sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

Chico Evangelista

101209-085141

Encontrei-me, um dia desses, em Brasiléia, com o ex-vereador de Xapuri, Francisco Evangelista de Abreu, 72, eterno presidente do Vasco da Gama, uma das mais tradicionais equipes da cidade, quando por aqui podia se dizer que existia futebol. O Vasco foi de um tempo em que o campo do velho estádio Góes e Castro, posteriomente transformado em Álvaro Felício Abraão, era cercado apenas por cordas e numa pequena arquibancada uma multidão de pessoas se espremiam para ver jogar craques do porte do lendário zagueiro Curica, cuja fama atravessa os tempos.

Os jogos eram transmitidos pela Rádio Educadora 6 de Agosto, que tinha locutores esportivos de qualidade, como Andrias Sarkis e Aílton Farias, entre outros. Os campeonatos da 1ª e 2ª divisões eram disputadíssimos e a seleção de Xapuri, que disputava competições intermunicipais era fortíssima. Equipes de outros municípios do Acre e até da capital sofriam ao encarar o “selecionado xapuriense” tanto dentro quanto fora dos seus domínios. Neste bom tempo do futebol xapuriense, Francisco Evangelista, além de dirigente esportivo, também foi comentarista esportivo nas transmissões da “Seis”.

Seus comentários, que começavam sempre com um costumeiro “Por sinal…”, entraram para o folclore do futebol local pelo estilo muito pessoal, quando era normal se imitar as estrelas das rádios Globo e Nacional, e também por alguns relatos engraçados de suas análises das partidas. Num deles, após um ataque perigoso do timaço do América contra adversário que não se sabe mais qual era, Evangelista disparou: “Foi um tirambaço disparado pelo atacante Manduquinha e a bola chegou pererecando às mãos do goleiro Ameixa”.

Manduquinha e Ameixa são irmãos, e recordo de ambos jogando no mesmo time: o América, mas - verdadeiro ou não - o episódio contado acima faz parte da vasta história do futebol xapuriense que corre o risco de se perder e não chegar às novas gerações pela falta de registros. Chico Evangelista, que há pouco tempo foi multado pela Receita Federal por problemas relacionados à falta de declaração de informações sobre o extinto Vasco da Gama,  é parte importante, como outros tantos, muitos que já se foram, dessa rica história, que se colocada no papel certamente resultará em enciclopédia.

3 comentários:

Rubens disse...

Concordo com sua afirmação de que informações com esta estejam sob o risco de se perder. Mas lembro a todos que o site www.xapurionline.com já resgatou muitas histórias e causos de nossa terinha com objetivo de preservar para as futuras gerações, os fatos que fizeram nossa história. Há um enorme acervo de fotos de nosso futebol que Mirim quer transformar em acervo de um museu a ser instalado no estádio. O que falta é mandar estes "causos" e fatos para ser publicados no site e assim preservá-los. O site é de todos os que gostam de Xapuri. Abraços xapurienses do Rubinho.

Amanda disse...

ãBoas lembranças de um cidadão apaixonado pelo esporte e pelo seu time Vasco da Gama.Lembro muito do meu velho pai dirigindo o seu time de coração.Tenho muitas lembranças dessa época quando meu pai tentava levar para a sua equipe o melhores jogadores da era para seu grupo.Ainda pequena acompanhava papai escalando a sua equipe para disputar campeonatos xapurienses que tinha como adversários o time do Santos, América etc.
Lembro muito de Mirim de uma geração anterior a essas que citarei nomes como de Julinho Figueredo, Mário Jorge , Sarrafinha, Jânio Maciel dentre outros que não recordo o nome nesse momento. Todas fizeram história nessa equipe em que meu pai muitas vezes tirava recursos do próprio bolso para custear as despesas de material para o seu time. O jogador não recebia nenhum recurso financeiro, jogava pela raça e amor pelo seu time. Foram vários campeonatos em que muitas vezes o Vasco foi campeão com disputas fortíssimas entre os rivais américa e santos.
Todos os sábados os xapurienses contava com esse lazer . Também contava com um público fiel que se formavam em torcidas pelos seus times preferidos. A família Mota fiel a seu time de coração o América, a torcida do Santos e é claro do Vasco da Gama se entregavam participavam euforicamente daquelas partodas de futebol.
E Quando meu pai naõ estava dirigindo o seu time estava participando dos comentários dos jogos que eram trasmidido pela Rádio 6 de agosto..Parabén papai EVANGELISTA por fazer história no futebol, na política , na Polícia Civil e como bom cidadão xapuriense.
Tenho muito orgulho de tê-lo como pai.
A todos xapurienses e os que junto com meu pai fizeram o futebol de xapuri grandes eventos esportivos
tenham certeza , vivemos momentos que nos deixaram boas lembranças e que deverá servir de exemplo para essa nova geração de jovens esportistas e para todos que gostam de esporte. ROSINHA.

Gewan disse...

Parabéns ao "Seu" Chico Evangelista que sempre incentivou o futebol de Xapuri, seja no gramado, nos bastidores ou no microfone!!!!....bjos a vc Rosinha a quem tenho muito carinho e saudades.....