quinta-feira, 15 de abril de 2010

Vanderley Viana

O secretário de Comunicação do governo do Acre, Aníbal Diniz, disse certa vez que ainda me veria tomar um chocolate quente com o então prefeito Vanderley Viana. Àquela época, Viana e eu vivíamos de altercações que por algumas vezes nos levaram à sala das audiências da Vara Cível de Xapuri.

Passado algum tempo, não cheguei a tomar o tal chocolate, conforme vaticinara Aníbal. Mas, na última semana, tomei uma atitude que, confesso, me fez sentir muito melhor como ser humano e pessoa consciente de que todos erram e de que o perdão jamais pode ser considerado, em qualquer circunstância, uma atitude da qual não devamos nos orgulhar.

Na hora de executar uma dívida judicial resultante de ação cível que movi contra Vanderley por calúnia e difamação, no valor de R$ 3 mil, propus abrir mão do crédito em troca da desistência de outras duas que Viana movia contra mim por reportagens feitas sobre a sua administração – uma no valor de R$ 1,5 mil e outra que ainda aguardava sentença da juíza Zenair Ferreira Bueno.

Fiquei surpreso com a atitude do ex-prefeito em concordar pacífica e humildemente com tudo o que eu disse diante da juíza leiga mesmo tendo contra mim uma ação a mais, o que lhe poderia, em tese, render alguma vantagem. Sempre empunhando um livro religioso cujo título deixei escapar da memória, aceitou prontamente que todos os processos fossem arquivados e que todos os rancores fossem deixados para trás e postos debaixo de uma pedra bem grande.

Escuto dizer pelas ruas que a atual postura do ex-prefeito não passa de dissimulação e que veste pele de cordeiro para esconder o lobo que sempre foi e continua sendo. Não vejo Vanderley Viana dessa maneira. Acredito mais que os lobos verdadeiros são aqueles que lhe fingiram amizade enquanto esteve no poder e que agora, no ostracismo em que se encontra, lhe dispensam desprezo e ironias.

Não guardo mágoas de Vanderley, e espero que a recíproca seja verdadeira. Não serei hipócrita, no entanto, de dizer que acredito piamente em sua transformação de água para vinho, mas creio na sinceridade de seu propósito de mudança. E desejo a ele, sinceramente, paz, saúde e felicidade.

5 comentários:

Tiao disse...

Na vida não precisamos acertar sempre,

Mas a cada dia errar menos.

E é necessário que a cada erro,

Aprendamos o máximo possível.

Para que esses erros tornem-se experiências aproveitáveis,

Das quais precisaremos no futuro, para não cometer os mesmo erros.

Mesmo sabendo que muitas dessas experiências machucam,

Nos trazem lembranças que fazem sofrer,

E que preferimos esquecer.

Ainda assim, temos que ter consciência que devemos aproveitá-las

Para a cada dia errarmos menos e acertramos mais.

Porque a vida é assim, cheia de surpresa

E precisamos aprender a conviver com ela.

Caso contrário, não conseguiremos ser alguém,

E certamente não estamos aqui por acaso,

Sem razão, á toa, sem um objetivo à conquistar.

Estamos em busca de um espaço,

Para deixarmos de ser mais um neste mundo.

Por isso temos obrigação de aprender

A viver e conviver com a realidade.

Tendo consciência de que em nossas mãos

Está o nosso futuro.

Dependendo principalmente do que somos no presente,

O que seremos neste futuro bem próximo.

Precisamos ter em mente algo muito importante:

Que devemos ser sempre nós mesmos,

Respeitando ao nosso próximo como a si próprio.

Quando vermos que isto está acontecendo,

Então sentiremos que nossos erros tornaram-se experiências.

E que isso, é como um sinal de nosso amadurecimento.

Ou seja, que deixamos de ser crianças

E passamos a ser adultos,

Não no físico e sim no mental.

Magao disse...

É vivendo que se aprende a viver. Todos nós merecemos desde que seja do fundo do coração perdoar de verdade uns aos outro, assim como Jesus perduou. É claro que alguem pode dizer como eu já ouvi falar várias vxs, mais eu não sou Jesus.. só que muita gente esquece que foi assim que ele nos ensinou e é dever de todo nós seres humano perduar, porque o perdão vem de Deus. E quero aqui parabenizar essas duas pessoas, Vanderlei e Raimari, por essa tão bonita lição de vida e de carinho com o próximo, e que Deus vos ilumine para toda a vida amém.

Clenes Guerreiro disse...

Raimari,

gosto de ler, assistir, ouvir coisas que me surpreendam.
Você definitivamente conseguiu (postagem: Wanderley Viana", de 15/04/2010).
Estamos tão cansados de ver desgraçada em tudo quanto é lugar que é bom ler um pouco sobre uma palavra muito usada nos dias de hoje mas pouco praticada de fato: "perdão".
Espero que tudo, de fato, se acerte.
Nada como dar tempo ao tempo.
Um abraço.

Eliana disse...

Olá caro conterrâneo!
Como assídua leitora que sou de seu blog, tb li sobre o aceno da "bandeira branca" entre vc e o ex-prefeito Vanderley Viana. Creio que ninguém quer para si pendências judiciais. Creio também que vc e ele estão de parabéns em terem chegado á um denominador comum. Se não serão grandes amigos, que ao menos possam conviver civilizadamente, pois a boa educação assim o recomenda.
Acompanho, não é de hoje a trajetória política de Wanderley Viana e creio que o mesmo se perdeu em algum momento, mas nunca é tarde para recomeçar. Creio que uma boa análise de todos os erros cometidos no passado pode ser o pontapé inicial para um recomeço.
Desejo sinceramente que ele possa "ressurgir das cinzas" como uma pessoa bem melhor.

arathana monteiro disse...

Imagino que para lidar com as diferenças entre nós e as outras pessoas, temos que aprender compaixão, autocontrole, piedade, perdão, simpatia e amor – virtudes sem as quais nem nós, nem o mundo, podemos sobreviver. Lindo gesto de ambas as partes...