quinta-feira, 9 de maio de 2013

Coisas de Xapuri

004

A imagem acima é apenas mais um exemplo da balbúrdia em que Xapuri se tornou a partir da irresponsabilidade de alguns administradores. Esta é a praça localizada em frente ao cemitério municipal, onde uma casa de moradia foi construída em pleno espaço público durante o segundo mandato do ex-prefeito Vanderley Viana (2005-2008).

Com a convivência e/ou omissão da administração daquela época, o morador estabeleceu ali moradia e, anos depois, vendeu o imóvel. O novo proprietário piorou o que já representava apropriação indevida do patrimônio público: promoveu uma reforma que aproximou ainda mais a área construída da calçada, que em vez de permitir o direito de ir e vir das pessoas está dando lugar a uma montanha de entulhos.

Hoje, com essa batata quente nas mãos, o prefeito Marcinho Miranda deve estar se perguntando onde estavam os responsáveis pela salvaguarda daquilo que pertence à coletividade, entre eles o Ministério Público e a Câmara de Vereadores, que nunca meteram – até onde este blogueiro tem conhecimento – a mão nessa cumbuca.

O propósito deste post, no entanto, não é incentivar qualquer medida contra quem ocupou ou ocupa esse e outros locais públicos em Xapuri. Certamente os que fincaram esteios nesses lugares não o fizeram ao “arrepio da lei”, mas com autorização de alguém que compreendia o espaço coletivo como o quintal de sua casa.

2 comentários:

miranda souza disse...

Obviamente o amigo Raimari desconhece deste assunto ao fazer tais comentários sobre o mesmo, mas vou aqui prestar alguns esclarecimentos não que eu deva esclarecimentos a alguém, mas existem pessoas que podem sentir-se lesadas por maus entendidos iguais a estes. Vamos lá:
1º O terreno não era de propriedade publica como o amigo mencionou ainda estava em nome da propriedade do srº Jofre Kouri assim como a grande maioria das propriedades de privadas de Xapuri.
2º Foi acompanhado sim pelo Ministério Público, inclusive fui convidado pessoalmente para prestar esclarecimento e o Promotor Público da época arquivou o processo, provavelmente por ter constatado que não se tratava de um terreno público e sim uma aquisição por tempo de ocupação e selo como muitas outras existentes amparadas por lei.
3º eu e minha família já ocupávamos e selávamos da área desde 1991 quando a praça ficava bem distante dos limites do terreno só após os anos de 2005 ou 2006 quando fizeram uma reforma na praça foi que aumentaram a praça em direção do terreno. De 1991 a 2005 são 15 anos destes bastava 5 anos de ocupação para que por lei eu me tornasse proprietário. O blogs são bons e interessantes mas suas postagens têm que ser feitas com respeitabilidade.

Hudson de Souza
Antigo Proprietário do imóvel.

Raimari Cardoso disse...

Caro Hudson,

Não considero que haja falta de respeito em meus comentários. Quanto a seus argumentos, para mim são vagos e muito pouco explicam. Seja o espaço público ou não, jamais vou compreender como normal que se ocupe uma área que está localizada logo à frente de um cemitério. Essa no entanto, não é uma exepcionalidade em Xapuri. A cidade está cheia desses problemas. Mas caso tenha ofendido sua família com essa posição, externo meu sincero pedido de desculpas.