sexta-feira, 18 de março de 2011

Manoel Moraes cobra debates sobre Código Florestal

manoel13042010

O deputado estadual Manoel Moraes cobrou, na última sessão da Assembleia Legislativa, mais empenho dos parlamentares acreanos no debate sobre o Código Florestal. “Esse projeto vai ser votado e não podemos deixar de  discuti-lo porque o Estado é voltado para a agricultura e precisamos proteger nossos agricultores. Tudo que afeta o Acre é do nosso interesse”, disse.

O Parlamentar defendeu que o assunto seja melhor debatido e conhecido pela população acreana. “Não é porque o assunto é votado em esfera nacional que não podemos debatê-lo. É necessário que nossa bancada federal esteja com um pensamento coeso conosco, deputados estaduais.

Moraes, que também é presidente da Comissão de Legislação Agrária, Fomento e Agropecuária da Aleac, diz que é preciso ter uma legislação que proteja as florestas, mas que também ampare o produtor rural. “Muitos pontos atuais dessa lei vigente inviabiliza a sobrevivência do homem do campo, já que ele paga multas altíssimas”, afirmou.

O deputado, que é morador do município de Xapuri, afirmou também que conhece muitos moradores da zona rural que por terem recebidos multas altas tiveram que empenhar as próprias casas. “É preciso fazer uma reforma que permita que a sobrevivência do homem da floresta seja autossustentável . Precisamos melhorar o que já temos do atual código, porque ele está ultrapassado em muitos aspectos”, concluiu.

Vale lembrar que o atual código é de 1964. Espera-se que até o final de abril seja votado na Câmara Federal um novo texto para a lei, mas o assunto tem causado polêmica nas chamadas bancadas ambientais e ruralistas.

Com informações da assessoria do deputado.

Um comentário:

I.C.M disse...

Gostei do comentário do deputado ao comentar a situação dos trabalhadores rurais no nosso estado. "Sobrevivência auto sustentável" ao invés de desenvolvimento, afinal, no estágio que se encontra a degradação ambiental no mundo moderno, com todas as tecnologias envolvidas e tudo mais, quanto mais o homem desenvolve mais ele sobrevive ao desenvolvimento.