domingo, 3 de abril de 2011

Até quando?

Mira

Xapuri está mais uma vez de luto em razão de tragédias que de tão anunciadas chegam a não surpreender, apesar de causarem intensa dor e sofrimento. No final da tarde deste domingo, a vida de Mira Silva, 37 anos, foi violentamente abreviada em acidente de motocicleta no centro da cidade. 

As circunstâncias que envolvem o fatídico acontecimento ainda não foram devidamente explicadas, mas são bastante presumíveis. De certo mesmo somente o fato de que alguma coisa precisa ser feita urgentemente em Xapuri para que tragédias como essa não voltem a se repetir.

A hora não é de procurar culpados (talvez eles nem existam individualmente), mas o momento exige que uma profunda reflexão seja feita por todos que vivem e trafegam nesta cidade: motoristas, motociclistas, ciclistas, pedestres e, acima de tudo e de todos, por nossas autoridades.

Um minúsculo povoado que possui apenas quatro ruas e algumas travessas mal conservadas não poderia se transformar em um palco de sangue como se fosse uma dessas cidades de porte médio ou grande onde morrer no meio do asfalto já se tornou rotineiro e banal.

Caso seja feito um levantamento de acidentes de trânsito, fatais ou não, ocorridos em Xapuri nos últimos anos, certamente será encontrado um número estarrecedor. Para se ter uma vaga ideia da situação, apenas nessa última semana foram 4 ocorrências desse tipo, contando com a deste domingo, a mais grave.

A rua Cel. Brandão, a principal da cidade, está se tornando a via da morte em Xapuri. A expressão pode parecer exagerada, mas reflete uma triste realidade que assusta e deixa insegura a população que precisa transitar pela cidade todos os dias, principalmente as crianças que, em sua maioria, vão e voltam da aula sozinhas.

A grande maioria dos acidentes, no entanto, ocorre nos finais de semana, e quase a totalidade das mortes se perpetram nos domingos. Nenhum estudo especializado precisa ser feito para se detectar que os principais motivos das ocorrências são a combinação entre embriaguez, direção e excesso de velocidade.

Volto a dizer que fatos lamentáveis como o deste domingo não podem cair na banalidade como ocorre nas grandes cidades Brasil afora. Algo precisa ser feito imediatamente. Prefeitura, Câmara de Vereadores, Polícias, Ministério Público, escolas e população precisam discutir amanhã o que pode ser feito para que mais vidas não sejam interrompidas violenta e precocemente como foi a de Mira.

À família, o apoio e a solidariedade do blog.

12 comentários:

Maíra Rendon disse...

Fiquei muito triste com a noticia, principalmente por se tratar de uma pessoa proxima e pelo fato disto ter acontecido bem proximo da casa onde passei toda a minha infância e parte da adolescencia.
Ainda lembro que brincavamos de bola em frente a casa de meus avôs (Tico e Maria de Aquino) e hj fico muito triste por ter medo de que minha irmã de 11 anos possa ir a escola e não mais voltar. Amo esta cidade,pois vivi momentos felizes aí e espero que as autoridades possam fazer alguma coisa, pois não se pode permitir que uma cidade calma se tranforme em um palco de mortes absurdas e sem sentido, deixando pais, mães, filhos orfãos..Minhas sinceras condolencias a familia da Mira...Que nesta hora Deus possa iluminar e dar forças para aguentar esta dor.
Maíra Costa

adaides theodosio disse...

Espero que a população acorde e começe a toma alguma atitude sobre o que estamos vivendo em nossa cidade, as autoridades possa toma atitudes que nos proteja durante a vida, que Deus possa dá o conforto a familia da Mira...ADAIDES

Diego disse...

Não discordo de que cabe às autoridades um papel de suma importância frente a estes casos...

Porém, enquanto os usuários das vias públicas (condutores de veículos automotores, ciclistas, motociclistas, pedestres, etc) não o fizerem de forma cautelosa e resposponsável, não tem instituição no mundo (prefeitura, judiciário, mj, polícia, etc) que consiga reverter o quadro atual dp tráfego nas vias de nossa cidade.

Fernanda disse...

Também concordo com o Diego, mas acho que deve começar imediatamente uma política de educação no trânsito para os ciclistas e pedestres, pois quanto aos condutores de carros e motos, é pra isso que serve o processo de habilitação. Sabemos que muitos não respeitam os outros usuários, principalmente os não motorizados, mas quanto à estes, não há justificativa, na minha humilde opinião. Eu queria dizer às pessoas que andam à pé ou de bicicleta, que prestem mais atenção, por favor. Procure não trafegar no meio da rua, a responsabilidade não é só dos veículos motorizados, mas sim de todos. Pois o que adianta eu desviar de você quando estou dirigindo meu carro se você não presta atenção e se joga na frente, sem que dê tempo eu evitar o atropelamento? Eu queria dizer aos motoristas que muitas vezes quem vem atrás de você ou na frente, são ciclistas e pedestres que na sua grande maioria, não conhece regras de trânsito. Dirija com essa consciência. Por favor, tomem mais cuidado, tenham amor às próprias vidas. O que a gente mais ver é ciclista distraído (me desculpem os ciclistas). Em parte eles não têm culpa, pois em nossas ruas não há ciclovia e nem ao menos calçadas e seria de urgência que a prefeitura tomasse providências o mais breve possível em relação a isso, pois quantas pessoas terão que morrer ainda vítimas de acidente de trânsito para que a Autoridade competente se mobilize? Quanto ao acidente que vitimou a Mira, ele poderia ter sido evitado se os quesitos “atenção” e responsabilidade no trânsito não tivessem sido esquecidos. Não quero aqui apontar culpados, pois eu não presenciei o acidente, mas como já disse nosso amigo Raimari, “as causas são presumíveis”. Vamos redobrar nossas atenções, vamos ser motoristas, ciclistas e pedestres “caretas” mesmo, “Caxias”, e até devagar, pois todo cuidado sempre é pouco.

Conselheira Sentimental disse...

Concordo plenamente com seu questionamento sobre até quando acidentes fatais como este ocorrerao em nossa ex pacata cidade,confesso que todos os dias quando saio para o meu trabalho vou com meu coração aflito com MEDO de que eu seja mais uma vitima do transito, principalmente por que é sempre minhas filhas que me levam, aí é que me peocupo mais ainda.Chamo a atenção das autoridades e tambem da população para que juntos possa-mos resolver ou pelo menos amenisar este problema que esta tomando proporções desmedidas e que se algo não for providenciado com urgencia não sabemos onde isso irá parar ou quantas vitimas ainda terão que surgir daqui para frente.Meu coração ficou partido ontem com a dor daquela família, meu Deus como gostaria de que aquilo tudo fosse um pesadelo,que a Mira estivesse viva atendendo a gente na sua lanchonete com tanta prestesa e atenção.Peço a Jesus que fortaleça aquela mãe tão sofrida, aquela irmã tão desesperada que me fez chorar e tambem aquele filho que perdeu a sua mãe tão jovem ainda.Meus sinceros pesames a família enlutada.Josineide Vasconcelos.

Gabriel Zaine disse...

Realmente uma fatalidade.
Mais gostaria de deixar aqui minha opinião.

Xapuri tem uma saúde falida, não são nenhum nem dois casos de omissão de socorro por parte dos enfermeiros, médicos e socorristas do SAMU. Um absurdo uma cidade com 15 mil habitantes só dispor de uma ambulancia e não ter mais de uma unidade de resgate.
Já passou da hora do prefeito, secretário ou quem for o direito, solicitar ao governo estadual ou federal a criação da unidade dos bombeiros em Xapuri.

No 20 de janeiro a fiscalização de transito estava em Xapuri e a maioria da população criticou a ação dos agentes, que estavam aplicando a lei do bafometro, a que obriga a estar com o capacete afivelado e proibi andar de sandalias e afins. Leis que muitos podem achar banais, mais sim, salvam a vida em caso de acidentes.
Os agentes de transito estavam fazendo a prevenção de acidentes e segurança da população. Errado o DETRAN ou os que andam fora da lei? Quem não deve, não teme!

Xapuri vai crescer sim, no dia que politicos de vontade e boa fé, que queiram e evolução social, economica e cultural de um povo.
O futuro será de alguns jovens que estão estudando fora e adquirindo cultura e vivencia de uma cidade grande que podem ser repassados para a cidade.
Falta a população entender que figurinha repetida não completa album e que na politica promessa nunca foi divida.

abração

reginaldo disse...

Minhas condolencias à família enludada,
No entanto, como xapuriense por opção, é lamentável a educação no transito, principalmente dos pedestres e condutores de bicicletas que invariavelmente quando vc buzinas, para sairem do meio da rua, os mesmos mandam passar por cima. Já nas saidas de todas as escolas, o que se vê é crianças no meio da rua,caminhando com a maior tranquilidade,inclusive em locais que possuem calçadas(são poucos).Esta passando da hora do Ministério Público, direção das Escolas, Secretaria de Educação e principalmente a Polícia Militar, intensificar o Projeto de Educação de trânsito nas Escolas, para educar crianças e adolecentes a utilizarem bem o espaço público disponível, ou seja, EDUCAÇÃO E OBRAS URGENTE.

marcio disse...

É muito impportante que as altoridades juntamente com a população tomem medidas para dar um basta nessas atrocidades que vem acontecenda em xapurí, um cidade que teve caracteriscas como tranquila, pacata, uma cidade que muita gente gostaria de passar o resto de vida, mas infelismente devido os ultimos acontecimentos essas caracteriscas não fazem parte da realidade da nossa cidade.
Acredito que isso só vai mudar quando a própria população e principalmente os condutores de altomoveis se concientizar que estão pondo em risco a vida deles mesmo e dos demais que estão próximo. Márcio Nicacio

Sued disse...

CARO RAIMARI,EU SÓ GOSTARIA DE SABER SE A MIRA É A FILHA DO SEU MURILO E DA DONA NENEM,POIS EU TENHO DEZENOVE ANOS QUE MORO AQUI EM RONDONIA MAIS ACOMPANHO TODOS OS DIAS AS NOTICIAS DA MINHA TERRINHA.

Raimari Cardoso disse...

Não, Sued, a Mira do Murilo e da Neném está ótima, graças a Deus. A moça que perdeu a vida nesse trágico acidente é filha do Zé da Trompa, lembra dele?

Um abraço.

Sued disse...

LEMBRO SIM MEU AMIGO RAIMARI DO ZÉ DA TROMPA,SÓ QUE EU TENHO UMA LEMBRANÇA MUITO LONGE DAS SUAS FILHAS, ME PARECE QUE TINHA UMA POR NOME DE ANA,MAIS A MIRA EU NÃO LEMBRO, POIS FAZ 15 ANOS QUE NÃO VOU A XAPURI,EU MORO AQUI EM PORTO VELHO,RO,E QUEM SEMPRE ME COBRA PRA MIM ÍR AÍ,É O FÍO MARAVILHA, FILHO DO SAUDOSO VALDEMAR, ELE TRABALHA NA CAERD, EMPRESA DE AGUA DAQUI E SOMOS VIZINHOS,TE AGRADEÇO PELO ESCLARECIMENTO,MESMO ASSIM ENVIO MINHAS CONDOLÊNCIAS A FAMILIA ENLUTADA....UM ABRAÇO AMIGÃO...

Magao disse...

Eu sou do tipo que temos que ter educação para pedestres, ciclistas e reciclagem para condutores de veículos, mais porem.. precisamos que os governates derem condições para que esses que citei tenham por onde passar com total segurança, e que segurança é essa? Construindo ruas , calçamentos iluminação, até porque pagamos um valor altíssimo e não temos iluminação nas ruas, volto a falar das imensa arvores que temos no meio da cidade, as pessoas parece que pençam que a cidade não cresceu, cresceu e muito, mais totalmente desistruturada. A frota de veículo não é mais a mesma de 30 a 40 anos atraz, isso deixa a gente revoltado, vejo em todos lugares que ando as ruas todas asfaltadas, iluminadas, limpas, e a nossa nem uma carrocinha pra prender um bando de cachorros que envadem as ruas e os licheiros, que a cidade amanhece com os mesmos todos virados espalhados pelo meio das ruas, isso é revoltante pra qualquer um, falo isso porque sou filho dessa terra e nunca saí daqui, não querendo aqui dizer que sou contra a nenhum conterrâneo que saiu, pelo contrário tenho é muito orgulho de ter váriso amigos de minha terra em outros lugares e representando muito bem nossa cidade, mais o que eu falo é que vc tá ali todo dia e toda horas e vendo isso tudo acontecer e ninguem tomando atitude nenhuma isso por parte das autoridades. E volto a pedir em nome de toda população de nossa terra, que se for preciso ajudar em alguma coisa tenho certeza que a população boa parte dela colabora sim, é só falar, pedir ajuda ao povo que eles respondem com todo prazer o que agente quer ver nossa cidade desenvolver é só isso pronto. A crítica construtiva ela não atrapalha e sim ajuda, salve Xapuri, terra formosa terra gentil.