quarta-feira, 27 de junho de 2007

FPA unida em Xapuri

PT e PSB discutem entendimento para fortalecer a Frente Popular do Acre em Xapuri. Isso foi o que ficou claro na reunião que foi realizada na manhã da última segunda-feira, em Rio Branco, envolvendo lideranças locais dos dois partidos e assessores do governo do Estado. Parece que as duas siglas perceberam, finalmente, que só a unidade política pode tirar Xapuri da situação de marasmo político-administrativo que domina o município há quase 3 anos.

Estiveram presentes os assessores Cacá e Carioca, o secretário de Articulação, Carlos Alberto, o secretário-adjunto de Saúde, Sergio Roberto, três vereadores do PT e um do PSB, além dos presidentes dos diretórios municipais dos dois partidos.

O PSB terá presença fortalecida naquela região, informou o presidente municipal do partido, Vagner Menezes. “O objetivo é dar continuidade ao trabalho que vem sendo realizado e deixar claro o fortalecimento da FPA”, disse Menezes.

“O trabalho da FPA é em favor da sociedade xapuriense. A Frente precisa estar unificada em Xapuri porque somente assim ela é forte”, avaliou Eliomar Galego, presidente do PT em Xapuri.

terça-feira, 26 de junho de 2007

Vereadores convocam Vanderley à Câmara

Falta de iluminação pública

Falta de remédios nas unidades de saúde

Programa de recuperação de ramais

Atraso de salários de funcionários provisórios

Falta de investimentos nas áreas de esporte, lazer e cultura

Esses são apenas alguns dos itens para os quais os vereadores de Xapuri resolveram exigir explicações do prefeito Vanderley Viana, que deverá comparecer à Câmara no prazo de 15 dias para ser sabatinado pelos representantes da população que sofre com a inoperância da atual administração municipal. É verdade que dificilmente Viana comparecerá, mas vale a iniciativa, que já não era sem tempo, da grande maioria dos vereadores que atendem, assim, a uma legítima reivindicação popular.

O requerimento solicitando o comparecimento de Vanderley Viana à Câmara foi assinado por 8 vereadores e entregue na última segunda-feira. Apenas o vereador Iran Vasconcelos (Dem) não assinou o documento. Nem poderia. Ele é um dos mais beneficiados com os favores do prefeito. Exemplo? Vive a fazer a entrega, no lugar da prefeitura, de implementos agrícolas e outras miudezas para as comunidades rurais como forma de se promover politicamente e fazer sua campanha para a reeleição às custas do erário público.

A medida é um claro sinal de que o prefeito de Xapuri não possui mais o apoio incondicional da maioria dos vereadores, como ocorreu até pouco tempo atrás. Da sua base de apoio, Vanderley perdeu a simpatia dos vereadores Pedro de Aquino (Dem), Ronaldo Ferraz (sem partido e afastado temporariamente) - seu substituto é Selmo Dantas, do PT - e até mesmo do atual presidente em exercício Raimundo Francisco Gondim, o França (PPC), que já não é mais o mesmo na sua posição de fiel escudeiro de Vanderley na Câmara de Xapuri.

Sobraram, então, Clemilton Lima (PSDB) e Iran Vasconcelos (Dem). O primeiro, não se pode confiar na fidelidade, pois age ao sabor de conveniências políticas alheias à vontade popular; o segundo, enquanto estiver com seus caprichos atendidos pelo prefeito, deverá permanecer no papel de mero serviçal investido de mandato.

segunda-feira, 25 de junho de 2007

Blog do Josias

TSE julga perda de mandato de 29 congressistas

Tribunal analisa ainda recursos contra 7 governadores

Tramitam no Tribunal Superior Eleitoral processos que questionam a legitimidade dos mandatos de quatro senadores e 25 deputados federais. Esses 29 congressistas são acusados de ter praticado crimes eleitorais na campanha de 2006 –compra de votos, uso indevido de meios de comunicação e abuso do poder econômico, por exemplo.

Os processos decorrem de ações movidas pelo Ministério Público Eleitoral ou por adversários políticos. Caberá ao TSE decidir se as acusações são ou não procedentes. A pena prevista é a cassação do diploma e a conseqüente perda do mandato.

São os seguintes os senadores cujos mandatos estão sendo questionados: 1) Rosalba Ciarlini (DEM-RN); 2) Cícero Lucena Filho (PSDB-PB); 3) Expedito Júnior (PPS-RO); e 4) Mozarildo Cavalcanti (PTB-RR). Quanto aos deputados federais, a maioria (9) é do Rio de Janeiro. O nome mais vistoso da lista é o de Rodrigo Maia, presidente do DEM. A segunda bancada mais questionada é a de São Paulo (7). A lista inclui Paulo Pereira (PDT), o Paulinho da Força Sindical; e Valdemar Costa Neto (PR).

Pressionando aqui, você terá acesso a um comunicado divulgado nesta segunda pelo TSE. Contém a lista completa dos congressistas encrencados. No mesmo texto, o tribunal informa que sete dos 27 governadores respondem a processos que põem em dúvida a legitimidade de seus mandatos.

Afora os casos que transitam pelos escaninhos do TSE, há outras 29 ações correndo nos TREs, os tribunais regionais eleitorais –19 contra deputados federais e duas contra senadores. Esses casos tramitam em segredo de Justiça. Por isso, os nomes dos envolvidos são mantidos sob sigilo.

Leia sobre os bastidores da política em Brasília no Blog do Josias.

domingo, 24 de junho de 2007

Tocha Pan-americana

O Revezamento da Tocha Pan-americana dos Jogos Rio 2007 foi reaberto neste domingo, 24 de junho, às 14h30m (16h30m de Brasília), em Rio Branco, capital do Acre, por Elenira Mendes, filha do líder sindical e ambientalista Chico Mendes. Rio Branco é o 25º dos 51 pontos de passagem do Revezamento da Tocha Pan-americana pelo Brasil.

Elenira Mendes percorreu os 400 metros iniciais do trajeto de 24 quilômetros pelos principais pontos históricos e turísticos da cidade a partir da Usina de Arte João Donato. Na saída, ela passou por um corredor formado por 200 integrantes da Liga das Quadrilhas de Festas Juninas, todos vestidos em trajes típicos. Presidente do Instituto Chico Mendes e coordenadora da Fundação Chico Mendes, em Xapuri, Elenira desfilou muito emocionada e feliz.

“É uma emoção muito grande representar a história de lutas do meu pai ao longo de tanto tempo pelo desenvolvimento do Acre. Foi muito importante também presenciar a homenagem que foi feita a ele, por tudo que representou não só para o Acre mas também para todo o país”, disse ela ao final do desfile.

Jornal dos Sports

Soldados da Borracha

Na TV, no cinema e em retratos

Encobertos dos holofotes por décadas, a epopéia dos trabalhadores nordestinos nos seringais ganhou registros em mídias diversas nos últimos anos.

Embora mobilize o interesse da academia, a saga dos “soldados da borracha” demorou a ganhar visibilidade pública. Pouco se sabia da sina dos migrantes nos seringais, bem como dos familiares que permaneceram no Nordeste. Em 2004, porém, a história chegou ao cinema através do documentário “Borracha para a Vitória”, do cineasta Wolney Oliveira.

Com 55 minutos de duração, o média-metragem apresenta o depoimento de sobreviventes do episódio histórico. O filme foi um dos projetos contemplados pelo primeiro edital do “DOCTV”, iniciativa do Ministério da Cultura que financia produções no campo documental. O interesse pela “batalha da borracha”, explica Oliveira, despontou após a leitura de uma série de reportagens publicadas na imprensa cearense sobre o tema.

Durante as filmagens, foram colhidos mais de 50 depoimentos, que resultaram em 50 horas de gravação. Após a finalização do documentário, que estreou no XIV Cine Ceará (2004), Oliveira alimenta novos projetos: pretende convertê-lo num longa e dirigir uma ficção inspirada na trajetória dos “soldados”.

Três anos depois, o cotidiano inóspito dos seringais chega à televisão na mega-produção “Amazônia”, escrita por Glória Perez e exibida pela Rede Globo. Com o aval da emissora carioca, o grande público pôde se familiarizar com a saga dos migrantes envolvidos na extração da borracha. A trama teve bons índices de audiência e destacou a epopéia dos nordestinos pelo Norte, uma história que, na verdade, antecede à II Guerra Mundial e se prolonga até os dias atuais.

Fotografia

O Nordeste oculto na floresta também inspirou o fotógrafo baiano Antônio Alcântara a produzir a série “Seringueiros”, que reunia 40 imagens, em preto e branco, dos migrantes que trabalham em Xapuri, Brasiléa e Cruzeiro do Sul (municípios do Acre). Na maioria, homens que foram recrutados durante a “batalha da borracha” ou seus descendentes.As fotos retratam o dia-a-dia dos seringueiros: o trabalho, a família, a religiosidade, o lazer, as tradições perpetuadas. A série de imagens foi convertida em postais, acompanhados de textos sobre os diversos ciclos da borracha na história brasileira, que contribuíram, dentre outras coisas, para o alargamento das fronteiras. Além de Fortaleza, a exposição foi vista em São Paulo, Paraíba, Pará e em Freiburg (Alemanha).

Extraído do jornal Diário do Nordeste

MATÉRIAS RELACIONADAS

(24/6/2007) - Borracha e escravidão nos seringais da Amazônia
(24/6/2007) - Cativos da Amazônia

sábado, 23 de junho de 2007

Poronga

Greve derrotada

O resultado da eleição do Sinteac, que apontou Manoel Lima como vencedor, ainda é reflexo da forma estabanada com que a atual diretoria conduziu a última greve. Os episódios envolvendo dirigentes da entidade também foram fundamentais. A ração para gato alimentou a discórdia.

Teste difícil

Manoel Lima terá a árdua missão de devolver ao Sinteac a credibilidade que gozava perante a sociedade e os trabalhadores em Educação. Nos últimos anos, a entidade caiu no descrédito total. As divergências internas alimentaram essa situação atual.

Aviso de Xapuri

Após as comemorações da vitória no Sinteac, dirigentes da Frente Popular devem olhar com mais cuidado os números que vieram de Xapuri. Alcilene Gurgel bateu Manoel Lima com folga. Isso, com certeza, é reflexo do abandono político do município.

Vôo alto

À frente do Sinteac, Manoel Lima não pode deixar que as pretensões de voar mais alto acabem atrapalhando seu trabalho. Está claro que o professor pretende concorrer a deputado estadual. Com a ida da deputada Naluh Gouveia para o TCE, o PT necessitará forjar uma nova liderança entre os trabalhadores em Educação.

Prova dos sete

Alcilene Gurgel não passou na prova dos sete na política. Dias antes da eleição, representantes de sete partidos da oposição se reuniram para lhe manifestar apoio. Ela não apareceu nem justificou a ausência.

Capote histórico

Alcilene Gurgel levou um capote histórico. Perdeu em 19 dos 22 municípios. Mas a derrota mais acachapante foi em Feijó, onde obteve apenas dois votos contra 266 de Manoel Lima.

Fotos do parlamentares

Wanderlei Viana (PMDB) saiu em defesa dos policiais que detiveram o deputado Luiz Calixto (PDT). O prefeito de Xapuri lembrou que os PMs não têm obrigação de conhecer autoridade. Para que fatos dessa natureza não voltem a acontecer, o peemedebista propõe que o comandante da Polícia Militar tire fotografias de todos os deputados e as deixe à disposição nos pontos de barreiras. “Ou então ele assina portaria impedindo que homens públicos sejam fiscalizados”, propôs.

Coluna Poronga, jornal Página 20, edição de sábado (23/06).

sexta-feira, 22 de junho de 2007

Tocha Rio 2007 chega ao Acre no domingo

Neste domingo (24) a Tocha Pan-Americana Rio 2007 chegará ao Acre, passando por Rio Branco, que representará a Bolívia. A passagem contará com a participação dos Guias Cívicos - jovens carentes de comunidades fluminense capacitados pela Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp). Com idades entre 14 e 24 anos, os jovens, de ambos os sexos, passarão por 16 capitais e outras 12 cidades com a missão de divulgar em todas as regiões do país a mensagem da Tocha Rio 2007: paz, amizade e integração entre os povos por meio dos esportes.

Durante os XV Jogos Pan-americanos Rio 2007 e Parapan-americanos, os Guias Cívicos atuarão como voluntários em locais turísticos e áreas de grande circulação para prestar orientações sobre os jogos e temas como preservação do patrimônio público, meio ambiente, entre outros. Capacitados pelo Sistema Sesi/Firjan, por meio de parceria com a Senasp, cerca de 10,5 mil jovens de 119 comunidades carentes do Rio de Janeiro receberam durante quatro meses aulas de cidadania, ética, turismo e idiomas (inglês e espanhol), além de uma bolsa auxílio de meio salário mínimo.

Os Guias Cívicos que participarão do Revezamento da Tocha Rio 2007 estarão divididos em 20 grupos com 10 jovens cada. Cada grupo permanecerá três dias numa determinada cidade (chega um dia antes e sai um dia depois da Tocha) e percorrerá as ruas para distribuir material com informações sobre a Tocha e o Pan 2007.

Na capital acreana, a filha de Chico Mendes, Elenira Mendes, será a primeira a conduzir a tocha. O acreano Carlão, ex-jogador de vôlei da seleção brasileira, será o último condutor.
Confira o trajeto da tocha

O Incra e duas questões fundiárias

Deu no blog do Altino:

Superintendente Raimundo Cardoso desrespeita reivindicação dos extrativistas de Porto Dias

O superintendente do Incra no Acre, Raimundo Cardoso, excedeu-se na ontem ontem ao receber no gabinete dele uma comitiva que buscava solução para o conflito fundiário que se desenrola no seringal Porto Dias, em Acrelândia, onde Antonio Carlos Ferreira, o Carlão, vem sendo acusado de fazer ameaças de morte e de converter em fazenda área do projeto agroextrativista de 22 mil hectares (clique e leia).

Em Xapuri, lideranças rurais, principalmente o Sindicato dos Trabalhadores Rurais e Associações de Produtores de uma área conhecida como Gleba Sagarana também não estão nada satisfeitos com os encaminhamentos (ou a falta deles) relacionados a um antigo problema fundiário que vem se arrastando há cerca de 10 anos. A Gleba Sagarana é uma área que possui, também, cerca de 20 mil hectares, onde estão localizados 7 seringais, entre os quais está o seringal Boa Vista que está sendo invadido por dezenas de famílias de pequenos agricultores.

A direção do Sindicato de Trabalhadores Rurais de Xapuri está chamando a atenção para o risco iminente de conflito naquela região. Posseiros antigos, que ocupam áreas de matas com várias estradas de seringa, estão sendo imprensados pelos novos ocupantes que estão invandindo pela parte da frente, onde se localiza a antiga sede do seringal. Há informações de que alguns posseiros estão armados e o clima não é amistoso. O Incra ainda não manteve contato com o sindicato a respeito da situação.

A presidente do STRX, Dercy Telles, informou na tarde desta sexta-feira (22) que entrou em contato com a Fetacre (Federação dos Trabalhadores em Agricultura do Acre) a respeito do assunto. Segundo ela, no próximo dia 27, haverá um encontro, em Rio Branco, envolvendo o Incra, a Fetacre, o Sindicato de Xapuri e o Ministério Público para discutir medidas a serem tomadas com relação às invasões e a própria questão do processo de regularização das terras da Gleba Sagarana, que continua sem solução, apesar dos constantes apelos das lideranças rurais do município para que os órgãos competentes dispensem maior atenção a esse antigo problema.

Para ler mais sobre a questão da Gleba Sagarana clique aqui.

quarta-feira, 20 de junho de 2007

Sibá diz que novo relator sai do PMDB e define nesta 5ª depoimento de Renan

GABRIELA GUERREIRO
da Folha Online, em Brasília

A renúncia do senador Wellington Salgado (PMDB-MG) à relatoria do processo contra o senador Renan Calheiros (PMDB-AL) no Conselho de Ética do Senado provocou um novo impasse sobre um nome a ser indicado para o cargo. Integrantes do conselho resistem em aceitar a relatoria diante do desgaste provocado pelo processo contra o presidente do Senado.

Senadores ouvidos pela Folha Online afirmaram que, independentemente do resultado do processo contra Renan, o relator receberá críticas pela condenação ou absolvição senador. Por esse motivo, os integrantes do conselho estão resistentes em aceitar o cargo.

O presidente do conselho, Sibá Machado (PT-AC), adiantou que pretende manter a relatoria sob o comando do PMDB. "Vamos procurar o novo relator dentro da bancada de origem, no PMDB. Não havendo um relator, avançamos para outras bancadas", disse Sibá.

Entre os cotados para assumir o cargo estão os senadores Valter Pereira (PMDB-MS) e Leomar Quintanilha (PMDB-TO). Os dois já haviam sido sondados por Sibá para substituírem inicialmente Cafeteira no cargo, mas rejeitaram a missão. Sibá também consultou outros senadores, mas apenas Salgado havia aceitado a oferta.

O peemedebista foi o segundo relator no processo contra Renan que tramita no Conselho de Ética. O senador substituiu o senador Epitácio Cafeteira (PTB-MA) no cargo, depois dele se afastar do Senado por dez dias em licença médica.

Sibá disse que o novo relator continuará sendo "ad hoc" (interino), já que Cafeteira está apenas afastado da função. O relator original, no entanto, não deve permanecer na relatoria uma vez que o conselho decidiu ampliar as investigações sobre Renan.

Na semana passada, Cafeteira só desistiu de renunciar ao cargo com a condição de que seu texto seria referente apenas às denúncias da Mendes Júnior.

Em seu relatório, Cafeteira inocenta o senador nas denúncias de que teria recebido recursos da empreiteira para pagar pensão alimentícia à jornalista Mônica Veloso, com quem tem uma filha fora do casamento.
Cronograma

Sibá vai reunir amanhã uma comissão de seis senadores do Conselho de Ética para definir um cronograma de trabalhos. Entre os assuntos que serão discutido na reunião está o depoimento de Renan ao conselho.

O senador se ofereceu para prestar depoimento com o objetivo de se defender das denúncias envolvendo a Mendes Júnior e suas transações financeiras.
Segundo Sibá, o grupo vai decidir se Renan será ouvido antes ou depois da conclusão de nova perícia que a Polícia Federal deve realizar em documentos encaminhados por Renan.

O presidente do conselho também pediu que o senador encaminhe novos documentos para análise, caso ainda queira comprovar parte de suas movimentações.

Os senadores do conselho ainda vão discutir os questionamentos a serem feitos para Renan no dia do depoimento. "Temos que apresentar um elenco de perguntas que devem ser apresentadas previamente para o presidente do Senado se preparar para responder", disse Sibá.

Língua solta

O prefeito Vanderley Viana voltou, nessa semana, a sentar diante da juíza da vara cível, Zenair Ferreira Bueno, em audiência de uma ação movida contra ele pelo suplente de vereador José Selmo Dantas (PT). Essa é a enésima vez em que o prefeito de Xapuri é obrigado a se explicar na justiça por ofensas, calúnias e acusações infundadas que faz contra seus desafetos políticos. Dessa vez, Vanderley acusou Selmo Dantas de desvio de recursos públicos, quando este foi secretário do ex-prefeito Júlio Barbosa.

De acordo com o que afirmou Vanderley no seu “Canal de TV”, Selmo Dantas teria roubado, nas palavras do prefeito, R$ 350 mil de um convênio para recuperar os carros das secretarias de produção e de meio ambiente. Sem provas daquilo que levianamente afirmou, o prefeito estressadinho deverá perder mais essa. Selmo pede 20 salários mínimos de indenização por danos morais, além de retração pública através do mesmo veículo em que foi feita a acusação. O veredicto da juíza sairá até o dia 2 de julho.

terça-feira, 19 de junho de 2007

Duas décadas de impunidade e omissão

Família de sindicalista morto seis meses antes do assassinato de Chico Mendes continua clamando por justiça

O jornalista Tião Maia assina matéria na edição de hoje do jornal Página 20 sobre os 19 anos da morte do líder sindical Ivair Higino, assassinado 6 meses antes de Chico Mendes também tombar na porta dos fundos de sua residência. Vale a pena ler também o artigo Um pai injustiçado do jornalista Elson Martins, publicado na agência de notícias Kaxiana.

segunda-feira, 18 de junho de 2007

Invasão na Gleba Sagarana

A novela da Gleba Sagarana, nome pelo qual é conhecida uma área de terra de cerca de 20 mil hectares, localizada à margem esquerda do Rio Acre, que ficou fora dos limites da Reserva Extrativista Chico Mendes, criada em 1990, ganhou nesta segunda-feira mais um capítulo com o anúncio feito pelo Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Xapuri, de que 16 famílias invadiram uma área do seringal Boa Vista, no local onde ficava a antiga sede do referido seringal.

A ocupação, mesmo pacífica, causa preocupação do sindicato que teme pela ocorrência de desentendimentos entre os antigos posseiros e os recém-chegados em razão da falta de definição de limites. Segundo a direção do STRX, novos grupos estariam se organizando para ocupar a área em busca de um pedaço de terra, o que definitivamente colocaria em risco a paz na região porque as terras de posseiros antigos passariam a ser disputadas pelos novos invasores.

A presidente do STRX, Dercy Telles de Carvalho, reuniu-se na manhã desta segunda-feira com representantes das famílias que ocupam a área e cobrou uma posição do INCRA com relação ao processo de regularização da Gleba Sagarana, que se arrasta por cerca de 10 anos sem uma solução definitiva.

No ano passado, a Coordenadoria de Meio Ambiente do Ministério Público Estadual, acionada por representantes de associações de produtores da área e do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Xapuri, realizou Audiência Pública para discutir a problemática da Gleba Sagarana. Entre os principais problemas a serem tratados estavam o processo acelerado de desmatamentos e a ocupação desordenada na região.

A audiência contou com a participação de 400 pessoas, entre trabalhadores rurais e representantes de entidades como o IBAMA, o INCRA, Ufac, Seater, Seprof, Iteracre, Secretaria Estadual de Florestas, Conselho Nacional dos Seringueiros, Comitê Chico Mendes e Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Xapuri e associações rurais da referida área, entre outras. A principal deliberação tirada dessa audiência foi a criação de um grupo de trabalho formado por representantes de entidades e trabalhadores e coordenado pelo INCRA, responsável por fazer a avaliação do processo para solucionar os problemas discutidos.

Como resultado da audiência, realizada no dia 23 de agosto do ano passado, os moradores da área aprovaram o plano de ação para regularização fundiária da Gleba Sagarana e dos seringais adjacentes Nazaré e Filipinas. O documento previa que o grupo de trabalho, coordenado pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA), realizasse os levantamentos para verificar as políticas públicas que poderiam ser adotadas para a área e reuniões com a participação da comunidade.

No último dia 16 de abril, o então Superintendente Regional Substituto do INCRA no Acre, Francisco Nascimento, comunicou, através de ofício encaminhado à direção do grupo de Associações de Produtores da Gleba Sagarana, que a reordenação fundiária da Gleba Sagarana estaria em pleno andamento. Segundo ele, o seringal Albrácia já tinha a sua vistoria agronômica concluída e os proprietários da área estavam sendo comunicados da improdutividade da área. O próximo passo seria aguardar o decreto de expropriação.

Nas fazendas Nazaré e Soberana, a vistoria agronômica foi iniciada no dia 23 de abril desse ano. Já com relação à fazenda Filipinas, o processo encontrava-se, nessa época, em montagem e análise da cadeia dominial na Procuradoria Federal Especializada. Sobre os seringais Porto Franco, Boa Vista, Bosque, Sibéria e São Francisco, o INCRA informou que havia encaminhado expediente ao IBAMA-Acre, solicitando mapas e memoriais descritivos dos citados imóveis para que os trabalhos pudessem ser iniciados nas áreas que não foram abrangidas pela Resex Chico Mendes.

De acordo com as informações prestadas por Francisco Nascimento, o trabalho estava sendo relativamente lento porque as informações demoram a chegar, e também pelo fato da grande maioria dos proprietários das áreas a serem desapropriadas não residirem mais no Acre, se tornando bastante difícil notificá-los da expropriação. Mas, segundo as previsões feitas pelo então superintendente substituto do INCRA, até o final de 2007 muitas dessas áreas já deverão estar devidamente regularizadas.

Tentamos falar hoje com o superintendente do INCRA no Acre, Raimundo Cardoso, mas sua assessoria informou que ele encontra-se em Brasília e só retornará ao Estado na próxima quarta-feira. Ele não havia sido informado ainda da invasão no seringal Boa Vista

Aeromarta


Extraído do site Banda Podre

Seminário do MMA promove maior integração dos povos da floresta

Rubens Amador

O Ministério do Meio Ambiente realiza amanhã, terça-feira (19), em Brasília, o seminário O Papel dos Povos da Floresta no Desenvolvimento Socioambiental da Amazônia. Na oportunidade, membros do governo, de Ongs e de movimentos sociais analisarão conquistas e desafios, buscando fortalecer a união dos povos que lutam pela Amazônia e a integração de suas ações. Outro tema será o trabalho de doze anos do Programa Piloto para Proteção das Florestas Tropicais do Brasil (PPG-7/MMA), que o governo agora transformará no Programa Amazônia, com novo arranjo e metas institucionais, em função do atual cenário ambiental no globo e no Brasil.

A reunião ocorrerá no hotel Mercure, das 9h às 17h, e reunirá, além de integrantes do MMA, representantes das Ongs Grupo de Trabalho Amazônico (GTA), Coordenação da Organização Indígena da Amazônia Brasileira (Coiab), Rede Mata Atlântica (RMA), do Banco Mundial e dos movimentos Conselho Nacional de Seringueiros (CNS) e Aliança dos Povos da Floresta. Este, após período de desarticulação, teve sua aliança "refundada" em janeiro passado, a partir de entendimentos entre os representantes de três redes (GTA, Coiab e CNS).

"Desejamos que este encontro propicie maior entrosamento, esclarecimento e mobilização dos povos da floresta e do Ministério para o desenvolvimento conjunto de atividades de proteção e de desenvolvimento sustentável na Amazônia", diz a coordenadora do PPG-7, Nazaré Soares.

Além dos citados, os principais temas que motivarão palestras e debates são a mobilização social na área de influência da BR-163, que liga Cuiabá (MT) a Santarém (PA); o modelo de gestão das Organizações Indígenas e as parcerias para o desenvolvimento de ações.

Durante o evento, ocorrerá ainda o lançamento do II Encontro Nacional dos Povos da Floresta. Parte integrante do projeto de Sustentabilidade das Redes Sociais da Amazônia Brasileira, esta reunião será realizada de 18 a 21 de setembro próximo, em Brasília. Seus participantes discutirão temas variados e associados, como as condições de vida daquelas populações, o aquecimento global e suas repercussões no ambiente.

"Mais da metade das emissões de CO2 no Brasil, por exemplo, está relacionada ao desmatamento na Amazônia, o que nos obriga igualmente a discutir este ponto", disse o secretário-geral do GTA, Adílson Vieira.

Segundo Vieira, o GTA aproveitará o encontro, em setembro, para solicitar a discussão pública mais ampla das questões que afetam os povos da floresta e que o debate exceda os limites amazônicos.

"Precisamos discutir os problemas que ocorrem em outros biomas, como Caatinga, Mata Atlântica, Cerrado, igualmente importantes, ricos em biodiversidade e com uma população expressiva vivendo nesses ecossistemas. Queremos discutir uma política florestal como um todo para o Brasil, definindo um modelo adequado para o desenvolvimento das comunidades e para a proteção das florestas", diz Vieira.

Segundo o secretário-geral do GTA, o II Encontro dos Povos da Floresta deve começar a tratar do "Ano Chico Mendes", cuja morte completa 20 anos em 2008. "Precisamos refletir sobre os problemas, uma vez que, apesar de toda luta desenvolvida no Brasil em benefício das florestas, os assassinatos continuam, grandes projetos permanecem causando impactos às populações", disse. O I Encontro dos Povos da Floresta foi realizado em 1986, em Xapuri, no Acre, e foi coordenado pelo próprio Chico Mendes.

Hoje, moram nas áreas urbanas da Amazônia 20 milhões de habitantes. Não se sabe ainda o número de pessoas que vivem na floresta, indicador que o IBGE ainda não inclui no censo populacional.

Programação

9h - Abertura Coordenadora do PPG-7, Nazaré Soares, e os representantes do Banco Mundial, Mark Lundell; do GTA, Beto Catanhede; da Coiab, Jecinaldo Saterê; do CNS, Júlio Barbosa de Aquino e da RMA, Bruno Maciel.

9h30 - Palestra sobre o processo de fortalecimento da participação social na área de influência da BR-163, no âmbito do Projeto de Fortalecimento das Organizações da Zona de Influência da BR-163 (Profor). Palestrantes: Kátia Pavilla (assessora do MMA) e um representante do GTA.

11h - Palestra sobre o tema Aprendizado do Modelo de Gestão das Organizações Indígenas. Palestrantes: Representantes da Coiab e do Programa Demonstrativo dos Povos Indígenas.

12h - Palestra sobre o tema Conquistas e Aprendizado ao longo de mais de uma década de parceria. Palestrantes: Nazaré Soares (coordenadora do PPG-7) e Zezé Weiss (Banco Mundial).

14h - Palestra sobre o tema Desafios e Oportunidades para a Sustentabilidade das Redes e Movimentos Sociais da Amazônia - a Contribuição do PPG7. Palestrantes: representantes do Coiab, do GTA, do CNS, da RMA. Michael Grewe, da Embaixada da Alemanha no Brasil; Garo Batmanian, do Banco Mundial, e Muriel Saragoussi, coordenadora de Extrativismo do MMA.

15h30 - Lançamento do II Encontro Nacional dos Povos da Floresta. O evento é parte do projeto de Sustentabilidade das Redes Sociais da Amazônia Brasileira.

Copiado do site 24horasnews.com.br

domingo, 17 de junho de 2007

Casa de caba

O jornalista Leonildo Rosas diz na coluna Poronga (jornal Página 20) da última sexta-feira (15), que o vereador José Maria Miranda, do PT de Xapuri, pode ter sido vítima de um atentado ecológico-político (clique e leia). O que aconteceu foi que o vereador Miranda foi atacado por uma abelha que desferiu-lhe uma violenta ferroada nos lábios, deixando o seu rosto desfigurado pelo inchaço que tomou conta da região. O incidente aconteceu quando o vereador passeava em sua motocicleta, em frente à casa do ex-assessor da prefeitura, José Everaldo.

Os gozadores de plantão não perderam a oportunidade de brincar com o incidente que deixou o vereador Miranda com a aparência do cacique Raoni. E mais: a abelha raivosa teria sido enviada por José Everaldo, adversário político do vereador. Brincadeiras à parte, o episódio, apesar de cômico, foi relativamente sério. Sentindo fortes dores e com os lábios intensamente inchados, o vereador, que é hipertenso, teve que receber atendimento médico, mas já passa bem.

sexta-feira, 15 de junho de 2007

Impunidade ou sensacionalismo?

O capitão Denílson Lopes, comandante da polícia Militar em Xapuri, considerou a postagem Velozes, perigosos e impunes, publicada neste blog no dia 20 de maio passado, referente a dois acidentes de carro que ocorreram na cidade, sensacionalista e infeliz. A afirmação foi feita pessoalmente, durante conversa que mantive com ele na tarde desta sexta-feira, em seu gabinete, sobre o episódio polêmico que envolveu uma guarnição da PM e o deputado Luiz Calixto, que terminou com a “prisão” deste último (leia).

Nada contra a opinião do comandante, autoridade com a qual mantemos uma relação de profundo e recíproco respeito, mas não reconheço sensacionalismo, muito menos infelicidade naquela publicação. Primeiro, porque o termo impunes, ali grafado, não se refere à atuação da polícia, ou seja, a impunidade que campeia no Brasil em todos os segmentos da sociedade, seja qual for o crime, de roubo de galinhas a colarinho branco (aliás, é mais fácil o ladrão de galinhas ser preso do que um político corrupto), não pode ser creditada à eficiência ou ineficiência da polícia e sim à brandura das leis.

Em segundo lugar, independentemente do que a lei diz, o fato de um motorista não perder pontos na carteira ou até mesmo a própria licença para dirigir, caso seja comprovada a irresponsabilidade ao volante, para mim não passa de pura impunidade. O fato de a polícia haver cumprido com o que determina a lei, como o comandante garante e nós não duvidamos, não descaracteriza a condição de impunidade, pois é a própria lei que a promove. Haverá impunidade enquanto motoristas dirigirem embriagados e em alta velocidade, o que é comum em Xapuri, principalmente nos finais de semana, e esses condutores não forem presos, autuados e condenados.

O comandante cita um trecho do Código Nacional de Trânsito, que diz, em suma, segundo ele, que em não havendo danos físicos, somente materiais, o único castigo ao condutor é o ressarcimento dos prejuízos. Não há investigação, nem responsabilização sobre o maior ou menor grau de imprudência, imperícia ou embriaguez ao volante. Parece que para a lei do trânsito só há culpa se houver um morto ou ferido. A verdade é, com respeito às opiniões contrárias, que a impunidade no trânsito, não somente em Xapuri, mas em todo o país, é uma realidade da qual não de pode fugir, e sim enfrentar essa dura realidade e se preparar melhor para combatê-la.

Renovo as críticas à falta de fiscalização nas ruas de Xapuri, mas reconheço as dificuldades impostas à polícia pelas autoridades do poder executivo. Não placas de sinalização na cidade, não existem calçadas, nem ciclovias. Essas questões precisam ser mais e melhor debatidas. Quem sabe colocadas na pauta da Câmara, afinal é um assunto de extremo interesse da população que, certamente, atrairia mais público para as sessões daquela casa legislativa que, com raras exceções, só discute miolo de pote, com respeito a alguns vereadores que não merecem a referência.

Não podemos aceitar o discurso de que está tudo bem e esperar mais uma morte nas poucas ruas de Xapuri para começar a agir. Repito sem nenhum sensacionalismo: as ruas de Xapuri não são lugar seguro de se andar, prova disso são as sucessivas ocorrências, umas graves, outras nem tanto, mas que se acumulam nas estatísticas da Polícia Militar e provocam danos materiais e sequelas físicas a motoqueiros, motoristas, pedestres e ciclistas.

Cartunista Braga

Sem noção


Francisco Braga

As pessoas do resto do Brasil ainda são tão desinformadas a respeito do Acre e da Amazônia, que me dá nos nervos. Chego a ficar mal humorado com a ignorância de gente que deveria saber até mais do que eu sobre o assunto: alguns de meus professores, jornalistas e artistas de TV que estiveram pelas bandas da Terra de Galvez gravando a minissérie Amazônia.

Leia algumas pérolas:

Professor de geografia e história:

- O ex-presidente José Sarney foi eleito senador pelo Acre, apesar de ser do Amapá e viver no Maranhão.

- Isso que tá passando na minissérie Amazônia é tudo mentira. O Acre foi trocado por um cavalo, mas o presidente Evo Morales devolveu o animal para Getúlio Vargas porque não sabia cavalgar.

Ator de TV:

- Cara, vocês tinham que provar a ayauasca. É um tipo de sopa feita à base de caiçuma, com camarão e uma folha lá, que eu não lembro o nome. Chama chacrinha, eu acho. Em toda esquina tem uma senhora vendendo. O Acre todo pára pra tomar numas cuias feitas pelos índios caiapós.

Jornalista:

- Quer dizer que tem índio na política, no Acre? Como é que pode? Tem tanto índio assim lá no Acre, que dá pra eleger uma pessoa? Pô, num sabia não, aí ó! Como é que eles conseguem fazer campanha falando em guarani?

Aí eu me irritei:

- Pois é. E eu vim morar aqui, fugindo das flechas perdidas e aproveitei para estudar, mas acho que não fiz um bom negócio.

◙ O autor é cearense, morou no Acre e mantém o blog Cartunista Braga.

Copiado do blog do Altino

Sena Madureira Online

Notícias do município de Sena Madureira no seguinte endereço: http://www.yaco-online.com.br/. Este blog também está lá.

Beleza solitária

Não existem mais matas às margens da BR-317, mas a imponência de castanheiras preservadas por força da lei, solitárias na imensidão das pastagens, proporcionam aos viajantes belas imagens como essa da foto acima.

Desenvolvimento regional em debate

O município de Brasiléia, a cerca de 70 km de Xapuri, foi palco, nesta quinta-feira (14), da segunda edição da chamada Assembléia Aberta (a primeira foi realizada em Sena Madureira, no dia 31 de maio passado), sessão itinerante da Assembléia Legislativa do Estado do Acre, que tem o objetivo de abrir discussão com todos os municípios acreanos sobre os problemas locais e debater propostas para o desenvolvimento econômico do estado.

O evento foi realizado no Centro de Cultura Sebastião Dantas, com a presença de 21 deputados estaduais e vereadores dos municípios de Xapuri, Brasiléia, Epitaciolândia, Assis Brasil e Capixaba. Cerca de 500 pessoas, além de profissionais de toda a imprensa acreana, lotaram o auditório do centro cultural para participar de um momento que pode ser considerado histórico pela importância dos temas em discussão e pela ocasião rara de se reunir em um município do interior tanta gente responsável pelo futuro do Acre.

O presidente da Assembléia Legislativa, Edvaldo Magalhães, disse na abertura da sessão que o Acre não pode fugir dos seus problemas, mas assumir esses problemas e apontar as suas soluções. "As informações que conseguirmos hoje, serão muito úteis, na hora de a Assembléia Legislativa sentar com o Poder Executivo para discutir a aprovação do Orçamento", afirmou ele.

A prefeita de Brasiléia, Leila Galvão, se mostrou emocionada em ser anfitriã de um evento dessa magnitude. "É uma felicidade muito grande pra gente, poder discutir essas questões. A atitude da Assembléia levando o debate para os municípios ajuda a democratizar as ações", disse ela no seu discurso de recepção aos participantes do evento.

Praça iluminada

A prefeitura de Xapuri realiza neste final de semana o evento denominado "Praça Iluminada". Esporte , cultura e gincanas, entre outras atividades. A iniciativa é muito boa. A juventude xapuriense, geralmente sem opções, precisa muito de realizações desse tipo para não cair nos braços da ociosidade e do vício. As atividades serão realizadas no domingo, durante todo o período da tarde.

Só está faltando à prefeitura dar uma explicação convincente a respeito da proibição imposta ao Grupo de Teatro Poronga de utilizar o auditório do museu Casa Branca. As justificativas do presidente da Fundação Municipal de Cultura, Roberto Bastos, não convencem. Se a Casa Branca não está oferecendo condições de receber o teatro, nada mais sensato que oferecer um outro espaço para os ensaios.

As encrencas do prefeito Vanderley Viana com o diretor do grupo Poronga, Amarildo Ferreira, não podem ser motivo de prejuízo para o teatro de Xapuri, que tem evoluido bastante com o esforço de um punhado de jovens esforçados, além de talentosos. As escolas estaduais, que dispõem de auditórios também poderiam se oferecer para ajudar. Tudo pela nossa cultura, que precisa de apoio para crescer.

quarta-feira, 13 de junho de 2007

Látex de seringal nativo é supervalorizado

O preço do látex praticamente triplicou. Além da nova cotação do produto, seringueiros ainda ganham novas oficinas de trabalho.

MONTEZUMA CRUZ
agenciaamazonia.com.br

A fábrica de preservativos masculinos em Xapuri, a 188 quilômetros de Rio Branco, valorizou a cotação do látex, informa o Governo do Estado do Acre. O produto passou de R$ 1,20 para R$ 3,40. O seringueiro recebe ainda R$ 0,70 por quilo de borracha seca. Semanalmente, cada produtor entrega de um a oito tambores. A capacidade de cada tambor é de 30 litros e deste total, metade é borracha seca e outra metade água. O pagamento é mensal.

A fábrica de camisinhas de Xapuri, terra do líder ambientalista Chico Mendes, é a única do mundo a utilizar látex de seringal nativo. Às vésperas da inauguração do empreendimento, técnicos da Secretaria de Assistência Técnica e Extensão Rural e Secretaria de Extrativismo e Produção Familiar intensificam o modo de entrega da matéria-prima que moverá a indústria. Segundo o gerente de produção e abastecimento, Aldenor Ferreira, a Reserva Extrativista Chico Mendes foi dividida em rotas e o transporte do látex é feito a partir dos pontos de recolhimento.

Dez pontos

Ferreira explica que o ponto é apenas mais um elemento adicionado ao dia-a-dia dos seringueiros desde o início do projeto. Dez pontos já funcionam nas colocações (núcleos de extração do látex) para que os seringueiros possam manipular a matéria-prima e conservar as ferramentas. Eles situam-se em pontos estratégicos da reserva, com acesso de caminhão para escoamento da produção.

Nesses mesmos locais a qualidade da matéria-prima é testada. De acordo com o gerente do Seringal Chora Menino, Edissandro Silva Souza, jovens seringueiros foram capacitados a fazer a recepção do látex, pesagem e retirada de amostra para esses testes. Eles também determinam o percentual de borracha seca.

Para o coordenador de campo, João Pereira da Silva, os gerentes são o elo dos seringueiros com a fábrica.

Com a instalação da indústria de preservativos, os seringueiros ganharam módulos sanitários, pontos de captação de água e placas que captam energia solar nas colocações. O Governo do Acre destaca no atual estágio a melhoria dos ramais de acesso à área produtora. O escoamento do látex em tempo hábil é essencial para o sucesso da produção, explicam os técnicos.

Lula diz que noticiar violência prejudica turismo no país

Lula e a ministra Marta Suplicy lançam Plano Nacional de Turismo 2007-2010

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva criticou nesta quarta-feira a imprensa brasileira por, segundo ele, divulgar notícias que relacionam áreas turísticas do país a casos de violência. De acordo com Lula, isso prejudica o desenvolvimento do turismo no país.

A reclamação do presidente foi tornada pública pela agência Brasil, órgão de divulgação oficial do governo federal."

O que a gente vê de bonito na imprensa brasileira? Não tem. Se fala do Ceará, é morte, se fala da Bahia, é morte, ou seja, ele [cidadão] fala: 'Eu não vou sair daqui, não, eu vou ficar dentro de casa'. E ainda olha para ver se não tem uma fresta para não ter uma bala perdida", disse Lula, conforme relato da Agência Brasil.

"Essa é uma parte da história do país, mas há uma outra parte que nos motiva a viajar. Nós não temos essa provocação", disse o presidente em seu discurso durante a cerimônia de lançamento do Plano Nacional de Turismo 2007-2010, em Brasília, da qual participou também a ministra Marta Suplicy (Turismo).

Lula também afirmou que os governadores devem fazer propaganda dos pontos turísticos de seus Estados. Ele criticou os opositores que consideram esse tipo de atividade um mau uso do dinheiro público.

"Meu caro Binho [governador do Acre, Binho Marques, presente hoje à cerimônia], se você quiser que o Acre seja conhecido, você tem que colocar propaganda do Acre em São Paulo, no Rio de Janeiro, em Minas Gerais. Não basta falar bem do Acre dentro do Acre. Os acreanos já sabem", disse Lula.

"Agora, se fizer isso, vão dizer que está gastando dinheiro. Já vem o Ministério Público abrir um processo, já vem um deputado da oposição criticar, já vai fazer um monte de coisa. Neste país, ainda há um tipo de gente que precisa ter muita desgraça para ele existir."

Lula afirmou ainda que o país necessita investir em bons hotéis e restaurantes para atrair os turistas. "Não tem turismo em favela, em palafita. Turista não gosta disso. Turista gosta de monumentos históricos, de museus, de restaurantes bons. Todas essas coisas nós precisamos criar", declarou.

Qualificação em Brasiléia

Vereadores de Capixaba, Xapuri, Epitaciolândia, Brasiléia e Assis Brasil participaram do evento

Tião Maia (Jornal Página 20)

Brasiléia - “Saio daqui com a certeza de que vou viver um novo tempo no exercício do meu mandato”, disse ontem, em Brasiléia, o vereador Leôncio Gomes (PSDB), de Assis Brasil, praticamente sintetizando o sentimento de seus colegas após participação no curso de aperfeiçoamento para vereadores. O curso foi promovido durante dois dias destinado aos vereadores de Capixaba, Xapuri, Epitaciolândia, Brasiléia e Assis Brasil, representando o conjunto dos municípios do Alto Acre. Outras duas versões do curso já haviam sido apresentadas em Cruzeiro do Sul, para os municípios do Vale do Juruá, em 2006, e em Sena Madureira, para os municípios do Vale do Yaco. Até o fim do próximo semestre do ano, quando o curso se estenderá aos municípios do Vale do Envira e do entorno de Rio Branco, serão atingidos pelo menos 230 vereadores, dos mais diversos partidos.

A promoção é do gabinete do senador Tião Viana (PT-AC), em parceria com deputados federais - no caso dos vereadores do Alto Acre, a parceria foi com Fernando Melo (PT) e Sérgio Petecão (PMN). Os cursos de Cruzeiro do Sul e de Sena Madureira contaram com a ajuda dos deputados Henrique Afonso e Nilson Mourão (PT), além de Melo e Petecão. Os cursos do Vale do Envira e de Rio Branco serão realizados em parceria com os deputados Perpétua Almeida (PC do B), Nilson Mourão (PT) e Gladson Cameli (PP). Os palestrantes dos eventos são o assessor parlamentar do gabinete do senador Tião Viana, Carlos Rebello, pós-graduado em gestão pública pela Universidade de Brasilia (UnB), e pelo professor Jales Marques Ramos, mestre em ciências políticas pela UnB e consultor legislativo aposentado do Senado Federal. Os dois palestrantes se revezaram, nos dois dias, explicando pontos fundamentais para o exercício do mandato e aplicação de leis básicas, como a de Responsabilidade Fiscal, além do que diz respeito à participação do vereador na elaboração do orçamento do município. Os vereadores recebem noções de como lidar com a Lei de Responsabilidade Fiscal e a Constituição, além de receberem o “Manual do Vereador”, com todos os passos sobre como o parlamentar deve atuar na fiscalização e na apresentação de requerimentos à administração. “O vereador traduz as demandas da comunidade”, disse Jarles Ramos. “É a pessoa que possui a responsabilidade de transpor os anseios da sociedade para o plano estadual e federal. É por isso que esse agente púbico precisa ser cada vez mais capacitado.”

De acordo com Carlos Rebello, o curso visa, principalmente, a melhoria da qualidade do mandato do vereador. “Não se trata de um estudo exaustivo do assunto, mas de uma sensibilização para despertar o interesse pela aplicação da qualidade no ambiente de trabalho e no âmbito pessoal”, explica Jales Ramos. “É importante para eles terem informações mais precisas sobre a Lei de Responsabilidade Fiscal e sobre o papel do vereador”, acrescenta Rebello.O jornalista Aníbal Diniz, suplente do senador e que substituiu Tião Viana na abertura do curso em Brasiléia, reconheceu a importância do evento. “Essa iniciativa do senador Tião Viana e dos deputados federais Fernando Melo e Sérgio Petecão reflete a seriedade com que eles e a Frente Popular tratam a política”, disse Diniz. “É um curso caro, que demanda custos e muito trabalho, e mesmo assim o senador, com o apoio dos deputados e de sua equipe, tem se mobilizado pelo Estado inteiro a fim de proporcionar mais conhecimento aos nossos vereadores. Isso significa melhoria na qualidade dos nossos quadros políticos e da própria política.”

segunda-feira, 11 de junho de 2007

As últimas

Morre o ex-vereador Henrique Soares

Xapuri perdeu dois ex-vereadores em menos de dois meses. Primeiro foi Luís de Freitas, mais conhecido como Luís Paulista (1993-1996), morto no mês de abril, vítima de uma doença rara. Neste último domingo, morreu o ex-vereador Henrique Soares (1997-2000), vitimado por complicações cardíacas e diabetes. O corpo do ex-vereador foi velado na Câmara de Xapuri e sepultado no cemitério São José, na tarde desta segunda-feira.

20 anos de Sibéria

A comunidade do bairro Sibéria comemorou 20 anos de existência em grande estilo. Os festejos superaram em organização e qualidade os realizados ultimamente pela prefeitura nas datas comemorativas do município. O presidente da associação de moradores, João Jorge Cosmo da Silva, vibrou com o sucesso da festa que trouxe artistas como Geraldo Leite e Monteirinho, ambos xapurienses, e até o internacional L4 da Bolívia. O ponto alto da festa, porém, foi o mutirão de cidadania e saúde, que atendeu milhares de pessoas, com o Programa Saúde Itinerante, o Projeto Cidadão e o SEBRAE.

Vice x Prefeito

Depois de passar dois anos aparentemente conformado com o chega pra lá que recebeu do prefeito Vanderley Viana, quatro meses após as eleições, o vice João Dias parece ter resolvido declarar guerra contra o ex-aliado e, agora, colega de partido. João Dias deixou o antigo PFL no ano passado e filiou-se ao PMDB, onde lidera um movimento de oposição ao atual prefeito de Xapuri. Na semana passada trocaram acusações e xingamentos. Vanderley disse que João Dias só sabe mexer com esterco. João Dias rebateu afirmando que é melhor mexer com esterco que com... Vamos mudar de assunto?

PMDB x Prefeito

A coisa realmente não anda boa para o lado de Vanderley dentro de sua sigla partidária, quando o assunto é relacionado às próximas eleições. O deputado Chagas Romão já anunciou que não apoiará a candidatura do prefeito esquentadinho à reeleição, mas também afirmou que não interferirá. Essa decisão, segundo ele, ficará por conta do diretório municipal. No entanto, é justamente aí que o caldo começa a engrossar para o lado de Viana, pois o presidente do diretório do partido em Xapuri, Francisco Damião Bispo, já declarou que Vanderley não é candidato à reeleição sem que antes tenha que enfrentar, no mínimo, três adversários na convenção municipal. Dois desses nomes seriam os dos próprios Damião Bispo e João Dias. Bispo e Vanderley já trocaram socos e pontapés em plena via pública. Há, porém, quem afirme que o caso acabará em reconciliação.

Prefeito x Muambeira

Desavisada do espírito justiceiro do prefeito da cidade onde comercializam, ilegalmente, pelas esquinas, de quinquilharias a cigarros, bebidas e, em alguns casos, até entorpecentes, uma dessas bolivianas gorduchas e já de certa idade, passou por maus bocados nas garras de Vanderley. Ao avistar a patrícia com seus xurumbambos, segundo testemunhas, o prefeito desceu do seu carro e com a rapidez de um legítimo rapa confiscou toda a mercadoria da hermana boliviana que ficou aos berros no meio da rua.

domingo, 10 de junho de 2007

Este rio é meu (Ciúme)

Para Armando Nogueira

O poeta acreano que faz tabelinhas fantásticas com as palavras, que faz poesia com o futebol, durante as comemorações do centenário do Tratado de Petrópolis, disse emocionado, sobre o rio Acre: “Este rio é meu!”. Agora, cheio de ciúmes, digo ao Armando que este rio que ele quer já tem dono. Este rio é meu. E torço, na marca do pênalti, para que o Armando não o conquiste de longe. Conhecendo este rio, sinto que ele tem saudades do poeta xapuriense e o quer aqui mais vezes.

Este rio é nosso, é meu. Ele não é só para a poesia, para um ou outro momento, este rio é para a vida inteira, para o olhar diário, para um passar constante. Mais que isso, é ele para muitas vidas, a minha e a dos meus filhos, vidas que renascem quase todo dia em suas correntezas, que tentam interpretar sua beleza, que aparam o sol em suas águas, que sentem no rosto a noite das suas margens. Este rio é para amor simples, sem solenidades. Pede repetidos afagos. E não sacia, porque espera pelo vagar de muitos goles. A poesia deste rio é a crônica diária, porque ele não dá água para lágrimas de ontem. É simples, este rio é revolucionário.

Este mesmo rio que encontro em Xapuri, que vejo passear em Brasiléia, que espero crescer em Assis Brasil, me acompanha em Rio Branco, anda junto com minha vida, que também finge passar mas não sai daqui. Este rio é meu, da minha infância, da adolescência e desta madura juventude seguinte em que me encontro. Pequenas coisas me dão para este rio, que é meu e de quem o acompanha por estas florestas, para além da poesia. E sendo meu, este rio não dou, sequer à emoção, porque lhe falta a razão de estar com ele em tantas curvas e estirões, nas alegres lendas, nas inacreditáveis conversas fiadas. O Armando terá que conquistá-lo. Já deve estar armando uns versos, algum grande lance.

É preciso navegar este rio, nele embarcar os filhos, outros olhos, novos sentimentos. Este rio é para muitas vidas, além dos discursos e das especiais homenagens ao poeta de toque refinado, sempre merecidas. Este rio é meu e não é para levar, ele é daqui, como nossas vidas. Este rio é para amar, mas é preciso navegar. Este rio é meu, é dos meus filhos, é dos meus amigos, dos teus, dos dele. É de todos os que lhe dão bom dia, dos que lhe dão o carinho da usual olhadela, é das moças que o esperam na janela, dos que o cruzam por opção, dos que o olham com repetida emoção, pela freqüência da situação de estar perto dele, das suas lendas e águas, aqui barrentas, acolá, cristalinas. Águas que escondem o fundo do mistério de tão encantado rio, quase enfeitiçado, abençoado, às vezes, dissimulado. De suas águas turvas e também límpidas, transparecem as verdadeiras paixões, que permitem tornar clara a mais profunda sensação do gostar de aqui estar. Este rio faz a curva na floresta em que começa nosso mundo, nossa paixão, nosso estirão.

Este rio é meu e não se dá para passageiros olhares, a menos que a rota seja habitual. Por isto, o rio quer trazer o poeta. O pedágio deste rio é a renovação do carinho; o ingresso é ter o Acre no coração, é ficar com esta terra sem mar, ficar e nela encontrar o prazer do costume. Este rio, não canso de dizer, finge que passa e fica, num renovado ficar que só quem o acaricia pode explicar. Este velho rio não é para dar nem entregar, é preciso conquistar o banzeiro. Olhares se vão, este mesmo rio os leva para algum mar, este rio, nosso rio, que te quer rever e acompanhar, Armando. Ali está meu rio, estou aqui com ele, amanhã ou depois, com alguma prosa, posso ir nele regatear meus dias, deixar minha vida seguir de bubuia, simplesmente, navegar meus olhos, sei que há muito para pescar neste rio que quer fisgar o poeta. E há uma torcida inteira com ele, lotando os barrancos.

Do calçadão vejo meu rio, outra tarde começa a sumir em suas águas, o sol afundou num grande salão. Água não tem cabelos. Afogou-se a tarde, a água ficou prateada na flor, cheia de uma lua que só aqui existe. Devo estar emocionado, quem sabe, vou encontrar a poesia do rio, a poesia de quem freqüenta seu entardecer, de quem conhece suas artimanhas e remansos, de quem corre em sua correnteza com os dias da própria existência, de quem espera anoitecer nesta floresta, nesta terra de muitas águas, de fartas águas para muitas sedes, inclusive a minha, que quer tomar todo este rio, que tem ciúmes de suas curvas se esticando para roçar a areia das praias.

Deste rio, mata-lhe a sede a poesia de quem lhe bebe as águas com sempre mais vontade. A poesia que o emoldura é a de quem pisa o barro de seus barrancos, a areia de suas margens, com cuidado nas arraias. A poesia deste rio é lenta como um balseiro, simples como um seringueiro, enorme como a Amazônia. A poesia deste rio pode estar na sombra da samaúma refletida em suas águas, na longa castanheira em seus arredores. A poesia deste rio é misteriosa e agradável como as águas que o separam das margens, que só se encontram no prazer de atravessá-lo, desde o tempo das catraias, de nadar em suas águas quando menino, de olhá-lo com o carinho de adulto. É uma poesia para gastar e renovar, penetrante, como as águas que passam enquanto o rio fica, como ficamos nós, neste leito de amor com ele, para bem adiante da poesia. E da prosa que tiramos dele.

José Augusto Fontes

Extraído da coluna Crônica de Domingo do Jornal Página 20

sábado, 9 de junho de 2007

Rio Acre na UTI

Há 16 anos o pesquisador e geógrafo, Claudemir Mesquita, estuda o Rio Acre. Especialista em planejamento e uso de bacias hidrográficas, ele afirma que um dos maiores mananciais de água doce do estado não terá vida durante muito tempo.

O rio que nasce no Peru no encontro do rio das pedras e eva apresenta atualmente o maior déficit de água dos últimos 10 anos. Até novembro deste ano a situação deve se agravar. As maiores e mais movimentadas praias, do bairro da base e do amapá, sumiram em virtude da areia retirada pelas dragas que operaram no leito, levando tudo para a construção civil.

A erosão reduziu a calha. Com aproximadamente 830 km de extensão, o rio ficou mais estreito, as cidades e comunidades as margens vão sofrer com a freqüência das inundações. O poder público ainda não conseguiu tratar o todo esgoto in natura da cidade que é despejado dentro. Suas margens continuam sendo desmatadas. A poluição e contaminação por água tóxica vêm matando todas as espécies.

Três milhões e meio são retirados do Rio todo ano, dinheiro que nunca voltou em investimentos de recuperação das nascentes, tratamento do esgoto, reflorestamento da mata ciliar, remoção das famílias que moram no entorno e principalmente em atividades de conscientização dos moradores.

São milhões de reais resultantes da pesca feita pelos ribeirinhos, dragas que removem areia para construir a cidade, postos que usam a água para lavagem de carros, além do abastecimento dos moradores feito pelo DEAS e SAERB.

“Não estamos dando a atenção necessária para preservação, por isso o rio vai morrer em pouco tempo. A vida humana também vai desaparecer.” Concluiu o geógrafo.

Redação Notícias da Hora

quinta-feira, 7 de junho de 2007

Quem espera sempre alcança

Flu volta à Libertadores depois de 23 anos

Logo aos dois minutos, a alegria. No resto da partida, tensão e expectativa. Mas valeu a pena. Foi com muita emoção. A torcida tricolor está em festa. Depois de 23 anos, o Fluminense volta à Taça Libertadores da América. O Tricolor venceu nesta quarta-feira o Figueirense por 1 a 0 e sagrou-se campeão da Copa do Brasil de 2007. Roger, titular só porque Luiz Alberto acabou vetado pelo departamento médico, foi o grande herói do título. O Figueira, que levou o gol aos dois minutos de jogo, jogou a partida inteira no ataque, mas não conseguiu superar a defesa do Flu. Leia mais.

Sibéria comemora 20 anos de existência

Separado da cidade pelo rio Acre, bairro completa duas décadas com um bom nível de organização social e sonha com uma ponte para o fim do isolamento



Uma das comunidades mais organizadas do município de Xapuri, isolada da área central da cidade pelo rio Acre, o bairro da Sibéria comemora a partir de hoje, com uma programação de causar inveja aos principais festejos da cidade, 20 anos de existência. Apesar de o povoado existir há bem mais tempo que isso, a comunidade adotou como marco inicial da história do bairro a data de fundação da sua Associação de Moradores.

A partir desta quarta-feira (06) até domingo (10), serão cinco dias de muita festa, shows musicais, rodeios, quadrilhas, eventos esportivos e celebrações religiosas. Os festejos serão abertos pelo cantor acreano Geraldo Leite, que se apresenta na noite de hoje. A Associação de Moradores aguarda a participação de um grande número de pessoas da cidade e também de outros municípios. As catraias estarão funcionando durante toda a noite, durante os dias de festejo e o preço da passagem, que custa setenta e cinco centavos, foi baixada para cinqüenta centavos.

Um dos pontos mais importantes das atividades desenvolvidas no bairro durantes os festejos será, no entanto, na área de assistência médica e de atendimento ao cidadão. Na sexta-feira e no sábado acontecerá o atendimento do Programa Saúde Itinerante e do Projeto Cidadão. O SEBRAE também estará realizando atendimentos na comunidade para micros e pequenos empresários e comerciantes informais.

Os 20 anos de existência da Associação de Moradores do Bairro da Sibéria são marcados por um antigo sonho que se transformou em reivindicação não somente da população do bairro, mas de toda a população de Xapuri: a construção de uma ponte sobre o rio Acre para tirar o bairro do isolamento físico e impulsionar a economia e o desenvolvimento dessa grande parte do município localizada na outra margem do rio. Com certeza esse seria o presente que a comunidade da Sibéria gostaria de receber nesta data tão importante.

O bom nível de organização social e a capacidade de mobilização da comunidade do bairro Sibéria já ganharam destaque nacional através da Saboaria Xapuri, uma fábrica artesanal de sabonetes naturais, administrada pelo Grupo de Mulheres, da associação de moradores, que no ano passado venceu o Prêmio FINEP, na categoria Inovação Social, ganhando espaço no programa Globo Repórter, da Rede Globo de Televisão.

quarta-feira, 6 de junho de 2007

Luz para Todos

O Gerente Estadual do Programa Luz para Todos, Tácio de Brito, atendeu ao convite feito pela Câmara Municipal de Xapuri para participar da sessão ordinária desta terça-feira (05). O objetivo da presença do coordenador foi falar sobre as metas do Luz para Todos em Xapuri e esclarecer dúvidas de produtores rurais que ainda não foram atendidos pelo programa.

Tácio de Brito respondeu perguntas dos vereadores e de produtores presentes à sessão e tranqüilizou aqueles que possuem propriedades afastadas das margens dos ramais, quanto aos comentários de que a eletrificação só atingiria quem estivesse localizado ao longo dessas vias. O coordenador garantiu que a eletrificação rural chegará a todos os locais do Estado, pois esta é a meta do governo federal.

Tácio de Brito já esteve fazendo esclarecimentos em Xapuri, sobre o programa, há cerca de 20 dias atrás, quando foi convidado para participar de um encontro com produtores no Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Xapuri. Naquela oportunidade, Tácio falou sobre o que já foi feito no município pelo programa e anunciou uma meta de 70 quilômetros de eletrificação rural para Xapuri nesse ano de 2007.

Desde o início do programa, em 2004, o Luz para Todos já realizou cerca de 50 quilômetros de eletrificação em diversas regiões do município de Xapuri. Tácio de Brito informou ainda que o custo de cada km de eletrificação rural custa 27 mil reais e cada ligação custa 7 mil reais. Os serviços estão concentrados atualmente no Assentamento Tupá e estão prosseguindo mesmo com as chuvas. Na Colocação Rio Branco, na Reserva Extrativista Chico Mendes, o Luz para Todos já é realidade e nos próximos dias a comunidade realizará uma grande festa para a inauguração.

terça-feira, 5 de junho de 2007

CNJ devolve mais de meio milhão de hectares ao Incra na Amazônia

Mais de meio milhão de hectares de Floresta Amazônica – área equivalente à do Distrito Federal – voltam para as mãos da União por decisão do conselheiro Paulo Schmidt, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). As decisões foram tomadas em dois processos (PP 239 e PCA 457), dos quais Schmidt é relator.

Nos dois casos, a Advocacia Geral da União no Amazonas questionava decisões do Conselho da Magistratura do Tribunal de Justiça do Estado (TJ-AM). As decisões reconheciam como legítimos registros de terra que haviam sido cancelados anos antes por outra instância do TJ-AM, a Corregedoria-Geral.

Pelas decisões de Schmidt, os processos também devem ser encaminhados para a Corregedoria Nacional de Justiça, ao Ministério Público Federal e à Advocacia Geral da União, “para as providências que entenderem cabíveis”.

As glebas em questão fizeram parte das investigações da CPI da Terra. Agora, com a decisão do CNJ, são devolvidas ao Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) quatro áreas, que somam 592.852 hectares, sempre no estado do Amazonas: uma das fazendas fica no município de Canutama, a fazenda Seringal Palhal, de 365.045 hectares. As outras três áreas são registradas no município de Tapauá: Fazenda Jacutinga (94.227 ha), Fazenda São Jorge (37.580 ha), e o Riozinho e outros (96.000 ha).

A prática de grilagem é algo comum no Amazonas, segundo informações da Procuradoria Especializada junto ao Incra no Estado. Em documento enviado ao CNJ, a Procuradoria informa que nos últimos dez anos, em apenas um terço do Estado foram cancelados os registros de áreas que somam mais de 48 milhões de hectares – equivalente a mais de duas vezes o Estado de São Paulo.

Entre outras irregularidades encontradas nas decisões que reconheceram os registros dos falsos donos, há uma inconstitucionalidade, segundo o conselheiro Paulo Schmidt: “A Constituição Federal estabelece, no artigo 109, inciso I, que compete à Justiça Federal a apreciação das causas cuja interessada seja a União ou suas autarquias”.

Schmidt também questionou a competência do Conselho da Magistratura do TJ-AM para anular decisão da Corregedoria-Geral. “Não há qualquer menção de dispositivo legal que a justifique”, escreveu o relator.

Os recursos contra os cancelamentos foram apresentados cerca de cinco anos depois das decisões. Legalmente, deveriam ser interpostos em, no máximo, dez dias. Além disso, a decisão de reconhecer os registros anulados foi tomada sem que o Incra fosse ouvido.

A grilagem de terras na Amazônia é a porta de entrada para a destruição da Floresta, segundo o conselheiro Paulo Schmidt. Uma questão quase igual já havia sido decidida da mesma maneira, por unanimidade, pelo Conselho Nacional de Justiça, no PP 268, em agosto de 2006. Na ocasião, foram devolvidos ao patrimônio da União 485 mil hectares que haviam sido grilados no município de Lábrea, também no Amazonas.

“Com o registro falso, o grileiro tenta negociar a terra, em geral para fazendeiros interessados em converter a floresta em plantações de soja ou em criações de gado, no início do processo de destruição de uma das áreas de maior biodiversidade do planeta”, disse Paulo Schmidt. Os efeitos das agressões à Amazônia não ficam restritos localmente, segundo o conselheiro, mas afetam a toda a população. “A floresta é importante para o regime de chuvas e o equilíbrio do clima no planeta”, disse.

Assessoria de Comunicação Conselho Nacional de Justiça (CNJ)

Semana do Meio Ambiente

Com o tema "Mudanças Climáticas Globais – Soluções Locais" o Governo do Estado e a Prefeitura de Rio Branco promovem a Semana do Meio Ambiente do Acre. As atividades começaram nesta segunda-feira na Bacia do Rio São Francisco. A abertura oficial da semana será nesta terça-feira na Praça Povos da Floresta, no Centro de Rio Branco, com a assinatura do termo de adesão das escolas estaduais à coleta seletiva de lixo, às 8h30.

Haverá, ainda na terça-feira, blitz ambiental em vários pontos de Rio Branco. Às 10h30 a Procuradoria Geral do Estado lança o Programa PGE Verde, no Teatro Hélio Melo. À tarde, por volta das 17h, por volta das 17 horas, o governador Binho Marques lança o Zoneamento Ecológico Econômico do Acre Fase 2, tendo como principal produto o Mapa de Gestão Territorial do Acre e realiza o ato de sanção da lei do Zoneamento.

Durante toda a quarta-feira comemora-se o Dia Nacional do Catador, em eventos coordenados pelo Projeto Catar. Às 9h será exibido no Teatro Hélio o filme ´Uma Verdade Inconveniente´, do ex-vice-presidente dos Estados Unidos Al Gore. Às 10h, com a presença da ministra Marina Silva, será lançado o Prêmio Florestania de Educação Ambiental no auditório da Secretaria de Estado da Educação. Às 11h, haverá entrega do Kit Tom da Amazônia para escolas estaduais. Esse evento é realizado em parceria com Furnas e a Fundação Roberto Marinho. Às 15 será novamente exibido o filme de Al Gore.

Rio Acre - A programação segue intensa. Às 8h será feito o lançamento do Projeto Participativo de Recuperação da Mata Ciliar no Curso do Rio Acre, no bairro do Aeroporto Velho. Das 8h às 16h haverá a Parada Ambiental da Juventude, com apresentação de vídeos e debates.

Das 8h30 às 18h será aberto o 2º Seminário de Gestão dos Recursos Hídricos no auditório da Secretaria da Fazenda. No dia 9 de junho, sábado, haverá soltura de tracajás e assinatura de convênio com o Projeto Quelônios, na sede de Projeto SOS Quelônios em Acrelândia. No dia seguinte, domingo, haverá muitas atividades no Parque Chico Mendes, e na segunda-feira, 11, será realizada uma gincana ecológica na escola São Camilo com organização da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa).

“Para enfrentar as mudanças climáticas globais temos que começar aginda da forma correta nas situações ao nosso redor. Cada um pode fazer a sua parte, aderindo à prática sustentáveis e motivando outras pessoas ou grupos organizados a mudar essa realidade”, informa o folder com a programação da Semana.

Em Xapuri, alunos coletam lixo nas ruas

Famosa pela trajetória do líder sindical Chico Mendes, cuja vida e morte o transformaram em símbolo da preservação do meio ambiente, a cidade de Xapuri, nos dias atuais, encontra-se longe de ser considerada exemplo de gestão ambiental e de preocupação com os problemas mais simples que afetam a comunidade como, por exemplo, a coleta de lixo urbano realizada de forma precária pela prefeitura do município.

Preocupados com essa realidade, os alunos e professores do ensino fundamental da escola Anthero Soares Bezerra, realizaram na manhã desta segunda-feira (04), uma campanha de coleta simbólica de lixo em vários bairros da cidade. Além de fazerem a coleta do lixo encontrado nas ruas e terrenos baldios, os estudantes conscientizam a população desses locais sobre medidas simples para tornar o ambiente em que vivem mais saudável.

A campanha da escola Anthero Soares Bezerra faz parte das atividades da Semana do Meio Ambiente que serão encerradas amanhã (05), Dia Mundial do Meio Ambiente. A escola foi a única a realizar uma programação efetiva sobre o tema, envolvendo cerca de 400 alunos nos dois turnos de funcionamento da instituição. Desde a semana passada, estão sendo realizadas diariamente uma série de atividades como palestras e seminários sobre os mais diversos problemas relacionados ao meio ambiente.

Professores de várias disciplinas estão envolvidos na programação, desde a área de Língua Portuguesa, passando pela Geografia até as chamadas ciências exatas. Para o professor Wágner Soares de Menezes, de matemática, Xapuri deve deixar de ser uma cidade considerada ecológica nos discursos de políticos e autoridades, para ser uma cidade ecológica na prática do dia-a-dia de toda a sociedade.

“Apesar de ser conhecida lá fora como uma cidade ecológica, sabemos que isso não existe na prática. Para se tornar uma referência ecológica, Xapuri deve fazer algo para merecer esse status. Não podemos ser referência ecológica se estamos jogados no meio do lixo”, disse o professor.

segunda-feira, 4 de junho de 2007

Resposta ao leitor do Archibaldo

O jornalista Archibaldo Antunes afirma que um leitor (ou leitora) postou o seguinte comentário no seu blog Xapuri Verdade:

Ao Raimari,

Já se passaram quase quarenta dias, e neste momento peço-lhe que publique e divulgue, não somente aqui como na emissora em que você trabalha, se melhorou o Hospital de Xapuri. Pelo menos as grávidas poderiam ser atendidas aqui mesmo. E agora que Elas têm que ir ao Município de Brasiléia se não quiserem ir a Capital?O que vc tem a dizer? Se a culpa era da Aucelina, agora a culpa é de quem?Você que fez tanta questão de quimar (sic) a imagem da Aucelina, por que fechou a boca agora?Por acaso vc foi visitar o prédio e observou o que foi melhorado?

Comentário do blog (do Archibaldo): Não estranho que o leitor (ou leitora) tenha postado seu comentário aqui, mesmo que dirigido a quem possui um blog. Pois ao contrário da postura que se adota neste espaço, o Xapuri Agora, do radialista Raimari Cardoso, prefere censurar as opiniões que lhe são contrárias ou que contrariam a política que o autor defende. Eu mesmo tentei, sem sucesso, postar dois ou três recados lá depois que Raimari postou os seus aqui. Em vão. A opinião única, o monólogo que não admite réplica se consolidaram no reino do petismo, em detrimento da liberdade de expressão. E esse comportamento é reproduzido por todo militante que têm acesso aos jornais ou toca por conta própria uma simples página na Internet.

O anônimo achou mais fácil obter uma resposta minha formulando a pergunta através do site “Verdade do Archibaldo”, mesmo conhecendo o endereço do meu blog e o telefone da Rádio Educadora 6 de Agosto, divulgado todos os dias na programação. Vamos, então, às respostas:

Passados quarenta dias, o hospital encontra-se em obras de reforma de sua estrutura física, que devem ser concluídas em um prazo aproximado de 45 dias, de acordo com a direção. Após esse prazo será possível dizer se nesse aspecto alguma coisa mudou para melhor ou não. Entre as promessas de melhoria na oferta de equipamentos, a nova gerência informa que consta a aquisição de um aparelho de ultrassonografia para atender minimamente as grávidas do município. Para fechar esse ponto, informo que duas matérias sobre o assunto já foram veiculadas através da Rádio Educadora 6 de Agosto, Difusora Acreana e etc.

Quanto à ex-gerente do hospital, Aucelina Oliveira, me mostrem quando eu disse que a culpa do que quer que seja seria dela. Em que momento "queimei" a imagem da gestora? Apresentem alguma matéria publicada ou comentário feito nesse sentido. Garanto que não encontrarão, porque atrás desse sujeito que lhes escreve essas linhas existe uma porção mínima de moral e caráter herdada de seus antepassados, que infelizmente não consta entre os princípios de alguns poucos cafajestes que, com respeito ao leitor, procuram toldar a visão dos menos avisados. Pelo contrário, o que sempre fiz foi garantir à Aucelina espaço nos veículos de comunicação para os quais trabalho, para que ela pudesse, por algumas oportunidades, defender a instituição de acusações de negligência e erro médico supostamente ocorridos naquela unidade de saúde.

Archibaldo assinou, em data que não me recordo, matéria publicada no portal Ac24horas, na oportunidade da polêmica gerada pelo anúncio do CRM de que poderia interditar o hospital de Xapuri, dando conta de que, convocada à Câmara, Aucelina teria confirmado que uma paciente morrera após o parto pelo fato de não haver uma ambulância de prontidão e sangue do tipo da paciente que foi submetida a uma cirurgia de emergência. Em uma matéria publicada em seguida, contestei a afirmação supostamente feita pela diretora, pelo fato de que essa, à época dos fatos, acompanhada de um dos médicos do hospital, Luis Eamara Vargas, garantiu publicamente que a morte da moça havia sido uma mera fatalidade. Como essa afirmação poderia mudar de repente? Questionei.

O que fiz foi apenas buscar a verdade. A estudante faleceu em razão de negligência ou fatalidade? O hospital estava em condições precárias de atendimento como constatou o CRM ou funcionava normalmente como me havia informado a gerente? Aucelina afirmou posteriormente que Archibaldo haveria distorcido suas palavras com o fim de lhe prejudicar e que a matéria poderia fazer parte de um plano engendrado por ele e pelo procurador jurídico do prefeito para causar polêmica em torno da questão do hospital. Isso me foi dito no portão de sua casa. Publiquei.

Passados alguns meses, ocorridas algumas mudanças de posicionamentos, o culpado mudou de nome, principalmente depois que divulguei a suspensão do curso de enfermagem dirigido por Aucelina em Xapuri, que de acordo com a Gerines - Gerência de Registros e Informações Escolares da Secretaria de Estado de Educação - estava irregular no município. O que era fato se transformou em tentativa política de prejudicar o curso. Convidada à Rádio Educadora para falar sobre o assunto e responder porque o CETEAC deu início a um curso na cidade de forma irregular, Aucelina não compareceu. O vereador Erivélton Soares foi testemunha do convite e da recusa.

Encerro dizendo que nada tenho de pessoal contra Aucelina, pelo contrário, tenho por ela uma sincera consideração motivada pela longa convivência social e pela maneira sempre cordial e amigável que me atendeu profissionalmente, na condução do hospital, onde considero que se saiu muito bem como administradora, apesar das dificuldades e deficiências que afetam o sistema de saúde não somente em Xapuri. Se mágoas e ressentimentos existem, não são de minha parte. E se da parte de Aucelina existirem rancores, com certeza estão sendo alimentados por aqueles que até pouco tempo lhe atiravam pedras.

domingo, 3 de junho de 2007

Poronga

Frente Xapuri

A única forma de a Frente Popular retornar ao poder em Xapuri é unida. Se espatifar, perde. Por isso, não adianta pessoas ficarem se lançando candidatas sem o aval da coligação. A divisão é tudo que o prefeito Wanderley Viana (PMDB) quer.

Cotocolândia

O repórter Leônidas Badaró (TV5) recebeu proposta para defender o time do prefeito Wanderley Viana no Campeonato Municipal de Xapuri. A equipe está sendo chamada pelos adversários de “Cotocolândia Esporte Clube”. Goleiro dos bons, o xapuriense Badaró ficará responsável por defender os três paus do clube de Viana.

Da coluna Poronga, jornal Página 20 deste domingo (3/6), assinada pelo jornalista Leonildo Rosas

Jorge Viana ajuda Lula a governar o Brasil

Romerito Aquino

Considerado amigo e aliado do presidente Lula, o ex-governador do Acre, o petista Jorge Viana, idealizador do conceito de florestania (cidadania na floresta), é hoje uma espécie de conselheiro pontual tanto do governo de seu estado, que ele começou a transformar em modelo de sustentabilidade amazônica, quanto do governo federal, onde ajuda a ministra e conterrânea Marina Silva, do Meio Ambiente, a consolidar a transversalidade ambiental em todos seus ministérios, empresas, autarquias e fundações.

A Kaxiana alcançou Jorge Viana na sessão solene que a Câmara dos Deputados promoveu na quinta-feira, dia 30 de maio, para homenagear a autora, diretor, atores e atrizes da minissérie “Amazônia – De Galvez a Chico Mendes”, da TV Globo, que nos primeiros meses deste ano, por incentivo do próprio ex-governador, mostrou partes da história da Amazônia e, em especial, a do Acre.

Ali, Jorge Viana falou do que está fazendo hoje e da viagem que está fazendo ao exterior em companhia do presidente Lula, atendendo convite especial deste para acompanhá-lo à Inglaterra, Alemanha, Marrocos e Índia. Identificando-se como “torcedor” e “colaborador” do governo Lula, Jorge Viana vez por outra é chamado ao Palácio do Planalto ou à residência oficial do presidente para trocar idéias com eles sobre todos os assuntos do governo.

Leia mais na Agência Kaxiana