uns cinco metros de altura. A bichinha estava fazendo estoque para que, nos doze meses vindouros, a sua família não passasse fome.

- E foi assim que eu descobri porque a castanha do Seu Santana estava escassa. No outro dia de manhãzinha, o homem já colocou todos os comboieiros e de tardezinha o armazém já estava novamente abarrotado para a felicidade do meu velho amigo.

E o Lascanha é um aço na arte de mentir. Nunca vi igual. Quase não toma fôlego. Antes do almoço, era um gole de café, uma ou duas baforadas no porronca, uma cusparada no chão daquelas no estilo cagada de pato, e tome prosa.

E veio a bóia. Carne de pato nu  -  sem pele, ao gosto do patrão  -  e afogado no sangue. O ordinário do visitante bradou:
- Parece que por aqui tão comendo muita carne de jacu. Tão adivinhando que é uma beleza. Tá tudo do jeito que eu gosto. Parece que foi feito por encomenda. Já agradeço.

Passada a sesta, um cochilo de uma hora de relógio grande. E o contador de causo voltou à cena com muito mais vigor. Agora, é uma dose mínima da cachaça Cocal, uma baforada e uma cusparada... E tome-lhe potoca:

- Uma vez, lá pras bandas do alto Purus, depois de Sena Madureira, no Seringal Santo Antônio, um conhecido meu de apelido Arigó tomou o rumo de uma estrada de seringa e, depois, passou a caminhar por um varador afora sem prestar atenção no quanto estava tomando distância da barraca. E haja perna. Era domingo de manhãzinha. Levava uma dezesseis na bandoleira, um bornal com vinte cartuchos e ia atrás de uma caça grande ou até mesmo uma imbiara com o que pudesse fazer um bom almoço para as suas oito crianças e a mulé. Pra lá, a mata é mais escura, mais selvagem que aqui. E ele se foi de madeira adentro. E haja pernada.

- Então, a mata ficou escura como breu. Ele não conseguia meter o dedo no próprio olho devido a escuridão... E andou uns dez minutos assim... Topa aqui, cai ali, levanta acolá, trambecando mais que bêbado em ladeira... De repente a claridade voltou. Ele continuou caminhando e só lá mais na frente é que olhou pra trás. O que o Arigó viu era muito espantoso. Lá ao longe estava a carcaça de um gigantesco jacaré de boca aberta, desses de uns trinta metros de comprimento e mais grosso que uma samaúma. Ele fizera uso da entrada de trás do bicho, houvera caminhado por dentro dele e saído pela boca do grande jacaré. Estava explicada a escuridão repentina.

Na volta, ele fez um arrodeio de modo a evitar o jacaré. Passado o susto, viu uma ninhada de cancão dos grandes. Mandou fogo, deu uma repuxada na espingarda, o chumbo espalhou e ele levou catorze frangotes para casa, onde o almoço foi farto, apesar dos canhões que teimam em não desapregar da carne da grande ave. Pense num homem de sorte!

- É como o véi Paraíba, um seringueiro lá da Vista Alegre, Rio Xapuri. Esse fez foi uma experiência muito forte no dia em que apostou com um amigo e compadre que colocara em dúvida a possibilidade de um veado em corrida ser alcançado por cachorros. Ele prometeu que traria o cervídeo apanhado a dente de dois cães, daqueles baixos e compridos, conhecidos por Totó e Zoada. Eram vinte mil réis. O velho tinha muito dinheiro porque cinco filhos adultos cortavam seringa na mesma colocação  -  Morro Velho  -  e tudo era administrado com mão de ferro por ele.

    - Então, no dia combinado, ele trouxe a caça morta a umas duas ou três dentadas no gurgumin, para espanto geral.

    - Não satisfeito, o amigo que o desafiara antes propôs que ele, mais uma vez, fosse à caça do veado, e ele topou. Correria mais dinheiro... Só que, dessa vez, no dia aprazado, o compadre ficou espiando de longe a arrumação do véi que, muito do seu esperto, arranjava umas enviras e amarrava um cachorro sobre o outro, costa com costa. Enquanto o de baixo corria, o que ia em cima descansava, e vice-versa, de forma a que, em uns quinze minutos o veado estava morto porque, na hora necessária, os cachorros desamarravam os nós que os prendiam um ao outro.

- Por isso, na casa do véi Paraíba nunca faltava carne de tudo quanto é caça, justo porque os seus cachorros eram danados de bons... E eu só fico é pensando no ensaio diário da coreografia dos bichos em altíssima velocidade... Pense num véi sacana!

sexta-feira, 11 de maio de 2012

“País imundo”

Manoel Moraes prevê conflito armado entre brasileiros e bolivianos

manoel_moraes

Da Agência Aleac.

Pequenos fazendeiros do Brasil estão se armando para enfrentar os bolivianos em Capixaba na fronteira entre os dois países. A informação foi dada pelo deputado Manoel Moraes (PSB) durante pronunciamento nesta quarta-feira, 9. De acordo com o parlamentar, ele esteve verificando o problema na tarde de terça-feira e constatou que a tensão é grande e pode ficar ainda maior em consequência de uma greve desencadeada no país vizinho que gera um clima de guerra civil.

Moraes disse que o Brasil não pode permitir que seus filhos sejam humilhados pelos bolivianos enquanto mantém reservas internacionais de 400 milhões de dólares. “O Brasil não pode deixar seus filhos num país imundo como aquele, tem que parar de brincar e cuidar dos seus filhos. Vejam o aconteceu com os haitianos, estão todos abrigados no Parque de Exposições recebendo alimentos e medicação”, argumentou Moraes.

O deputado disse ter recebido informações de que o exército boliviano está deslocando mais de 80 soldados de Santa Rosa para a fronteira de Capixaba com o objetivo de expulsar os brasileiros. Moraes disse que esta decisão de expulsão é motivada pelos bens dos brasileiros. “Eles querem as criações, a madeira, as casas, é esta a razão das expulsões”, observou Moraes, afirmando que o presidente Evo Morales tem condições atualmente de articular uma matança de brasileiros e colocar a culpa na oposição.

Moraes sugeriu aos deputados promover uma reunião com o secretário de Justiça e Direitos Humanos, Nílson Mourão, e com o governador Tião Viana visando buscar uma solução para o problema. Segundo ele, da forma como estão as movimentações, com agricultores prometendo resistir, poderá haver um derramamento de sangue na região.

Terra

Terra é retratada em imagem com 121 megapixels, a maior já feita em um só clique (Foto: Roscosmos)

“Eu estou apaixonado
Por uma menina terra
Signo de elemento terra
Do mar se diz terra à vista
Terra para o pé firmeza
Terra para a mão carícia
Outros astros lhe são guia...”

Caetano Veloso.

Precatórios

TJAC notifica mais sete Municípios sobre pagamento.

O Tribunal de Justiça do Acre abriu processo administrativo contra sete Municípios do Estado para possível sequestro de valores relativos ao pagamento de Precatórios.

As notificações já foram expedidas aos Municípios de Senador Guiomard, Assis Brasil, Marechal Thaumaturgo, Plácido de Castro, Xapuri, Capixaba e Sena Madureira.

Gestor do Núcleo de Processamento e Gestão de Precatórios (NPGP), o desembargador Samoel Evangelista explicou nesta quinta-feira (10) que os Entes públicos precisam depositar os montantes definidos no financiamento. Segundo ele, a Lei prevê um parcelamento das dívidas em até 15 anos (contando a partir de 2009), com parcelas anuais.

Ocorre que esses Municípios não efetuaram até agora o depósito dos valores, ficando inadimplentes. Os Entes Públicos deverão regularizar o pagamento da parcela que já deveria ter sido repassada ao TJAC no ano de 2011 em relação aos seus Precatórios.

Em caso de já terem quitado a obrigação, eles deverão encaminhar a documentação comprobatória no prazo de 30 dias.

Como até agora não chegaram os avisos de recebimento (AR) dos ofícios expedidos, não é possível estabelecer até que data se estende esse prazo cada Município.

Pagamento

O não pagamento dos Precatórios pode acarretar medidas graves, preconizadas pela Constituição Federal, como o sequestro dos valores correspondentes ou, o que é mais grave, a retenção dos repasses dos recursos financeiros relativos ao Fundo de Participação dos Municípios (FPM), pela Secretaria do Tesouro Nacional.

O sequestro está previsto no art. 100 da Constituição Federal, segundo o qual o Presidente do Tribunal de origem do precatório poderá determinar a autuação de Processo Administrativo em casos de não pagamento de Precatórios por parte dos Entes Públicos.

Nesse caso, o sequestro dos recursos financeiros, será determinado pelo Presidente do Tribunal, por meio do "Bacen-Jud".

Se os Municípios não liberarem os recursos, a Presidência do TJAC poderá incluí-los como entidades devedoras no Cadastro de Entidades Devedoras Inadimplentes (CEDIN), vinculado ao CNJ.

Se isso ocorrer, o CEDIN determinará à Secretaria do Tesouro Nacional a retenção dos repasses relativos ao Fundo de Participação dos Estados e do Distrito Federal e ao Fundo de Participação dos Municípios e indicará as contas especiais respectivas para o depósito dos valores retidos.

O Tribunal de Justiça que incluir entidade devedora no CEDIN comunicará ao CNJ o valor da parcela não depositada, de modo a que a retenção seja limitada a essa quantia.

Em outras palavras, quem não pagou, deverá pagar, isto é, depositar os valores, já que o pagamento é feito pelo Tribunal de Justiça, além de informar e comprovar. Se já quitou, deverá informar e apresentar os comprovantes de quitação.

NPGP

O TJAC disponibiliza em seu portal um link especial do Núcleo de Processamento e Gestão de Precatórios (NPGP). Nele, é possível acessar os atos, a legislação, a lista cronológica de Precatórios, a lista de pagamento preferencial e o formulário de requerimento de preferência.

É possível, ainda, ter acesso à Resolução 115, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), que dispõe sobre a Gestão de Precatórios no âmbito do Poder Judiciário.

A Secretaria do NPGP funciona na nova sede do TJAC, no período das 7h às 18h, e está disponível para prestar aos prefeitos e responsáveis todos os esclarecimentos necessários, inclusive por meio do telefone (68) 3302 0327.

Fonte: Agência TJAC.

quinta-feira, 10 de maio de 2012

Magia

ES Rio de Janeiro (RJ) 04/06/2008 Copa Libertadores da AmÈrica - Segundo jogo da semi-final entre Fluminense x Boca Juniors no Maracan„. Foto Alexandre Cassiano / AgÍncia O Globo

“Instabilidade no sistema”

Banco-do-Brasil-4tx8a3133310-f3

Clientes do Banco do Brasil (BB) não estão conseguindo acessar a conta de poupança nesta quinta-feira (10) por causa de “instabilidade no sistema”. Segundo a assessoria de imprensa do Banco, o problema foi gerado por mudanças técnicas para adequação às novas regras de rentabilidade da poupança.

No último dia 8, a Banco do Brasil informou que, com as novas regras anunciadas pelo governo no último dia 3, não seria mais possível fazer depósitos na conta antiga. Assim, a partir do dia 4, os depósitos passariam a ter registros de forma separada.

Ao solicitar um extrato, segundo o banco, independentemente da variação escolhida, o cliente receberá em um mesmo documento os extratos das duas variações da poupança”.

Com as mudanças no sistema hoje, não é possível conferir extrato, fazer transferência ou sacar dinheiro. A assessoria de imprensa do BB informou que o problema será resolvido nas próximas horas.

As informações são da Agência Brasil.

Estágio na Justiça

A Comarca de Xapuri abriu processo seletivo para o preenchimento de vagas e formação de cadastro de reserva de estagiários, voltados para estudantes de nível superior.

O período de inscrições começou nesta quarta-feira (09) e se estenderá até o dia 21 de maio.

Os interessados em participar do processo seletivo para Xapuri devem observar as condições determinadas no edital, publicado na edição do Diário da Justiça Eletrônico (DJE), edição nº 4.670 (fls. 8 a 10) de terça-feira (08).

De acordo com o edital nº 01/2012, assinado pelo juiz Luís Pinto - titular da unidade judiciária -, somente poderão se inscrever os alunos que estejam regularmente matriculados e cursando a partir do segundo período do curso. A jornada de trabalho será de quatro horas diárias, ou seja, 20 horas semanais.

O período de vigência da seleção será de um ano, a contar da data da homologação do resultado final, prorrogável uma vez por igual período, a critério da Administração do TJAC. Somente poderão participar dos processos seletivos candidatos estudantes de faculdades ou universidades conveniadas com o Tribunal de justiça.

As vagas são para as seguintes áreas: Administração, Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos, Serviço Social, História e Economia.

O TJAC assegura aos estagiários uma bolsa-auxílio, correspondente a um salário mínimo vigente no país, mais auxílio-transporte, e também a redução da jornada de trabalho pela metade nos dias de avaliação, desde que comprovada previamente pela Instituição de Ensino.

Também é assegurado ao estagiário um período de recesso de 30 dias, além de inteiro acesso aos serviços do Centro Médico do Poder Judiciário e de seguro contra acidentes pessoais.

Inscrições

As inscrições deverão ser realizadas na sala da Secretaria da Diretoria do Fórum, situado na Rua Floriano Peixoto, nº 62 - Bairro Centro, em Xapuri, no horário das 10h às 12h e das 14h às 17h. A taxa de inscrição equivale à doação de dois quilos de alimento não perecível, que deverão ser entregues no ato da inscrição.

Todo o alimento recebido será doado, através de termo de entrega, à instituição Lar dos Vicentinos, também localizada no município.

Provas

O tempo total para resolução da prova será de três horas, sendo aplicada no dia 25 de maio de 2012, às 9h, na escola Colégio Divina Providência, situada na Rua Benjamin Constant, no município de Xapuri. A prova será composta de 30 questões de múltipla escolha, divididas entre as áreas de Língua Portuguesa, Noções de Informática e Conhecimentos Gerais (Atualidades).

Serão considerados eliminados os candidatos que não atingirem a pontuação mínima de 50% do total de pontos. Os gabaritos oficiais serão divulgados no prazo máximo de 48 horas subsequentes à realização das provas, com disponibilização do material no portal do TJAC na Internet - www.tjac.jus.br - e também a afixação no quadro de avisos das referidas Comarcas.

Informações

Mais informações poderão ser obtidas diretamente com a Diretoria do Foro da Comarca, por meio do telefone (68) 3542-2523 .

quarta-feira, 9 de maio de 2012

Carnaval Fora de Época

chamada carnavassis 36 anos de festa

Recebo de meu colega Jerry Correia convite para a festa de 36 anos de fundação do município de Assis Brasil, que aparenta estar se recuperando bem dos efeitos da última enchente do Rio Acre.

terça-feira, 8 de maio de 2012

Carne clandestina

carne_clandestina_na_br_317

Transporte de carne sem procedência legal persiste na BR-317, apesar da vigilância da Polícia Rodoviária Federal. Acompanhe no jornal O Alto Acre.

segunda-feira, 7 de maio de 2012

Campeão do “Alicatense”

A equipe acima é o Cerâmica, campeão do “Alicatense” 2012, o já tradicional campeonato de futebol realizado pela família cujo patriarca é o senhor Afonso Alicate.

A competição é realizada anualmente na propriedade da família, localizada na Estrada da Borracha, 11 quilômetros de Xapuri, nas proximidades do Entroncamento.

O Cerâmica mostrou que apesar de seu presidente, João do Peixoto, ser vascaíno, o time não gosta de ficar em segundo lugar, como costuma fazer a equipe da camisa feiona.

A foto é do blog Xapuri em Destaque.

sábado, 5 de maio de 2012

“Supermoon”

supermonninterna

Quem olhar para os céus na noite deste sábado (5) vai notar que a lua estará mais próxima. O astro vai se aproximar do Planeta Terra no fenômeno conhecido por “Supermoon”, que acontece uma vez por ano, de acordo com o Laboratório Nacional de Astrofísica (LNA) de Itajubá (MG).

De acordo com os astrofísicos, a lua vai estar 14% maior e 30% mais brilhante. O satélite vai oscilar em 221,802 milhas - 356,955 quilômetros – da Terra, oferecendo uma visão ampla do astro.

A última vez que o Supermoon aconteceu foi no dia 19 de março de 2011. Segundo o LNA, as próximas oportunidades para se observar o fenômeno serão no dia 19 de março de 2013 e no dia 10 de agosto de 2014.

Fonte: G1.

Cidade do Povo

Da Agência Senado 

O senador Aníbal Diniz (PT-AC) relatou nesta quinta-feira (3), em Plenário, visita do governador do Acre, Tião Viana, a Brasília, quando participou de audiência com a secretária nacional de Habitação do Ministério das Cidades, Inês da Silva Magalhães. Durante o encontro, do qual o senador também participou, foram acertados detalhes do projeto Cidade do Povo, que tem como objetivo diminuir o déficit habitacional no estado.

- O projeto Cidade do Povo, que prevê a construção de 9,2 mil casas para a população de baixa renda, foi elogiado e complementado pela secretária Inês Magalhães, que apresentou importantes contribuições no sentido de torná-lo ainda melhor – afirmou o senador.

Aníbal Diniz informou que 3,5 mil casas serão destinadas a famílias que moram em áreas alagadiças da capital e das cidades de Xapuri, Brasiléia e Sena Madureira, também atingidas pelas últimas enchentes no estado. Também serão construídas 3,3 mil casas para trabalhadores com renda de até três salários mínimos, 2 mil para quem recebe de três a seis salários mínimos e 600 casas para famílias com renda de seis a dez salários mínimos.

O projeto, disse o senador, prevê investimentos da ordem de R$ 1,1 bilhão do programa Minha Casa, Minha Vida. Os recursos serão usados, também, para construir praças, escolas e espaços de lazer e comércio.

- A secretária Inês Magalhães fez várias observações a respeito do novo conceito de moradia que tem de ser, também, uma resposta para a questão da mobilidade urbana, um dos grandes traumas das grandes cidades hoje – disse o senador.

Ministérios

Além da reunião no Ministério das Cidades, o governador Tião Viana esteve com o ministro do Desenvolvimento Agrário, Pepe Vargas; com o secretário-executivo do Ministério de Minas e Energia, Márcio Zimmermann, e com o Ministro da Pesca, Marcelo Crivella. A recuperação de ramais agrícolas, o apoio a produtores atingidos pelas cheias, o Programa Luz para Todos e a liberação de equipamentos para a construção de açudes e tanques foram alguns dos assuntos tratados pelo governador nesses ministérios.